segunda-feira, 6 de outubro de 2014

The Film Stage : Review de "Still Alice" no TIFF

O que Still Alice coloca no nível mais básico sobre o declínio de seu personagem principal é profundamente contraditório. Pessoas altamente inteligentes, como sugere o médico de Alice, são naturalmente mais hábeis em esconder os efeitos de início precoces da Alzheimer com certos dispositivos assim como as pessoas de inteligência média, e, portanto, sofrem declínio mental muito mais rapidamente. Este sentimento contraditório estende-se ao filme em si, que valoriza a exteriorização das coisas tornando o declínio mais rastreável. Conforme a doença progride, os cineastas Richard Glatzer e Wash Westmore se recusam a derrubar essa vertente, ela apenas muda de forma. 

Enquanto Julianne Moore e Kristen Stewart têm recebido elogios por suas performances em Maps To The Stars e Clouds Of Sils Maria, respectivamente, este ano, eu não hesito em dizer que ambas as atrizes preservam sua dignidade no seu trabalho como antes aqui foi mencionado. Como Alice, Moore é o retrato da placidez, preservando sua dignidade, antes, durante e depois que o pior chega. Em uma incrível, longa palestra, Alice responde, em grande parte, corretamente, os questionamentos de um neurologista, comete um erro, e continua a responder, imperturbável. Ela executa exercícios de memória no meio da vida cotidiana, e seu desempenho não se correlaciona com a escalada da doença, ou qualquer comunicação com membros de sua família. Eles surgem simplesmente ao fato de Alice ser ela mesma, independentemente da doença que ela tenha. Mas Glatzer e Westmore não fazem dela uma mártir: além da inteligência profunda, Alice mostra desespero, infantilidade, e sua primeira confissão ao marido John (Alec Baldwin) cristaliza o não-dito, na forma de um violento paroxismo. É uma cena incrivelmente intensa, tornando as tensões conjugais e as pressões de Alzheimer inseparáveis.
Stewart, como a filha de Alice Lydia, é tão impressionante. Lydia é uma atriz de repertório; Alice, uma especialista acadêmico e linguística, é desaprovador. Mas as batalhas da vontade que se seguem são deliciosamente sutis e autênticas: Lydia é muito propensa a afirmar-se, em seguida, cortando suas palavras; e Alice, disposta a sacrificar uma sensação de clareza, ainda reverência as agressões da filha. Stewart, tantas vezes ridicularizada como uma fornecedor de uma expressão só, é bastante hábil aqui em falas improvisadas e rápidas mudanças no decorrer da trama. Sua Lydia é amorosa, mas um pouco insensível e um perfil não anula o outro. Quando ela diz repetidamente para Alice: "Você vai, mãe", ao longo de uma chamada no Skype, isto não é garantia de que ela se esforça para vocalizá-las são uma segunda natureza nas demonstrações de tato. Quando a emoção rompe o tato, é aproximadamente comparável a assistir o declínio da Alice: Lydia opera com tal precisão controlada que mesmo um pequeno gesto de humildade é profundamente comovente. 

Still Alice não inteiramente transcende suas armadilhas de doença-da-semana. Uma avaria se parece  com algo mais enfático, a trilha sonora de Ilan Eshkeri desperta emoção quando isso é totalmente desnecessário. Mas o filme corresponde ao seu assunto com uma inteligência muito boa disso, e é inteligentemente estruturada, alternando as perspectivas de auto-preservação de Alice para interações entre os membros de sua família tão imperceptivelmente que um momento decisivo nunca chega. Os espectadores são deixados para chegar a sua própria versão de catarse, mas eles estão longe de serem indefesos. 


Still Alice estreou no TIFF e será lançado ainda este ano pela Sony Pictures Classics. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de comentar saiba que:
1. Você pode se Cadastrar com sua rede social para comentar é muito simples. Clique AQUI para saber mais.
2. Comentários, imagens e links ofensivos a Robert, Kristen ou ao trabalho realizado por esse fandom serão deletados e banidos.
2. Evitem usos de palavrões e confusões pois esses comentários serão deletados e colocados na lista de SPAM.
3.Links de sugestão de máterias por favor enviem para irmandaderobsten@hotmail.com ou no nosso chat.