domingo, 2 de janeiro de 2011

Amanhecer de Edward Cullen- Capitulo 8

Primeira Caçada

(...)

– Qual é o seu preferido?

– O leão da montanha.

– Ah.

– É claro que precisamos ter o cuidado de não causa impacto ambiental com uma

caçada imprudente ... Tentamos nos concentrar em áreas com uma superpopulação de

predadores… na maior extensão que precisarmos. Sempre há muitos cervos e veados

por aqui, e eles vão servir, mas que diversão há nisso?

– Que diversão?

– O início da primavera é a temporada de ursos preferida de Emmett ... Eles estão

saindo da hibernação, então são mais irritadiços.

– Não há nada mais divertido do que um urso pardo irritado.

– Me diga o que realmente está pensando, por favor.

– Estou tentando imaginar… mas não consigo ... Como vocês caçam um urso sem

armas?

– Ah, nós temos armas ... Mas não do tipo que consideram quando redigem as leis de

caça. Se já viu um ataque de urso pela televisão, deve poder visualizar Emmett

caçando.

– Você também é como um urso?

– Mais como o leão, ou é o que me dizem ... Talvez nossas preferências sejam

indicativas.

– Talvez. É uma coisa que eu poderia ver?

– Claro que não!

– É assustador demais para mim?

– Se fosse assim, eu levaria você esta noite.

(...)

Eu pensava no diálogo entre eu e Bella no refeitório do colégio há dois anos

atrás enquanto observava a minha mão segurando a de Bella para irmos caçar ... juntos

pela primeira vez.

Naquela época, a simples visão de Bella próximo a mim, num momento de caça,

era algo que eu não cogitava de forma alguma ... Algo que eu repelia de todos meio e de

todas as formas. Mas as coisas mudaram.

Bella segurava firme a minha mão enquanto camínhávamos para a sua primeira

incursão de caça.

Nossas temperaturas eram as mesmas.

Nossa pele ... mesma textura firme e grossa.

Nossos corações ... igualmente silenciosos.

Futuro ... um só.

Bella seria minha para toda a eterninadade ...

Linda e perfeita ... Eternamente jovem como eu.

Para sempre minha Bella.

– A janela? – Bella me perguntou congelada na frente da janela, assim que eu estava

me preparando para saltar e eu sorri.

Bella deu uma olhada para o lado de fora e parecia confusa. Ela sempre foi

muito desastrada e com certesa devia estar pensando no que poderia acontecer ... na

cena que seria. Estava insegura, claro.

– É a saída mais conveniente. Se você estiver com medo eu posso carregá-la. – Disse

com humor e dando a opção a ela.

Talvez, se ela aceitasse eu correria para um lugar onde estivéssemos somente

nós dois, onde eu pudesse amá-la novamente. Eu queria muito ... sentia muita falta de

Bella, mas precisava me conter. Da mesma forma que Jasper sentia o mixto de

sentimentos em Bella ele podia sentir em mim.

O cérebro de um vampiro não funciona como o de um humano ... nem de perto.

Nós podemos pensar em diversas coisas ao mesmo tempo, sentir diversos sentimentos

ao mesmo tempo e isso pode fazer com que as coisas não saiam exatamente como

queremos, se esse sentimento for mais forte, por isso temos que manter o controle o

tempo todo.

Naquele momento o meu foco deveria ser a primeira incursão de caça de Bella,

em ajudá-la, mesmo que o desejo estivesse querendo me tomar.

– Nós temos toda a eternidade, e você está preocupado com o tempo que nós levaríamos

para ir até a porta dos fundos? – Bella reclamou.

“– Passar por Jacob e Renesmee?”, Carslile pensou.

“– Não Edward ...Não seria bom, melhor ir por aí mesmo.”, Alice me disse.

“– Nem pense nisso.”, Rosalie e Jacob gritaram em suas mente no andar de baixo ao

mesmo tempo. Ela e Jacob, que haviam relaxado um pouco ficaram muito preocupados

novamente. Se apressaram e foram para o lado da porta. Se Bella insistisse em descer

eles sairiam de casa com Renesmee.

Aquilo estava me irritando demais. Eu sentia neles um sentimento de possessão

em relação à minha filha que me incomodava e me irritava muito, mas não podia fazer

nada naquele momento, eu tinha que cuidar de de Bella primeiro, depois resolveríamos

juntos as questões “Rosalie” e “Jacob” .

– Renesmee e Jacob estão lá embaixo... – Contei a ela. Era o que eu podia dizer sem

despertar a fúria de Bella.

– Ah. – Bella disse quando entendeu. – Renesmee... está bem... com Jacob lá? – Bella

sussurrou para mim. – Ele não gosta muito dela. – ela completou preocupada.

“– Você não faz idéia.”, Emmet pensou sarcasticamente. “– Quando você descobrir ...

quero estar perto.”

“– Acho melhor você tranquilizar ela logo.” – Jasper me alertou.

– Acredite em mim, ela está perfeitamente a salvo. Eu sei exatamente o que Jacob está

pensando. – Disse a ela.

– É claro. – Bella disse e olhou novamente para o lado de fora, contemplando e

pensando o que fazer ... provavelmente.

– Ganhando tempo? – Brinquei a desafiando.

– Um pouquinho. Eu não sei como... – Bella disse confusa.

“– Vai ser muito engraçado Bella se estabacando no chão.”, Emmet pensava e ria

baixinho. Ele não se aguentava mais.

“– Uma demonstração iria bem agora, Edward.”, Esme sugeriu e eu acatei.

– Observe-me. – Disse quando Bella não se moveu e saltei para fora.

Enquanto estava no ar e ao aterrizando do lado de fora, fiquei observando a

postura de Bella pelos olhos e mentes de meus irmão. Bella observou seu vestido,

copiou minha postura e saltou. Assim que ela saiu pela janela pude ver seu rosto de

surpresa.

“– Perfeito.”, pensei.

Ela estava linda e graciosa. Seus cabelos longos e negros voavam ao vento em

movimentos belos e suaves. Seu corpo escultural se adaptava ao movimento de uma

forma perfeita. Bella não parecia em nada com um recém nascido desajeitado, ela se

movimentava como se já fizesse aquilo á séculos. Nem Rosalie tinha aquela perfeição,

nem Alice aquela graciosidade de movimentos. Bella estava perfeita. Ao aterrizar, Bella

deixou que as pontas dos pés alcançasse o chão primeiro, dando um charme a mais para

um simples salto. “Simples salto?” ... Não, aquilo foi perfeito.

– Certo. Fácil. – Bella disse assim que aterrizou e sorriu para mim.

Eu estava deslumbrado e não conseguia tirar o sorriso de meu rosto. Eu estava

definitivamente pasmo com a perfórmace de Bella.

“– Ela é incrível ...”, pensava e sorria.

– Bella? – Chamei.

– Sim?

– Isso foi bem gracioso... até mesmo para um vampiro. – Comentei sorrindo para ela.

Novamente o desejo queria me dominar. A cada gesto, a cada palavra que Bella

pronunciava, meu corpo parecia se aquecer. Eu era um cara de sorte, definitivamente.

Não havia no mundo alguém com mais sorte do que eu ... Eu tinha a mulher mais linda,

perfeita e graciosa do mundo ... tinha a filha mais talentosa e igualmente linda. Nada

poderia me fazer mais feliz ... Eu me sentia completo.

– Obrigado. – Bella me disse. Ela pareceu gostar do meu elogio e até sorriu.

Ela realmente parecia satisfeita com a sua performace mas não com a sua

vestimenta. Bella dobrou a perna e tirou os lindos sapatos de salto que Alice havia

colocado nela. Ela graciosamente os jogou para trás de volta para a janela, mas com

uma força monumental. Vi na mente de meus irmãos que o sapato ia acertar em cheio

Emmet, mas Alice o pegou antes, ela não ia desperdiçar “o sapato perfeito”.

– O senso de moda dela não melhorou tanto quanto o seu equilíbrio. – Alice resmungou.

Peguei a mão de Bella e corremos para o rio. Era como um fio desencapado

encostando numa placa de metal.

– Nós vamos nadar? – Bella me perguntou assim que chegamos na beira do rio.

– E arruinar o seu lindo vestido? Não. Nós vamos pular. – Contei a ela.

Bella não parecia entender ou era apenas um absurdo para ela. Eu não tinha

como ter certesa, mas a cara que ela fez demonstrava incredudibilidade, era a mesma

cara que ela fez quando eu a colocava nas minhas costas e corria nos nossos primeiros

encontros, ela não acreditava que era capaz de aguentar a velocidade e a emoção.

– Você primeiro. – Ela me disse.

Eu faria o que ela estava me pedindo. Bella, apesar de todo aquele auto-controle

demonstrado e toda aquela graciosidade nos movimentos, ela era uma recém-criada.

Bella não tinha noção de como se movimentar com segurança, não que se chocar com

uma árvores ou cair no meio do rio fosse machucá-la, mas ela com certesa não ia querer

aquilo.

Acariciei seu rosto e, olhando em seus olhos, me afastei dando dois passos para

trás, mostrando a Bella o que fazer e saltei. Meu corpo se esticou e como uma criança,

me diverti pela primeira vez com aquilo, dei uma cambalhota. Rapidamente aterrizei na

margem oposta em meios às grande árvores da floresta. Eu realmente estava no melhor

do meu humor.

– Exibido. – Ouvi Bella dizer no outro lado do rio e eu ri alto.

Meus irmãos, Jacob, Carslile e Esme observavam os movimentos de Bella e

graças a eles eu podia ver como Bella estava ... o que ela estava fazendo. Jacob

observava silenciosamente para não chamar a atenção de Bella. Bella recuou

exatamente como eu fiz e quando ia se preparar para correr simplesmente parou. Eu não

entendi bem inicialmente, só quando Bella ficou observando seu vestido que acabara de

se rasgar desde o tornozelo até perto do joelho.

“Uhmmm.”, pensei excitado. Eu queria estar lá para ver com meus olhos, mas podia me

contentar em esperar mais um pouco, logo estaríamos sozinhos.

Pude ver que aquela não era uma roupa apropriada para o que íamos fazer ...

para uma caçada. Bella se inclinou e rasgou o vestido até a metade da coxa, fez o

mesmo com o outro lado do vestido, abrindo espaço para que pudesse correr livremente.

Eu pude ouvir as risadas de minha família dentro de casa. Eles riam de Bella, mas

principalmente de Alice que ficou furiosa com Bella, ela rosnou quando ouviu o rasgar

da seda.

Jacob que até aquele hora se mantinha incógnito não aguentou a cena e tentou

segurar o riso, sem sucesso. Foi quando todos ouviram alto o riso de Jacob que a coisa

ficou tensa. Bella também pôde ouvir, Jasper sentiu isso, sentiu a curiosidade e tensão

de Bella. Vi pela mente de Emmet que Carslile fez sinal para que ele e Jasper descessem

rapidamente. Ele estava preocupado com a reação de Bella, eles a impediriam. Foi um

erro ter saltado primeiro, eu devia ter trazido alguém para ficar de olho nela enquanto eu

demonstrava, comecei a correr em direção á beira do rio, mas Bella me surpreendeu

novamente. Antes mesmo que Emmet e Jasper chegasse à parte de trás da casa para

impedir qualquer ação de Bella e eu chegasse novamente à beira do rio, ela ficou ereta e

não se virou. Continuei a correr quando Jasper sentiu novamente o auto-controle de

Bella, ela já estava se preparando para correr novamente.

– Bella? – Chamei por ela tentando manter a voz tranquila enquanto corria. – Você

quer assistir novamente? – Perguntei.

Vi pela mente de Jasper, que a observava cautelosamente, que Bella respirou

fundo e correu. Foi muito fácil para ela. Como uma recém-criada, Bella tinha muita

força, sua corrida e seu salto foram tão graciosos como o primeiro. Vi Bella saindo do

campo de visão de Jasper e seu corpo voando por cima do meu. Eu corri em sua direção

para onde ela iria aterrizar. Quando cheguei lá pude ver Bella linda em cima de um

galho grosso de um abeto centenário. Ela ria muito, estava se divertindo. Eu estava

novamente deslumbrado, a visão de Bella perfeitamente linda sobre aquela árvore, seu

corpo escultural dentro de um lindo vestido de seda e com as pernas à mostra me

deixaram sem palavras.

Bella saltou graciosamente do galho do abeto e aterrisou bem ao meu lado, como

se aquilo fosse uma coisa que ela fazia todos os dias ... uma coisa casual.

– Isso foi bom? – Bella me perguntou ainda com a respiração acelerada pela excitação

que ela sentia com todas aquelas novidades.

– Muito bom. – Foi só o que consegui dizer. Eu estava deslumbrado definitivamente.

– Nós podemos fazer de novo? – Bella disse animada.

Aquilo tudo deve ter sido muito excitante para ela. Me lembrei dos meus

primeiros saltos também. Foi divertido sentir o poder do controle sobre o meu corpo e

sobre tudo que era físico, mas acreditei que não foi nem um décimo da excitação de

Bella, já que ela foi por 18 anos uma desastrada, sempre caindo ou tropeçando por onde

passava, até mesmo se o piso fosse liso e plano. Eu mesmo pude presenciar dezenas de

tombos dela, alguns eu pude eviar, outros não. Sentir todo aquele controle e poder

realizar aquelas façanhas realmente deve ter sido uma experiência maravilhosa para ela.

Eu queria poder ouvir a sua mente para ter uma noção do que ela sentiu.

– Fique focada, Bella ... nós estamos em uma caçada. – Disse trazendo Bella de volta

para o momento.

– Ah, é. – Bella concordou. – Caçando.

– Siga-me... se você puder. – A desafiei e corri.

Já que ela queria se divertir, podíamos fazer aquilo juntos e seria um ótimo

treino para sua caçada, Bella ia precisar correr para pegar a sua presa, então tinha que

aprender como se comportar no meio da floresta, sem ser nas minhas costas.

Bella rapidamente me alcançou, ela tinha muita força e agilidade, corremos um

ao lado do outro, como na visão que Alice havia me mostrado um dia. Bella estava se

divertindo muito correndo ao meu lado, ela estava totalmente à vontade na floresta

como eu nunca tinha visto, nem nunca tinha escutado ela rindo tanto. Era maravilhoso

poder fazer aquilo tudo juntos. Ela observava tudo enquanto corríamos. Bella acelerou e

eu tive que me esforçar para acomplanhá-la, se eu mantivesse o meu ritmo normal ela ia

logo sair do meu campo de visão. Ela estava tão empolgada que deve ter esquecido do

nosso objetivo, o nosso foco alí. Parei e chamei por ela.

– Bella. – Disse o nome dela. Bella parou e saltou graciosamente de onde estava até

parar ao meu lado. – Você quer continuar no país? Ou você estava planejando

continuar até o Canadá nesta tarde? – Perguntei mais sério. Ela precisava se

concentrar.

– Aqui está bom. – Ela disse olhando para o meu rosto com aquele olhar que sempre

me desmanchava. – O que nós estamos caçando? – Ela me perguntou então.

– Alce. Eu pensei em algo fácil para a sua primeira vez... – Bella fez uma careta quando

me ouviu dizer. Não entendi. “Será que ela está com medo?”, pensei.

– Onde? – Bella me perguntou friamente e parecendo se concentrar.

– Fique imóvel por um momento. – Disse e me aproximei dela.

Eu não sentia mais o calor irradiando dela como antes, mas a eletricidade ainda

saía do meu corpo em direção ao dela. “Foco, Edward.”, eu pensava. Toquei no ombro

de Bella e foi novamente uma sensação maravilhosa, eu tinha que me controlar, mas

estava cada vez mais difícil, eu queria derrubá-la no chão e tê-la alí, mas consegui me

controlar.

– Agora feche os seus olhos. – Disse baixinho para ela e acariciei suas bochechas. A

respiração de Bella acelerou com o meu toque, mas ela tinha que se concentrar. –

Escute ... O que você ouve? – Perguntei a ela.

Bella parecia colaborar e estava se concentrando, eu podia reparar o seu rosto,

no leve arquear de suas sombrancelhas e na leve mudança da posição de seus lábios

enquanto ela ouvia. Eu conseguia ouvir com fácilidade, quase um século de prática, mas

sabia que para Bella era tudo novo.

– Perto do riacho, no nordeste? – Bella perguntou ainda com os olhos fechados.

“– Incrível. Ela conseguiu de primeira e ainda conseguiu se localizar ... na posição

correta.”, pensei impressionado.

– Sim. – Disse a ela fascinado com a sua desenvoltura. – Agora... Espere pela brisa

novamente e ... que cheiro você sente? – Dei mais instruções.

Eu ficava observando o rosto de Bella mudar a cada aroma que ele

experimentava, via as suas narinas inflarem e recuarem a cada cheiro diferente que ela

sentia. Eu também podia sentir os aromas junto com ela, mas ia lentamente,

comparando o que eu sentia com as expressões de Bella. Suas sombrancelhas também a

denunciavam os aromas que ela gostava mais. Quando Bella estava chegando ao riacho

suas sombrancelhas se arquearam, suas narinas se inflaram mais, mas logo recuaram

junto com suas narinas que se enrugaram lindamente. Era maravilhoso ver minha Bella

seguindo seus instintos.

– Eu sei ... demora um pouco para a gente se acostumar. – Disse a ela quando estava

escrito em seu rosto que Bella não gostou do que sentiu.

– Três? – Foi o palpite dela. Bella havia parado no riacho, não tinha seguido o faro

mais adiante.

– Cinco. Tem mais dois nas árvores atrás deles. – Contei a ela, eu tinha muito mais

prática mas ela chegou bem perto.

– O que eu faço agora? – Bella perguntou e uma ruga apareceu entre seus olhos.

– O que você tem vontade de fazer? – Disse sorrindo da sua indecisão.

Bella se concentrou novamente inspirando. Senti o cheiro do veneno que estava

começando a fluir na boca de Bella, a sede a estava dominando e a mim também. Eu

não caçava há muito tempo, eu também estava sucetível ao cheiro da minha presa, o

veneno também fluía na minha boca. Foi a esperança de vê-la com os olhos abertos

novamente, depois do parto de Renesmee, que me fazia suportar a sede. Naquele

momento, a necessidade e a responsabilidade que eu tinha em ajudá-la me fazia

aguentar. Eu precisava ajudá-la ... ela contava comigo.

– Não pense sobre isso. – Disse tirando minhas mãos de seu rosto. Dei um passo atrás,

dando espaço para que Bella pudesse correr. – Apenas siga os seus instintos.

Assim que acabei de falar de Bella correu. Vi que seus olhos ficaram meio

desfocados, ela estava definitivamente seguindo seus instintos. Corri atrás de Bella

deslumbrado com toda a graciosidade e ferocidade que ela demonstrava, Bella corria

como uma felina ... como minha parceira. Se eu era como um leão, Bella era uma leoa,

nossa corrida era similar ... Alice tinha razão quando disse que fomos feitos um para o

outro, combinávamos em tudo, éramos um a metade do outro ... nos completávamos.

Bella parou graciosamente à beira do riacho, perfeitamente camuflada em meio

às samambaias perto de algumas árvores. Ele se agachou numa postura perfeita de caça,

como se já tivesse feito aquilo antes. Eu estava deslumbrado novamente. Fiquei mais

afastado observando seu estilo de caça enquanto ela observava e escolhia sua presa. Um

grande macho bebia água no riacho e nem fazia a menor idéia da nossa presença, mais

outros quatro caminhavam lentamente para leste da floresta. Bella se preparou para

saltar mas algo a fez mudar de idéia.

“– Não!”, gritei em minha mente quando senti o cheiro úmido e quente que veio junto

com a brisa que infelizmente vinha do norte da floresta.

Antes que eu pudesse reagir Bella correu seguindo o rastro mais forte. Ela

passou pelo cervo o assustando mas nem parou, era como se ele não estivesse alí.

Era o cheiro do sangue humano.

Saltei o mais longe que pude e corri em disparada para segurá-la.

“– O que esses humanos estão fazendo nessa parte da floresta? Justo hoje!!!”, eu

pensava enquanto corria.

Bella não reconhecia o cheiro. Seu instinto simplesmente a fez escolher um

aroma mais delicioso que aquele dos herbívoros. Por natureza, o sangue humano era o

mais apelativo para nós, e Bella como uma recém-criada não ia conseguir frear. Eu

podia ouvir os micro grunidos que saiam de sua garganta e a brisa trazia consigo o

cheiro forte do veneno invadindo sua boca. Ela estava descontrolada naquele momento.

Eu estava quase a alcançando quando Bella parou e eu pude ouvir o rugido alto que ela

lançou para mim, Bella estava agachada mostrando os dentes afiados como uma leoa

furiosa.

Foi a primeira vez que ouvi o instinto animal de defesa do vampiro dominando

realmente Bella.

Foi lindo ... maravilhoso.

Eu estava prestes à segurá-la quando o vento mudou e levou consigo o cheiro do

sangue humano. Bella conseguiu me enxergar conforme eu me aproximava e ficou ereta

com os olhos arregalados. Vi que Bella estava assustada, ela prendeu a respiração

quando eu me aproximei.

“– Como ela consegue ficar aqui nesse lugar, parada com tantos humanos perto?”,

pensei bem confuso.

– Eu tenho que sair daqui. – Bella disse entre os dentes.

“ O que? Sair daqui? Como é possível?”, eu pensava cada vez mais confuso

– Você consegue sair daqui? – perguntei incrédulo.

Bella não me respondeu, saiu correndo. Aquilo tudo parecia ser impossível, mas

estava acontecendo.

“– Quando eu contar aos outros, eles não vão acreditar.”, pensava enquanto eu corria

atrás dela impressionado com todo aquele auto-controle. Bella não parava, devia estar

muito assustada. De repente ela parou, eu não consegui parar a tempo e passei por ela

mas rapidamente voltei e segurei seus braços. Eu não podia permitir que ela corresse

novamente atrás daqueles montanhistas.

– Como você fez isso? – Perguntei maravilhado e ao mesmo tempo assustado com o

pensamento do que poderia ter acontecido.

Bella ficaria muito triste depois, quando conseguisse recobrar a aconsciência.

– Você me deixou ganhar antes, não foi? – Bella me respondeu algo completamente

absurdo. “Ela não faz idéia do que eu estou falando?”, pensei. – E eu que pensava que

estava indo tão bem! – Bella disse e inspirou.

“– Como ela está conseguindo pensar em outra coisa? Como ela consegue brincar

depois de ter sentido?”, eu me perguntava.

– Bella, como você fez aquilo? – Disse perto dela indicando com a cabeça o lado de

onde viemos.

– Fugir? Eu prendi a minha respiração. – Bella disse casualmente.

“– Jasper tinha razão. Não é natural.”, pensei.

– Mas como você parou de caçar? – perguntei bem confuso e impressionado.

– Quando você veio atrás de mim... Me desculpe por aquilo. – Bella se desculpou mas

eu não queria desculpas, queria uma explicação plausível que me convencesse.

– Por que você está pedindo desculpas para mim? – Perguntei confuso. – Fui eu que fui

horrivelmente descuidado. Eu presumi que ninguém estaria tão distante das trilhas, mas

eu devia ter checado antes. Um erro tão estúpido! Você não tem nada do que se

desculpar. – Disse a tranquilizando.

– Mas eu rugi para você! – Bella disse horrorizada pelo que fez.

– É claro que você rugiu. Isso é apenas natural. Mas eu não consigo entender como você

fugiu. – Comentei.

– O que mais eu podia fazer? – Bella disse como se fosse algo muito natural. – Podia

ser alguém que eu conheço. – Ela comentou.

Soltei seus braços quando vi que ela realmente estava muito controlada, não

havia perigo algum alí e ri muito alto. Era incrível ... simplesmente incrível o autocontrole

de Bella.

– Porque você está rindo de mim? – Bella me perguntou irritada.

Seu tom de voz me fez parar imediatamente, ela não gostou de me ver rindo

dela, mas eu não estava rindo “dela”, estava rindo da situação. Eu alí todo nervoso e

preocupado enquanto Bella estava se comportando como se tivesse anos de criação.

– Eu não estou rindo de você, Bella. Eu estou rindo porque eu estou em choque. E eu

estou em choque porque eu estou completamente pasmo. – Contei a ela.

– Por que? – Bella me perguntou confusa.

– Você não deveria conseguir fazer nada disso. – Fui dizendo ainda pasmo. – Você não

deveria ser tão... tão racional. Você não deveria ser capaz de ficar parada aqui,

discutindo comigo, calma e em controle. E, muito mais do que tudo isso, você não

deveria ser capaz de parar no meio de uma caçada com o cheiro de sangue humano no

ar. Até mesmo vampiros maduros têm dificuldade com isso ... nós somos sempre muito

cuidadosos com os locais onde caçamos para não nos colocarmos diante de tentações.

Bella você está se comportando como se tivesse décadas de idade em vez de dias. –

Terminei dizendo maravilhado com a minha Bella.

– Ah. ... mas eu sabia que seria difícil. Foi for isso que eu estava tão atenta. Eu estava

esperando que fosse difícil. – Ela me contou.

Bella era realmente incrível. Me aproximei mais e toquei seu rosto eu queria

poder ler seus pensamentos naquele momento mais do que em qualquer outro. Tentei ler

sua alma através da profundezas de seus olhos, mas nada ... não conseguia.

– O que eu não daria para poder ver dentro da sua mente só por esse momento. – Disse

esperançoso.

Tocar Bella era sempre como se um choque percorresse nossos corpos, não que

a sede tivesse desaparecido, ela apenas estava no mesmo nível do desejo. Vi os olhos de

Bella ficarem melosos e apaixonados novamente.

“– Como ela consegue?”, pensei quando vi Bella se aproximar mais.

Ela ficou na ponta dos pés para poder ficar mais alta e perto de mim. Com seus

dedos, ainda quentes e macios para mim, Bella traçou o contorno do meu rosto fazendo

meu corpo acordar quando acariciou meus lábios.

– Eu pensei que eu não me sentiria assim por muito tempo? – Bella disse olhando

minha boca com paixão. – Mas eu ainda te quero. – Ela terminou sussurrando.

– Como você consegue se concentrar nisso? Você não está descontrolada de sede? –

Disse incrédulo. Eu tinha quase um século e mesmo assim a sede caminhava junto com

o desejo que sentia por ela.

Bella entendeu o que eu queria dizer. Ela engoliu seco e suspirou. Suas pupilas

mudaram de tamanho novamente e ela fechou os olhos para se concentrar. Vi suas

narinas dilatarem enquanto Bella farejava e seus olhos, ainda fechados, virarem para a

direção em que o cheiro vinha.

Como Bella se distraía com muita facilidade, baixei meus braços, dei um passo

atrás e prendi a minha respiração para que o meu cheiro não a atraísse ou a distraísse.

Bella rapidamente captou o rastro. Ela abriu seus olhos e olhou para o leste,

onde o cheiro de um grande animal a chamava. Ela disparou em direção ao animal e

mesmo num terreno mais acidentado e inclinado, Bella mantia o ritmo e a graciosidade,

como uma felina indomável. Eu a seguia observando cada movimento e ouvindo para

que nós não fôssemos pegos de surpresa novamente, não que eu achasse que algum

humano fosse capaz de se embrenhar naquela floresta tão fechada e acidentada, mas não

podia descuidar.

Bella, como eu já imaginava depois das demonstrações anteriores, tinha instintos

perfeitos e vorazes então logo percebeu que o felino, um puma, não estava no chão e

sim seguindo sua presa pelo alto das árvores. As pegadas dele vinham de cima, dos

galhos de uma árvore. Mal sabia ele que naquele momento o caçador é que seria a presa

maior.

Bela saltou do chão no meio da corrida e foi parar em cima de uma árvore

próxima sem nem mesmo fazer mexer no galho. Ela ficou numa posição mais alta que o

felino observando seus movimentos.

“– Perfeita.”, pensei enquanto a seguia paralelamente. Não havia nenhum humano

próximo então eu podia deixar Bella correr solta, entregue aos seus instintos mais

evidentes.

O puma era bem grande e Bella ia se satisfazer bem com todo aquele sangue que

era um pouco similar ao humano já que ele era carnívoro, o que ainda faltava saber é se

ela consegueria pegá-lo. Felinos normalmente eram bem ferozes e ariscos, não era fácil

pegá-los, somente com muita prática ... eu pensava, mas em relação a Bella eu aprendi

na última hora que eu poderia esperar de tudo.

O puma nem fazia idéia que havia uma leoa por alí, e que ela estava à sua

espreita, bem acima dele. Eu estava excitado vendo aquilo tudo. Bella saltou com

perfeição para o mesmo galho do puma e este se assustou virando para ela e mostrando

as suas presas e as suas garras.

Eu estava no chão próximo à árvores em que Bella e o puma estavam. Tive que

me segurar para não subir lá e tirar Bella do alcance dele, era o meu instinto de proteção

por ela que queria agir, afinal foram mais de 2 anos a protegendo de tudo e de todos.

Antes mesmo de eu me controlar, Bella se atirou no puma e os dois caíram no chão da

floresta próximo a mim. Aquilo foi um choque.

Bella lutou bravamente com aquele grande puma que tentava de todas as formas

morde-la e arrancar sua pele, mas não conseguia. Bella não gemeu nenhuma vez, ao

contrário do puma que grunia sem parar, ela se comportou como uma vampira de

décadas de idade mais uma vez. Bella conseguiu encontrar o ponto certo onde o fluxo

sanguíneo era mais intenso e o sugou ferosmente fazendo o felino perder as suas forças

lentamente. Os olhos de Bella se fecharam enquanto ela bebia arfadamente, se

deliciando e exaurindo a sua sede. Foi lindo e excitante mas ao mesmo tempo eu

precisava me segurar. O puma fez um estrago em seu vestido antes de sucumbir num

último gorgolejar.

Bella então se levantou e jogou o corpo do puma de lado.

Assim que percebeu que estava toda desarrumada e suja, Bella limpou o rosto e

tentou dar um jeito nos cabelos e no resto do vestido

– Hmmm. – Disse ainda escostado na árvore, chamando a atenção de Bella. Ela estava

linda e sexi naquele vestido rasgado

– Eu acho que podia ter feito isso melhor. – Bella disse ao encontrar meu olhar.

– Você se saiu perfeitamente bem. – A garanti. – É só que... foi muito mais difícil para

mim observar do que deveria ter sido. – Contei mas Bella não pareceu entender. – Vai

contra a minha natureza, – expliquei. – deixar você lutar com leões. Eu estava tendo

ataques de ansiedade o tempo todo.

Eu passei a entender mais as atitudes de Jasper naquela hora. Ele sempre

defendia Alice de todas as formas mesmo, sabendo que ela era capaz de se cuidar muito

bem. Era o instinto protetor do parceiro. Eu também sentia aquilo naquela hora, eu sabia

que o puma não faria nada com o corpo de Bella mas mesmo assim fiquei preocupado e

tive que me segurar no lugar. Se Emmet estivesse alí ia rir muito da minha cara.

– Bobagem. – Bella me disse.

– Eu sei. Velhos hábitos são difíceis de superar. Mas eu gosto das melhorias no vestido.

– Comentei observando suas pernas à mostra e o resto picotado do vestido que

revelava suas novas formas.

– Porque eu ainda estou com sede? – Bella perguntou mudando de assunto.

– Porque você é jovem. – Expliquei e ela suspirou.

– E eu não acho que hajam outros leões da montanha por perto. – Bella me disse se

lamentando. Ela queria mais, dava para ver, mas ela tinha outras opções.

– Mas há muitos veados. – Sugeri.

– O cheiro deles não é tão bom. – Bella reclamou lembrando do cheiro dos primeiros

alces que encontramos.

– Herbívoros. Os comedores de carne tem um cheiro mais parecido com os humanos. –

Expliquei a ela.

– Não tão parecido assim com os humanos. – Bella comentou franzindo a testa.

– Nós podemos voltar. – Sugeri a provocando. – Quem quer que fosse por lá, se fossem

homens, eles provavelmente nem se importariam com a morte se fosse você a entregála.

– Disse observando novamente seu vestido rasgado. – Na realidade, eles pensariam

que já estavam mortos e no paraíso, no momento em que a vissem.

Bella bufou ao ouvir as minhas palavras. Ela ainda não acreditava na

exuberância de sua beleza com certesa.

– Vamos caçar alguns herbívoros fedidos. – Bella disse e correu.

Eu a alcancei rapidamente e quando passei dei uma risada para ela. Eu queria me

divertir com ela. Chegamos próximo a um bando de veados e nos posicionamos para o

ataque. Antes que os veados pudessem perceber nossa aproximação avançamos neles.

Eu peguei o meu primeiro e me alimentei antes mesmo de Bella, ela ainda estava

derrubando o dela quando eu avançava sobre o segundo que corria para o norte. Quase

um século de prática me ensinaram a dar um bote limpo e rápido, Bella ainda tinha

muito o que aprender, ela ainda rolava no chão e se sujava toda ... parecido com Emmet

quando encontrava um urso grande e forte ao ponto de desafiá-lo.

Como eu estava há muito tempo sem caçar estava com muita sede e queria mais,

ela tinha abatido um grande puma então devia estar mais saciada que eu. Assim que

Bella acabou com seu alce fiz um sinal e fomos atrás dos outros que fugiam de nós. Eu

rapidamente abati mais um grande macho cravando meus dentes em sua jugular, aquele

alce estava bem cheio de sangue, foi o que aliviou um pouco. Quando terminei pude ver

Bella sexi e linda enconstada numa árvore me observando, como eu tinha feito com ela

antes. Em seu rosto eu podia ver que Bella estava observando e aprendendo mas

também me transmitia uma total veneração e adoração, ela finalmente estava me vendo

caçar como tanto quiz.

– Não está mais com sede? – Perguntei ao me aproximar e Bella deu de ombros.

– Você me distrai. Você é muito melhor nisso que eu. – Ela comentou com a voz suave.

– Séculos de prática. – Brinquei.

– Apenas um. – Ela me corrigiu e eu sorri para ela.

– Você está satisfeita por hoje? Ou você quer continuar?

– Satisfeita, eu acho. – Bella disse e pensou e tocou em sua barriga. – Eu quero ver

Renesmee. – Ela me pediu.

É claro que ela não havia esquecido, apenas esperado que sua seder estivesse

mais controlada para voltar ao assunto. Foi um sinal de maturidade e responsabilidade

de Bella.

Me aproximei dela e estendia minha mão, eu a levaria para casa, mas assim que

nos tocamos pude sentir o toque mais quente de Bella, por conta do sangue que ela

havia se alimentado, e a eletricidade novamente correndo entre nós dois. Ela estava

mais corada que antes além de mais quente. Bella olhou em meus olhos, agora dourados

por conta do sangue animal e acariciou meu rosto delicadamente, fazendo meu corpo se

aquecer mais. Senti a respiração ofegante de Bella lambendo meu rosto me deixando

mais excitado e alimentando o desejo que sentia por ela.

Bella se aproximou mais de mim e se esticou para passar as mãos delicadamente

em volta de meu pescoço como sempre fez. Olhávamos um nos olhos do outro,

conectados e desejosos. Eu não precisava mais ser cauteloso, puxei ela mais para perto

de mim passando minhas mãos por sua cintura. Com a mão direita eu acariciei sua

silueta até chegar à sua coxa, onde peguei e puxe-a mais perto moldando seu corpo ao

meu me enlouquecendo. Bella suspirou naquele momento fazendo seu hálito lamber

meu rosto me deixando mais excitado. Eu não aguentava mais ... a beijei arfadamente

como nunca me permiti fazer, meu desejo de sentir sua boca e seu corpo me faziam

esquecer de tudo ... até mesmo de onde eu estava.

Nossas bocas se movimentavam com tamanho desespero e necessidade que nos

deixavam ofegantes, e cada vez que sentíamos um o hálito do outro o desespero e o

desejo aumentava. Eu sentia as suas formas com as pontas dos meus dedos e o sabor de

seu pescoço com a ponta da língua. Em seu pescoço não corria mais o fluxo sanguíneo

que me enlouquecia antes mas seu sabor não mudou, ficou mais intenso e evidente. Eu

não via a hora de tê-la novamente e esse pensamento me fazia mais ofegante e eu a

agarrava mais perto de mim, acariciada seu corpo sentindo cada centímetro do corpo

que seria meu para toda a eterninadade.

Bella também não permaneceu quieta, ela passava as mãos por dentro de minha

camisa e acariciava as minhas costas e meu peito, o peito em que ela se deitava e

adormecia todas as noites há dois anos. Ela agarrava meus cabelos e puxava com força,

eu quase consegui sentir dor naquela hora, mas ao invés disso só fiquei mais excitado e

retribuí puxando de leve seus cabelos também. Bella gemia e a todo momento

acariciava uma parte de mim. Ela passava as mãos por meus braços e jogava a cabeça

para trás alimentando mais o meu desejo quando eu acariciava novamente sua coxa. Ela

estava elouquecendo como eu, e foi numa hora de total desejo que Bella avançou mais

nos derrubando no chão. Ela não tinha noção de quão forte ela podia ser ... gostei.

– Opa. – Bella disse quando se deu conta de onde estávamos e eu ri. – Eu não pretendia

te

derrubar assim. Você está bem? – Ela me perguntou preocupda.

Bella não tinha motívos para se preocupar, éramos iguais, não sentíamos dor ...

bem, quase não sentíamos. Nos meus dezessete anos como humano e com quase um

século como vampiro, eu só me lembrava de sentir realmente dor quando eu ficava

longe dela ou nos momentos em que mesmo perto, não podia tocá-la ou beijá-la. Não

era uma dor física, era uma dor emocional, muito mais devastadora e destruidora que

qualquer outro tipo de violência física pudesse me causar, muito pior que a sede que

queimava em minha garganta naqueles dois anos de proximidade de Bella humana.

Eu acariciei então seu rosto a tranquilizando.

– Um pouquinho melhor do que bem.

Realmente eu estava muito melhor, minha vida ... minha Bella estava bem, em

segurança e perto de mim. Eu havia conseguido manter a minha promessa de salvar ela

e a nossa filha. Bella parecia ter um auto-controle incrível e estava bem alimentada,

achei que já era hora dela conhecer nossa filha e ficar sabendo de toda as novidades.

– Renesmee? – Perguntei a ela.

Eu poderia e aguentaria ficar mais tempo alí, já que estávamos tão à vontade no

meio da floresta, mas não podia mais negar aquilo à ela. Bella tinha todo o direito do

mundo de conhecer nossa filha.

– Renesmee. – Ela concordou e se levantou me levando junto com ela.

Vi um brilho nascer nos olhos de Bella enquanto ela pensava em Renesmee. Ela

estava ansiosa, era certo.

– Me fale sobre ela. – Bella me pediu quando eu peguei em sua mão para que fôssemos

caminhando em direção ao rio.

– Nada nesse mundo se iguala a ela. – Disse deslumbrado com a minha filha.

Bella me fez o homem mais feliz do mundo. Além de ter a mulher mais linda do

mundo ao meu lado pela eternidade, ela me fez pai. “Uau”, pensei novamente naquele

momento. “Um vampiro pai ... não criador ... Quem diria.”. Nunca, nem eu nem

Carslile havíamos ouvido falar numa situação como aquela em toda a história, e isso nos

deixava muito preocupados por que além do fato do crescimento acelerado de

Renesmee, ela era única. Nós devíamos protegê-la dos outros, principalmente dos

Volturi. Aro adorava colecionar preciosidades e Renesmee com certesa era única e

preciosa, filha de uma humana e de um vampiro com um dom único, semelhante ao dele

e mais, Renesmee também tinha um dom bem característico e único.

– Ela é parecida com você? É parecida comigo ? Ou com o que eu era, pelo menos. –

Bella me perguntou ansiosa.

– Parece que é bem dividida. – Disse. “Ela tem a cor dos seus lindos olhos cor de

chocolate e a cor de meus cabelos”, pensei.

– Ela tem sangue quente. – Bella lembrou.

– Sim. Ela tem batimento cardíaco, apesar de bater um pouco mais rápido que dos

humanos. Sua temperatura é um pouco mais alta que o normal também. Ela dorme. –

Contei mais

– Verdade? – Bella se surpreendeu.

– Bem demais para uma recém-nascida. Os únicos pais no mundo que não precisam

dormir, e nossa filha já dorme a noite toda. – Disse e ri lembrando. – Ela tem

exatamente a cor dos seus olhos ... então isso não se perdeu. – Sorri para ela. – Eles

são tão lindos.

– E a parte de vampira? – Ela perguntou ansiosa.

– A pele dela parece ser tão impenetrável quanto a nossa. Não que alguém sonharia em

testar isso. – Disse e Bella piscou atormentada. – Claro que ninguém iria. – Eu garanti

a ela. – A dieta dela... bem, ela prefere beber sangue. O Carlisle continua tentando

convencê-la a beber uma mistura para bebês também, mas ela não tem muita paciência

para isso. Não posso dizer que a culpo ... coisa de cheiro nojento, mesmo para comida

humana.

Bella se espantou com o que eu disse e quase parou, ficando de boca aberta.

– Convencê-la? – Bella me perguntou confusa.

– Ela é inteligente, impressionantemente inteligente, e progredindo em um ritmo

intenso. Embora não fale ... ainda ... ela se comunica com muita eficácia. – Contei mais

um pouco. Eu tinha que ir com calma, preparando Bella para a cena que iria encontrar

quando chegássemos em casa.

– Não. Fala. Ainda. – Bella comentou chocada.

Diminuí o ritmo da nossa caminhada para um ritmo quase humano, deixando

Bella absorver todas aquelas informações.

– O que você quer dizer, ela se comunica efetivamente? – Ela me pressionou, mas como

dizer exatamente?

– Eu acho que vai ser mais fácil para você... ver por si mesma. É bem difícil descrever.

– Tentei desconversar.

– Por que o Jacob ainda está aqui? – Bella me perguntou então, aceitando esperar para

saber mais sobre Renesmee quando chegássemos em casa. Como ele consegue

suportar? Por que ele suporta ? – Ela continuou a pressionar. – Por que ele tem que

sofrer mais?

Bella ainda defendia o amigo, ela tinha pena por ele ainda “suportar” a nossa

presença, mas não sabia de nada ... não sabia que aquele “amigo” havia tido um

imprinting com nossa bebê. Mal esperava para ver a cara dela, eu tinha certesa de que

Bella não ia ser complascente com aquela loucura, mesmo sabendo que não foi por

escolha dele, mas ainda não era chegado o momento.

– O Jacob não está sofrendo. – Disse tentando esconder a minha raiva. – Mesmo eu

estando pronto para mudar a condição dele. – Disse amargamente, não dava para ser

mais frio do que aquilo.

– Edward! – Bella protestou e me puxou com um pouco de força, parando nossa

caminhada. – Como você pode dizer isso? O Jacob largou tudo para nos proteger! O

que eu o fiz passar! – Bella disse e se encolheu com as lembranças que com certesa

vieram em sua memória.

– Você vai entender exatamente como eu posso dizer isso. – Disse. – Eu prometi para

ele que ia deixar ele explicar, mas duvido você vai ver muito diferente do que eu vejo.

Claro, muitas vezes eu estou errado sobre seus pensamentos, não estou? – Completei.

– Explicar o que? – Bella me pressionou mas eu não cedi. Balancei minha cabeça

negando, eu não conseguiria dizer o “não” a ela.

– Eu prometi. Mesmo eu não sabendo se realmente devo para ele alguma coisa mais… –

Ia falar mais, mas travei meus dentes.

– Edward, eu não entendo. – Bella me disse confusa e frustrada. Ela queria saber.

Eu acariciei a sua bochecha a tranquilizando e sorri para ela. Tudo era muito

novo para ela, eu deveria entender mais, não era justo com ela me sentir irritado daquele

jeito, muito menos falar daquele jeito. Eu sempre exagerava e a deixava preocupada.

– É mais difícil do que você faz parecer, eu sei. Eu lembro. – Disse a ela me

desculpando.

– Eu não gosto de me sentir confusa. – Bella reclamou e uma ruga surgiu entre seus

olhos.

– Eu sei. Então vamos voltar para casa, para você ver por si mesma. – Prometi.

Olhei então para o vestido todo rasgado de Bella.

O sentimento de possessão me invadiu naquele momento. Ela estava tão sexi e

linda, mas não poderia aparecer na frente de todos daquele jeito. Bella era minha ...

somente minha mulher, e somente eu deveria ter o prazer de olhar para toda a

exuberância de seu novo corpo, não que o anterior, o humano, fosse menos atraente para

mim, somente que a partir de sua transformação eu poderia desfrutar do amor com ela

de uma forma mais intensa, prazeirosa e carnal que antes, com Bella sendo capaz de

suportar a intensidade do meu amor e do desejo que eu sentia por ela, nada comparado

ao que sentimos na ilha.

Senti muita raiva e cuímes novamente naquele hora só de pensar em outro

homem se quer olhando para ela daquele jeito, pensar em Jacob ou qualquer outro

homem olhando para ela. Eu não iria me controlar com certesa.

–Hmm. – Murmurei e a solução me veio à cabeça.

Tirei imediatamente minha camisa para que Bella ficasse mais apresentável, pelo

menos para os outros. Segurei a camisa para que ela a colocasse. Eu era bem maior que

ela, então a camisa cobriria grande parte de seu corpo, na verdade estaria tão grande que

chegaria quase em seus joelhos.

“– Perfeito.”, pensei.

– Tão ruim assim? – Bella me perguntou e eu sorri.

“– Pelo contrário ... está ótimo, se estivéssemos somente nós dois sem a eminência de

sermos vistos.”, pensei e sorri para ela.

Bella colocou a minha camisa e fechou os botões rapidamente. Como eu previa,

ficou enorme. Perfeito para o que eu pretendia, mas eu que fiquei com o peito nú e Bella

reparou. Ela me olhava com desejo novamente. Tive que me controlar novamente

naquele momento, Bella tinha o poder de mexer comigo com muita facilidade. Peguei

sua mão para continuarmos a nossa caminhada.

– Eu aposto corrida com você. – Bella disse com uma cara divertida e me desafiou. –

Sem me deixar ganhar dessa vez!

Se ela queria brincar eu a acompanharia com prazer. Soltei a minha mão da dela

para que ela pudesse correr. Nenhum dos meus irmãos, nem Esme e nem mesmo

Carslile conseguiam me vencer em uma corrida, mas Bella era uma recém-nascida

muito estranha, eu tinha que me cuidar, senão seria deixado para trás.

– Na sua marca... – Bella disse se divertindo e correu.

Deixei Bella seguir a frente por uns cem metros, ela seguiu perfeitamente o

caminho de volta para casa através do caminho que o nosso rastro havia deixado

anteriormente. Aquilo foi bom, ela já sabia reconhecer o nosso cheiro. Uns cinco

quilômetros antes de chegarmos ao rio, passei por ela em disparada dando uma

gargalhada.

– Vou ganhar. – Disse rindo e debochando dela.

– Exibido. – Bella disse novamente, como antes, quando saltei o rio antes da nossa

caçada.

Quando cheguei primeiro no rio e ia me preparar para saltar, vi o corpo de Bella

voando sobre mim. Ela havia saltado antes de chegar à margem.

“– Espertinha”, pensei bem humorado e saltei logo atrás dela. Eu podia ver o corpo

dela alguns metros à minha frente.

Enquanto estava no ar pude ouvir a mente de Jacob próximo ao rio.

– Ah! – Pude ouvir Bella falando enquanto eu seguia atrás, bem na hora em que ela

aterrizava na margem do rio que dava para os fundos de nossa casa.

Assim que aterrizei fui rapidamente para o lado de Bella e envolvi seu corpo

com os meus braços. Era muito arriscado. Fiquei com raiva de Jacob, ele devia ter me

alertado que nos esperaria, aquilo era muito perigoso para Bella.

– Não respira. – Instruí Bella com urgência e ela me obedeceu.

Bella ficou completamente imóvel em meus braços, como uma estátua de

mármore de uma deusa grega, apenas seus olhos se mexiam em busca do cheiro forte

que ela com certesa havia sentido ao aterrizar naquela margem do rio ... e vi quando

encontrou. Bella fixou o olhar onde Jacob estava em pé nos observando de longe com os

braços cruzados e com o rosto composto, ele estava certo e firme do que iria fazer.

“– Você prometeu, Edward.”, Jacob me pediu novamente. “– Vou me aproximar.”

Ele não estava sozinho, Leah e Seth estavam à espreita, entre as árvores,

observando. Seth estava tranquilo apesar de encarar aquilo como uma situação perigosa

tanto para Jacob como para Bella ... ele também notou o novo visual de Bella, mas não

me incomodei, Seth era um meninão, nunca foi um rival, era até um amigo muito

querido que conquistei na batalha contra Victória e os recém-nascidos.

Leah era quem mais me preocupava. Como Bella agora era uma vampira e Jacob

estava ligado à Renesmee, ela se preocupava somente com a ferocidade da reação que

Bella poderia ter ao saber da verdade.

– Cuidado Jacob. – Disse a ele quando vi que ele se preparava para vir. Leah sentiu

minha preocupação e rosnou. – Talvez essa não seja a melhor maneira...

– Você acha que seria melhor a deixar chegar perto do bebê primeiro? – Jacob me

interrompeu. Aquilo sempre me irritava. – É mais seguro ver como Bella age comigo.

Eu me curo rapidamente. – Ele disse se garantindo. “Eu sei o que estou fazendo.

Preciso saber se será seguro para Nessie.”, ele me disse em pensamento.

De novo aquele sentimento de possessão de Jacob para com minha filha.

Eu não gostava nada daquilo e tinha certesa que Bella também não ia gostar.

Senti o corpo de Bella enrijecer mais quando ela ouviu as últimas palavras de Jacob, ela

estava entendendo de certo que algo estava errado alí. Ela me olhou assustada e ansiosa.

Não era possível uma mudança do humor de Jacob tão de repente. Até os

minutos que antecederam o parto de Renesmee, Jacob cospia para os quatro ventos que

não concordava com a atitude de Bella, ele deixava bem claro que odiava o “monstro”

que ela carregava. Como alguém em sã consciência acreditaria em uma plena mudança

de opinião em apenas pouco mais de dois dias, uma mudança tão radical ao ponto dele

arriscar a própria pele em favor do “monstro”?

– O pescoço é seu, afinal. – Dei de ombros. Já que ele se garantia tanto, ele teria seu

teste, ele estava assumindo a total responsabilidade.

“– Sanguessuga maldito. Você está é querendo que ela o mate, não é?”, Leah rosnou

para mim.

Leah não aprovou minha atitude, mas eu não ia fazer mais nada, Jacob estava

irredutível, mas eu também não permitiria que ela fizesse nada contra Bella. Da mesma

forma que ela estava preparada, eu e meus irmãos também estávamos.

“– Estamos aqui, Edward.”, Jasper me disse em sua mente.

“– Se essa cachorra mexer mais um centímetro que seja, nos aproximaremos também.”,

Emmet me garantiu também.

“– Cuidado, Edward.”, Esme me disse preocupada.

“– Juro que vou com calma, não vou contar a ela ainda. Somente quero ter a certesa de

que ela não matará Nessie.”, ele me disse e ao encontrar o rosto de Bella sorriu.

Bella percebeu que Jacob havia sorrido para ela e retribuiu com o sorriso tímido.

Não gostei nada daquilo ... nem Leah. Claro que Bella estava feliz em rever o amigo, ela

sabia que depois da transformação, ela não ia poder manter contato com seus amigos e

familiares, pois seus olhos, as mudanças físicas e emocionais seriam muito evidentes,

principalmente no primeiro ano de sua nova vida. Mas lá estava ele, firme, controlado e

aparentemente tranquilo em sua frente, teoricamente aceitando aquilo tudo numa boa.

Por mais feliz que Bella pudesse estar a confusão e incredudibilidade era evidente em

seu rosto enquanto ela analisava aquela situação, quando Jacob sorriu mais.

“– Wow, tenho que admitir ... ela ficou ... um show.”, Jacob não conseguiu controlar

seus pensamentos e viu que não gostei. “– Desculpe.”

– Eu tenho que admitir, Bells. Você é um freak show. – Ele disse sorrindo para Bella

que retribuiu o sorriso.

– Se cuida, vira-lata. – Gruni para ele.

Bella só falou depois que uma brisa vinda de trás de nóis dois trouxe um ar

fresco livre de qualquer cheiro atraente. Ela puxou uma grande golfada de ar e falou.

– Não, ele está certo. Os olhos são realmente algo, não são? – Bella disse me

reprovando.

– Super arrepiante. Mas não ficou tão ruim quanto eu pensava. – Ele comentou.

Jacob estava se esforçando para manter a naturalidade e dar a Bella a impressão

de que poderia conviver tranquilamente conosco.

– Nossa, obrigada pelo complemento incrível! – Bella disse impressionada e Jacob

rolou os olhos.

“– Ela sempre cai na conversa desse aí.”, Emmet pensou enquanto observava tudo de

casa. Ele queria estar por perto quando Bella descobrisse.

Ele também não concordava com nada daquilo, como todos nós, mas ao mesmo

tempo se esforçava para manter-se controlado por que também sabia que era escolha de

Nessie. Ele também tinha adotado o apelido criado por Jacob.

– Você sabe o que quero dizer. Você ainda se parece com você ... mais ou menos.

Talvez não seja a aparência tanto... quanto ao fato de você ser a Bella. Eu não achei que

fosse sentir como se você ainda estivesse aqui. – Jacob se explicou e sorriu. – De

qualquer forma, eu acho que vou me acostumar com os olhos logo. – Então ele falou

demais

– Você vai? – Bella não deixou escapar.

“–Ops!”, ele pensou assim que percebeu a mancada que deu encerrando na hora o

sorriso que tinha colocado alí anteriormente. Ele encarou a reação de Bella como uma

comprovação de que eu não havia dito nada a Bella.

“– É agora. Ela vai acabar com ele ... para o nosso deleite.”, Emmet pensou. Todos

contavam com isso para vingar a atração de Jacob por Renesmee, menos Carslile e

Esme, eles não queriam violência. Eles ainda não haviam saído.

“– Edward. Não deixe que Bella o mate. Isso a deixaria infeliz depois.”, Esme me

pediu.

– Obrigado. – Jacob me agradeceu. – Eu não sabia se você seria capaz de guardar isso

dela, promessa ou não. Geralmente, você simplesmente a dá tudo o que ela quer.

– Talvez eu esteja esperançoso que ela fique irritada e arranque sua cabeça fora. – Disse

amargamente e deixe a sugestão no ar.

Jacob bufou quando ouviu minhas palavras, ele tinha a certesa de que Bella o

perdoaria, mas ele pensava em Bella humana, não como vampira, como toda aquela

mudança de humor.

“– Edward? O que você está fazendo?”, Esme me reprovou de dentro de casa.

Jacob bufou.

– O que está acontecendo? Vocês dois estão guardando algum segredo de mim? – Bella

nos pressionou. Ela olhava para meus olhos mas eu estava com os olhos fixos em

Jacob.

– Eu explico mais tarde. – Jacob se adiantou em dizer,ele tinha receio de que eu

contasse naquela hora. – Primeiro, vamos ao espetáculo. – Ele sorriu e começou a se

aproximar de nós dois.

Naquele momento a situação ficou meio tensa. Pudemos ver Leah e Seth

surgindo do meio dos arbustos seguindo paralelamente os passos de Jacob.

“– Essa não é uma boa idéia.”, Seth pensou e acompanhou o ritmo de Jacob.

“– Esse cara é mesmo doido.”, Emmet pensava enquanto observava de dentro de casa

junto com os outros, naquela hora é que pude perceber que Jacob havia pedido para que

eles ficassem para proteger Nessie.

– Estamos aqui, Edward. Qualquer passo em falso de Bella ou de Leah a gente avança

também.”, Jasper me disse em pensamento, ele estava o tempo todo monitorando os

sentimentos de todos à todo momento de dentro de casa.

“– Louco ... Idiota ... Maluco ... Inconsequente.”, Leah xingava Jacob em pensamento e

também acompanhava os passos de Jacob.

“– Calma, Leah, ele sabe o que está fazendo, ele conhece Bella como ninguém.”, Seth

disse a Leah.

“– Mas ela não é mais humana, garoto, ela agora é uma sanguessuga como todos eles,

uma assassina.”, Leah disse amargamente à Seth.

“– Edward não vai gostar nada de seus pensamentos, Leah.”, Seth a advertiu.

Seth estava correto, eu já estava cheio do mau humor e da amargura de Leah,

principalmente em relação a Bella.

Desde que soube da gravidez de Bella ela não deixou de cuspir pensamentos

amargos e maldosos para Bella e minha filha, e quando entrou na minha casa pela

primeira vez foi para dizer palavras duras e injustas para Bella no momento em que ela

estava mais frágil. Foi muito difícil me controlar naquela ocasião. Leah só se controlava

um pouco por causa de Jacob. Para ela era melhor alí com ele do que em La Push com

Sam e os outros lobos que não poupavam também ofensas contra ela, mas mesmo assim

ela não poupava os xingamentos em sua mente.

– Fiquem frios, pessoal – Jacob ordenou à Leah e Seth – Fiquem fora disso.

“– Até parece.”, Leah pensou.

“– Não mesmo.”, Seth pensou também.

Claro que eles não obedeceram, somente diminuiram o ritmo, Jacob não era um

líder duro e exigente como Sam, logo eles tinham muita liberdade naquela matilha,

faziam mais o que queriam, principalmente Leah.

Ficamos no mesmo lugar esperando que Jacob se aproximasse ... eu sentia Bella

muito tensa em meus braços. Jacob foi se aproximando num ritmo humano normal e

lento. Assim que pudemos sentir o calor que irradiava dele senti Bella arfar levemente,

sua garganta com certesa estaria queimando ... ela estava sofrendo por conta daquele

cachorro que insistiu para ter seu teste. Eu não devia ter deixado, mas devia muito a ele.

– Vamos lá, Bells. Faça o pior que puder. – Jacob disse a desafiando.

“– Louco! Ela vai te matar”, Leah pensou e assobiou.

“– Não vai, Leah. Os vampiros repelem o nosso cheiro.”, Seth disse a Leah em

pensamento.

“– Mas nós temos sangue quente, idiota. Ela é uma recém-nascida como aqueles loucos

da clareira, esqueceu?”, Leah respondeu e o lembrou.

“– Não esqueci, mas Bella é nossa amiga. Ela não vai matá-lo.”, Seth disse. Ele tinha

quase certesa daquilo, confiava no julgamento de Jacob.

Bella vacilou, não se mexeu nem respirou. Ela parecia bem receosa daquilo.

– Estou envelhecendo aqui, Bella. – Jacob brincou para aliviar a tensão. – Tudo bem,

tecnicamente não, mas você pegou a idéia. Vamos, dê uma fungada.

– Me segure. – Bella me pediu e contraiu mais seu corpo se apertando em mim.

Eu controlei o desejo de Bella naquele momento dando atenção somente à sua

segurança. Apertei mais meus braços em volta dela esperando uma reação forte da parte

de Bella. Apesar do fedor que os lobos exalavam, Leah tinha razão em um ponto pelo

menos, Bella era uma recém-criada e o sangue úmido e quente de Jacob poderia deixála

descontrolada.

Bella então inspirou um pouco pelo nariz pela primeira vez e se encolheu, seu

nariz se enrugou assim que ela sentiu o cheiro forte. Ela não tinha gostado. Alívio foi o

que eu e Jasper sentimos, ele sentiu a repulsa de Bella assim que o ar carregado do

cheiro de Jacob invadiu as suas narinas e seu cérebro.

– Eca. Posso ver o que todo mundo estava falando. Você fede, Jacob. – Bella disse

muito enojada e um tanto aliviada.

Foi muito engraçado, eu dei uma gargalhada e soltei os braços de Bella, mas

mative minhas mãos em sua cintura, claro. Todos relaxamos, até mesmo Leah ficou

mais tranquila mas não se aproximou, pelo contrário, se afastou mais já que ela não

precisava ficar alí para proteger Jacob.

“–Vou embora, a ameaça está sob controle”, ela pensou e se afastou.

Seth deu uma latida baixa parecendo mais uma risada e se aproximou de nós.

Emmet não estava se aguentando mais e dava altas gargalhadas dentro de casa

chamando a atenção de Bella.

– Olha quem está falando. – Jacob disse fazendo uma careta e coçando o nariz.

– Eu te amo. – Disse no ouvido de Bella.

Bella era realmente especial ... perfeita. Nenhum recém-nascido resistiria ao

sangue quente dos lobos por mais repulsivo que fosse seu cheiro, mas ela era diferente,

com certesa. Ela sempre me impressionava, desde o primeiro dia em que a vi na escola,

desde o nosso primeiro beijo, sua coragem e até mesm frieza em encarar as coisas

sempre me deixava sem palavras. Naquele momento eu tinha a certesa de que Bella

poderia e conseguiria resistir ao ver nossa Renesmee.

– Ok, então eu fui aprovada, certo? – Bella disse. – Agora você vai me dizer qual é o

grande segredo? – Ela pressionou e a tensão no ar voltou no mesmo momento.

– Não é nada que você precise se preocupar neste segundo... – Jacob disse meio

nervoso.

“– É agora! Ela vai acabar com ele.”, Emmet pensou e soltou outra gargalhada.

“– Droga Emmet.”, Jacob pensou.

“– Shhhh.”, Esme pensou e fez sinal para que ele ficasse quieto.

Bella se virou para onde o som da gargalhada de Emmet veio, para nossa casa e

arregalou os olhos. É claro que ela estava se concentrando em ouvir e logo percebeu a

presença de todos dentro de casa, inclusive o som do coraçãozinho de Renesmee.

– Renesmee. – Bella sussurou e ficou tensa.

“– Não ...”, Jacob gritou em sua mente.

– Venha e veja. – Murmurei para ela. – Eu sei que você pode lidar com isso.

– Você vai me ajudar? – Bella susurrou para mim bem tensa.

– Claro que vou. – Garanti a ela.

– E o Emmett e o Jasper ... só por precaução? – Ela me pediu mais garantias.

– Nós vamos cuidar de você, Bella. Não se preocupe, nós estaremos preparados.

Nenhum de nós colocaria Renesmee em risco. – Disse para ela mas foi um recado para

Jacob também. – Eu acho que você ficará surpresa de como ela já nos tem

completamente envolvidos em suas mãozinhas. Ela ficará perfeitamente a salvo, não

importa o que aconteça.

Bella se sentiu mais segura depois de ouvir as minhas palavras, ela assentiu

levemente e abriu um sorriso pequeno e tímido no canto da boca. Bella virou o rosto

para a direção da casa e deu o primeiro passo que a levaria para nossa filha, mas Jacob

ficou na sua frente, impedindo que ela continuasse.

“– Ah! Aí já é demais.”, pensei irritado. Já estava cansado daquela atitude de Jacob, ele

já não tinha tinha tido provas o suficientes?

– Você tem certeza, sugador de sangue? – Jacob queria minhas garantias. “Por favor,

ela pode atacar Nessie. Não é melhor esperar? – Eu não gosto disso. Talvez ela devesse

esperar...

– Você já teve seu teste, Jacob. – Disse firme a ele. Eu havia cumprido a minha

promessa.

– Mas... – Jacob ia argumentar mas eu não permiti.

– Mas nada. – Disse irritado. – Bella precisa ver nossa filha. Saia do caminho dela.

“– Não vou ficar de longe vendo acontecer, vou ficar ao lado de Nessie e você não vai

me impedir.”, ele me disse em pensamento, se virou e correu para dentro de casa.

Gruni para ele irritado. Não ia permitir que ele estragasse o momento de Bella, o

nosso momento com nossa filha.

– Podemos? – Disse gentilmente para Bella e essa assentiu.

Bella parecia muito nervosa mas segurou a minha mão com força.

Seguimos então em direção à nossa casa ...

Em direção ao reencontro com nossa filha.

Nenhum comentário: