domingo, 2 de janeiro de 2011

Amanhecer de Edward Cullen- Capitulo 5

Pré- Natal

No aeroporto mesmo nos separaram.

Emmet me rebocou para o jipe enquanto Carslile levou Esme, Rosalie e Bella no

Mercedes. Ela saiu do aeroporto levada no colo de Rosalie por sua livre vontade. Ela

confiava que Rosalie a ajudaria na loucura de levar a gravidez do monstro à diante. Eu,

por outro lado queria matar Rosalie e só não o fazia por consideração a Esme e Emmet.

– Por que vocês estão acobertando essa loucura? – Gritava com Alice e Jasper no jipe.

Eles estavam no banco da frente enquanto Emmet me mantinha preso no banco de trás.

– Eu não concordo com isso, Edward. Mas foi decisão dela. Esme a está apoiando e

Carslile não pode ir contra ela ... entenda. – Disse Alice.

– Como não. Ele sabe que isso é uma loucura. Vai matá-la. – Eu continuava gritando. –

Eu preciso falar com Bella, dissuadi-la dessa decisão. Me deixem sair daqui.

Eu estava completamente transtornado e desesperado. Emmet me mantinha

preso e quando Jasper se virou, antes de seguirmos para casa eu vi sua intenção, usaria

todo seu poder. Ele apenas me tocou e eu apaguei.

Fiquei inconciente até chegarmos perto de casa, quando ... acho, que ele me

despertou. Na garagem Carslile me esperava ansioso. Eu saí do carro mais calmo e fui

falar com ele. A mente de Carslile estava serena, mas muito preocupada.

– Calma, Edward. Vamos conversar um pouco antes de você subir. – Ele me disse.

– Eu preciso ver Bella, pai. Por favor.

– Edward! – Ele me repreendeu. Isso não era uma coisa normal de Carslile. Tive que

aceitar.

– Ok. O que você quer me dizer?

– Vamos correr um pouco. Por favor me siga, ok? – Ele me olhou esperando uma

resposta que não saiu. – É sério, filho. Precisamos conversar à sós. – Na mente dele

“Isso é coisa particular. Tenho certesa que precisaremos de privacidade. Me siga, por

favor, meu filho.”

– Ok. Mas não vamos demorar. – Me virei para Alice e pedi. – Cuide dela por mim?

– Claro. Nem precisava pedir. – Ela me respondeu.

Segui Carslile até o rio e ele saltou. Fui atrás dele até quase Seatle. Não entendi

porque ir tão longe, ele só precisaria pensar para me dizer o que ele queria falar. Carslile

parou então no meio da floresta e se virou para conversarmos.

– Edward. Você sabe como Esme ainda sofre pela perda de seu bebê, não sabe? –

Carslile então começou.

– Sim, e daí? – Respondi seco e meio sem entender.

– Bem. É mais ou menos por aí minha linha de pensamento. Esme entende o instinto

materno que brotou em Bella.

– Mas é diferente, Carslile. Bella carrega um monstro! – Eu gritei com ele, como se isso

não fosse obvio.

– Não é diferente, Edward. Pare para pensar. Bella acredita que carrega um filho ... e

além, um filho seu, meu filho. – Ele viu na sua mente meu rosto humano naquela hora.

– Não! É um monstro. Não sabemos o que é. – Eu me desesperava a cada segundo

vendo que Carslile não me ajudaria a tirar o monstro de dentro de Bella.

– Há a possibilidade de ser humano, Edward. – Ele tentou especular.

– Mas também não há. – Eu retruquei.

– Bella te ama. Você não pode imaginar que ela amaria um filho seu? Pense, Edward!

– Se eu tivesse certesa do que é ... do que aconteceria eu amaria também, mas não posso

simplesmente amar algo que a está matando.

– Não sabemos ainda o que acontecerá. – Ele ainda não sabia das lendas.

– Entenda Carslile. Antes de sairmos da ilha, Kaure, esposa de Gustavo foi à ilha. Ela é

Ticuna e já estava muito cismada. Quando viu Bella chorando e colocando a mão sobre

o ventre confirmou suas dúvidas. E eu vi na mente dela o que acontecerá! O monstro a

consumirá e a matará para sair dela.

– Nunca ouvi falar nisso, Edward. Só pode ser lenda. – Ele não queria aceitar.

– Pense você agora, Carslile. Se for um vampiro ... como será o seu nascimento? Ele a

vai dilacerar para sair, como eu vi na mente de Kaure. Não posso permitir ... não posso

perder Bella. – Quando as lembranças de Kaure vieram a minha mente não consegui

me segurar de pé. Meus joelhos cederam.

– Calma, Edward! – Carslile disse com a mão no meu ombro. Ele nunca tinha me visto

daquele jeito. Ficou muito assustado com meu desespero.

– Não posso perdê-la de novo ... Não suportarei, pai. Por favor me ajude nisso. – Eu

dizia com as minhas mãos tapando meus olhos, tentanto tirar a imagem da lembrança

da mente de Kaure da minha mente.

– Vou tentar conversar com Esme, mas não prometo nada, ok? Esme pode ser uma

vampira, mas é mulher ... e mais, ela já foi mãe. – Pelo menos ele me deu alguma

esperança.

– Por favor ... tente. – Implorei de novo.

– Eu vou tentar, mas temos tempo para isso. Você precisa voltar mais calmo.

– Não temos tempo. – Disse me levantando rapidamente, olhando para Carslile. –

Segundo o que eu pude descobrir com Kaure, o monstro se desenvolve rapidamente, e

logo será impossível romper a camada que o envolve. – Passei agora as informações

para o médico, tentando persuadí-lo por esse lado.

– O que? Como assim? – O médico Carslile se manifestou.

– Você com certesa já percebeu isso, Carslile. Ele se desenvolve exponencialmente.

Bella parece estar bem mais grávida do que o normal ... claro. Você notará a diferença

só nesse tempo em que estamos aqui. Se for mesmo um vampiro, como eu tenho certesa

disso, sua constituição será como a nossa, dura e impenetrável e ...

– Impossível de ser rompida. Apenas .... – Ele completou.

– Com as presas. Entende agora meu desespero? Preciso persuadi-la de algum jeito a

interromper isso logo, antes que seja tarde. – Eu completei. Já me virando para voltar

para casa.

– Ok. Mas me escute mais um pouco. – Ele disse segurando em meu braço. – Edward,

você precisa entender uma coisa antes de entrar lá.

– O que? O que tem mais? O que está acontecendo, Carslile? – Disse ansioso e

preocupado. Minha mente parecia não assimilar tantas coisas nessas últimas 24 horas.

– Calma, Edward. Nunca te vi assim. – Eu tentei passar para ele um ar de controle e ele

esperou. – Bella está sobre uma pressão muito grande. Eu pude presenciar seu

descontrole no carro e ao chegar em casa. Sob pressão ela quase desmaia. Pode ser

psicológico ou reação ao seu estado. – Pude ver a imagem na cabeça de Carslile mas

tentei me controlar. – Ela precisa de você agora mais do que nunca. Você precisa estar

com ela calmo e controlado. – Eu prometi para mim mesmo que ... por ela, faria tudo. –

Entendo que você queira interromper a gravidez, mas temos que ser cautelosos, não

temos certesa de nada. Quando chegarmos em casa eu preciso de sua ajuda para

convencer Esme e Rosalie a me deixarem examinar Bella. Elas estão relutantes, mas só

por conta da promessa que fizeram a Bella. Elas prometeram ajudá-la a te impedir, claro

sem violência. E mais ... Bella as fez prometer que ... cuidariam da “criança”... caso

aconteça algo com ela. Caso o seu veneno não consiga salvá-la. – Carslie foi dizendo

tudo calculando bem as palavras.

– Ela desmaiou, Carslile? – Perguntei sério olhando nos olhos de meu pai e lendo sua

mente.

– Sim ... Quando chegamos ela quiz ir para o quarto de vocês, assim que entrou

desmaiou. Ainda bem que Rosalie estava com ela e me chamou. Não sei dizer o que

desencadeou, mas foi algo forte. – Bella deve ter lembrado da noite em que aceitou se

casar comigo. Foi uma noite marcante para nós dois.

– Onde ela está agora? – Queria saber qual era meu destino.

– Eu a deixei no quarto de vocês. Mas ela estava estável.

– Ela ainda não tinha despertado?

– Sim, mas estava muito cansada. Eu falei que era melhor ela ficar em repouso, devido

ao seu estado e ela não discutiu comigo. – Claro, ela não ia querer fazer mal ao

monstro.

– Precisamos voltar agora. – Esse foi o meu limite.

– Ok.

Corri mais rápido que Carslile. Queria logo chegar em casa. Entrei pela porta

dos fundos assim que saltei o rio. Emmet ficou me olhando mas não me impediu de

passar, nem Jasper, Alice ou Esme. Quando cheguei na porta de nosso quarto, Rosalie

ficou na minha frente, impedindo a minha entrada.

– Saia da minha frente Rosalie. Não quero machucá-la.

– Você não ousaria. – Ela me desafiou.

– Não me provoque sua assassina. – Eu a insultei baixinho para que Bella não ouvisse.

– Você é que será isso se fizer algo com Bella e o bebê. – Ela disse num tom de voz

normal. Não se preocupou com Bella.

– Ela é minha esposa. Nunca faria mal algum a Bella e você sabe muito bem disso.

Preciso conversar com a minha esposa, você poderia nos dar licença? – Pedi o mais

educadamente possível.

– Deixe ele entrar, Rosalie. – Pediu Bella. Ela estava deitada na nossa cama, pálida e

levemente mais arredondada.

– Tem certesa? – Rosalie quiz confirmar com Bella.

– Claro que ela tem. – Disse passando por Rosalie. Logo que entrei me virei e fechei a

porta na sua cara. “Fique fora”, pensei.

Quando me virei vi que Bella chorava. Fui correndo para me ajoelhar ao seu

lado e enxugar suas lágrimas com um beijo. Não queria que ela sofresse e fiz o possível

para seguir as recomendações de Carslile. Ela não poderia se estressar. Teria que ser

uma conversa calma e controlada. Eu poderia fazer isso, por ela ... sempre por ela.

– Não chore, meu amor. Eu estou aqui com você agora. – Disse a tranquilizando e

segurando seu rosto entre minhas mãos.

Bella estava mais frágil que nunca. Eu conseguia ver a mudança desde a nossa

saída da ilha até aquele momento. Ela estava mais pálida. Tinha manchas roxas sobre os

olhos e seu rosto estava mais fino.

– Eu não quero que você sofra, Edward. – Ela me disse e tocou minha testa que deveria

estar muito enrugada.

– E eu não quero perder você, minha Bella. – Disse e beijei sua boca suavemente para

não mexer demais com ela.

– Por favor me entenda. Não posso matá-lo. Ele é nosso bebê, fruto do nosso amor. Não

me importo se ele for humano ou vampiro. Ele é nosso ... é meu bebê e eu o amo ...

tanto como amo você. – Ela tocou o ventre e depois meu peito, no lugar onde meu

coração deveria bater.

– Isso é muito arriscado, meu amor. Entenda. Você é muito frágil.

– Eu vou ser forte o suficiente para ... para aguentar até ... até você me salvar. – Ela foi

dizendo calculando as palavras e as minhas reações.

– Você não acredita que vai sobreviver, não é? – Disse segurando a vontade de gritar.

Eu sofria muito por dentro.

– Eu acredito que você me salvará. Eu ia ser vampira mesmo. Só que serei mamãe

vampira. – Ela disse com um sorriso no rosto.

Eu fiquei muito chocado quando ouvi suas palavras. Não conseguia me mexer.

Minhas mãos caíram ao meu lado. Ela sabia que não sobreviveria como humana, ela

esperava pelo pior contando com a pequena chance que meu veneno a salvasse. Ela

preferia morrer e me deixar a salvar o monstro.

– Edward. – Ela me chamou mas eu não conseguia nem piscar. – Edward! Edward! ...

Carslile! – Como eu não conseguia reagir ela apelou para meu pai que apareceu

rapidamente.

– O que houve, Bella? – Eu ouvia Carslile, mas não me mexia. Todos vieram depois

dele.

– Carslile! Ele está em choque como na ilha. O que eu faço?

Bella disse e tentou se levantar na minha frente, foi o que me despertou.

– Não morra, Bella ... não faça isso conosco. Eu te amo. – Eu me levantei e a abracei

sob nossa cama.

Não me importei com todos nos observando, não me importei em implorar por

ela. Todos sabiam do meu amor por Bella. Minha reação desencadeou lágrimas e

soluços nela. Senti Bella sofrer em meus braços, até que ela desmaiou novamente. Me

desesperei.

– Carslile! – Chamei por meu pai.

– Calma, Edward. – Ele disse e logo se aproximou. – A minha maleta. – Mas antes dele

terminar, Alice já estava com ela em suas mãos entregando a ele.

– Seu idiota. O que você fez? – Disse Rosalie, se aproximando de Bella e tocando em

sua testa.

– Tire suas mãos dela! – Gritei com Rosalie e na mesma hora Emmet me deu um aperto,

impedindo uma possível reação mais forte de minha parte. – Me solte Emmet. Não vou

matá-la. – E ele só me soltou depois de olhar para Alice e essa assentir. Alice não via

perigo.

Jasper atenuou minhas emoções enquanto Carslile passava um frasco com um

líquido de cheiro forte próximo ao nariz de Bella, com intuito de despertá-la, o que não

tardou. Jasper contornou a cama e tocou na mão de Bella. Ele estava ajudando, tentava

acalmá-la para que despertasse lentamente. Vi na mente dele o que Bella sentiu.

– Não vou mais fazer aquilo, me desculpe. – Disse a ela, assim que seus olhos se

abriram e eu toquei em seu rosto. Uma pequena lágrima ainda se formou, mas ela

sorriu quando me viu. Eu já estava ajoelhado ao seu lado e acariciando sua face.

– Eu te amo. – Ela me disse baixinho. – Me beije, Edward. – Ela pediu e eu atendi. –

Estou com sono. – Ela me falou baixinho ainda e seus olhos estavam meio abertos

somente.

– Vamos deixá-los. – Pediu Carslile.

– O que? Deixá-la com ele? Não ... nem pensar. – Retrucou Rosalie.

– Rosalie. – Chamou Alice. – Não há perigo. Ele não vai machucá-la. Vamos.

– Vamos Rose. – Emmet pegou a mão de Rosalie querendo que ela o acompanhasse

mas ela estava relutante.

– Isso, vamos Rosalie, deixe que Bella durma. Eles precisam de um tempo. – Disse

então Esme e Rosalie se rendeu.

Esme estava sofrendo muito por mim, mas não voltava atrás. Ela ficaria ao lado

de Bella até o final. Todos foram saindo. Alice foi a última mas antes olhou novamente

para nós e me deu uma piscadinha. Ela estava do meu lado na história e Jasper também.

– Obrigado. – Disse a Alice.

– De nada. Cuide de sua esposa. – Ela me disse a fechou a porta.

Eu tinha certesa de que Rosalie estava o tempo todo de ouvidos aqui, mas não

me importei. Eu nunca dava privacidade a eles.

– Como você está se sentindo? – Perguntei ainda ajoelhado ao lado de Bella.

– Estamos bem. – Ela disse no plural. Ela quiz dizer que os dois, ela e o monstro,

estavam bem. Eu me controlei e vesti a máscara de tranquilidade. Era preciso. – E

você?

– Eu estou bem. Me desculpe, ok? Não vou mais fazer aquilo com você. Não foi justo.

– Eu já disse que te amo? – Ela me disse sorrindo e eu retribuí, isso a fez corar, e foi

bom.

– Ainda está com sono? Quer que eu cante para você?

– Sim, eu quero. Estou com sono.

– Ok. Vou mudar de roupa e já volto. Não demorarei, ok? – Disse e beijei sua testa.

Antes de uma batida de coração eu já estava de volta. Me deitei ao seu lado e ela

se aconchegou em meu peito abrindo minha blusa para me tocar. Ela gostava de dormir

sempre sobre meu peito nú na ilha. Aquela foi a primeira vez que senti sua barriga

inchada.

Estava frio. “Acho que vou ter que providenciar aquecimento para cá. Ela

ficará com frio com essas janelas de vidro.”, pensei, mas ao olhar no canto do quarto

um aquecedor já estava instalado. “Alice”, pensei e ela me respondeu em pensamento,

no andar de baixo “De nada. Assim que as coisas aconteceram providenciei várias

coisinhas para vocês. Cuide dela, o aquecedor ligará daqui há 1 minuto.”.

Assim que eu comecei a cantar para Bella o monstro se mecheu dentro dela. Ela

sentiu um cutucão e eu também, meu corpo se enrijeceu mas Bella não se incomodou.

Alisou a barriga suavemente.

– Calma bebê. É só o papai cantanto. – Ela disse amorosamente para o monstro e sorriu

para mim. Eu não disse nada. Só a aconcheguei no meu peito.

– Durma, meu amor. Descanse. Eu estarei aqui com você. – Disse e fiquei quieto

esperando ela dormir.

– Cante para mim. – Ela pediu baixinho quando percebeu que eu fiquei em silêncio.

Fiz o que ela me pediu e o monstro se manifestou de novo, mas eu não parei.

Bella ficou acariciando a lateral da barriga até que o monstro parou e ela dormiu

também. Fiquei a noite toda pensando e cantando para que ela não tivesse pesadelos, e

como desde a primeira noite na ilha, Bella não falou.

Eu precisava reverter a situação mas estava complicado. Não era uma coisa que

eu poderia resolver sozinho e só podia contar com a minha família. Na verdade somente

Alice e Jasper me ajudariam, mas de nada serviria se Carslile não apoiasse. Eu estava

derrotado então.

O que eu poderia fazer? O que eu poderia fazer por ela?

Bella estava em meus braços dormindo tranquilamente quando às 4 da manhã

ela foi despertando lentamente. Ouvi seu coração batendo mais rápido quando ela estava

quase desperta. Bella sorriu quando eu fui a primeira coisa que ela viu.

– Bom dia. – Ela me disse.

– Bom dia meu amor. – Disse e a beijei.

O corpo de Bella enrijeceu e ela arfou. Levou então a mão à boca com os olhos

esbugalhados. Rapidamente eu a peguei no colo e corri com ela para meu banheiro.

Bella vomitou muito e eu ajudei segurando seu cabelo e apoiando seu corpo. Logo não

estávamos mais sozinhos. Rosalie e Carslile estavam lá para ajudar.

– O que aconteceu? – Perguntou Carslile.

– Não sei. Ela dormiu tranquilamente, mas mau acordou passou mal.

– Enjôo matinal. Normal na gravidez humana. – Ele falou já pensando como médico. A

mente de Carslie trabalhava sem parar.

– O que podemos fazer para ajudar? – Perguntou Rosalie, preocupada com Bella.

Todo aquele ódio que Rosalie sentiu quando Bella tomou a decisão de se juntar a

mim, com a minha promessa de transformá-la depois da Lua de Mel desapareceu.

Rosalie passou a ver Bella de uma outra forma depois do pedido pela sua ajuda. Ela viu

que Bella a entendia e uma amizade surgiu naquele momento. O fato de Rosalie tê-la

tratado mal desde o início, de ter me contado o equivoco de sua morte, não foram

problemas para Bella no momento em que ela escolheu sua aliada.

Assim que Bella melhorou a peguei no colo, ela ficava o tempo todo com a mão

sobre a barriga e o rosto deitado no meu ombro. Ela estava muito cansada.

– Você está bem querida? – Rosalie perguntou amavelmente a Bella quando eu a

coloquei na cama.

– Estou Rose. Obrigado. – Bella disse sorrindo para Rosalie.

– Está precisando de algo ... privacidade? – Ela disse para Bella mas olhando para

mim. Rosalie queria que eu me afastasse de Bella.

– Não, Rose. Está tudo bem. Estamos bem. – Bella disse a tranquilizando.

– Você quer que eu saia, Bella? Não se preocupe comigo, o importante é você estar

bem. – Disse, mesmo não querendo ficar longe dela, mas se fosse o melhor eu faria por

ela ... sempre por ela.

– Não! – Ela ficou nervosa e começou a ofegar.

– Calma, amor ... eu não vou, eu não vou ... Veja, eu estou aqui. – Disse subindo na

cama e a trazendo para meu peito. Eu acariciava sua face e beijava seu cabelo. Sabia o

efeito do meu cheiro e do meu toque para ela.

– Não diga mais isso ... nunca. – Ela me dizia me abraçando e beijando no pescoço.

Não pude mais me afastar dela desde então.

Rosalie nos deixou e Bella logo adormeceu. Ficou assim por quase o dia todo e

quando acordou vomitou de novo. Essa rotina se seguiu por uns 2 dias. Bella dormia por

mais de 8 horas, acordava e vomitava, ia ao banheiro, eu tomava banho com ela e

observava seu corpo mudando. Eu fiquei ao seu lado o tempo todo sofrendo em silêncio,

por que cada vez que eu me manifestava contra ou ela via que eu sofria, principalmente

quando ela vomitava por causa da gravidez do monstro ela parecia piorar.

Nos momentos em que Bella estava dormindo profundamente, Carslile vinha

examiná-la, sempre sob os olhares atentos de Rosalie e Esme. Elas quase não se

ausentavam. Era visível sua barriga crescendo, o monstro se desenvolvia muito rápido.

Bella quase não conseguia mais se alimentar, e sempre que tentava só aguentava

por alguns minutos. A única coisa que mantinha em seu corpo eram ovos.

– Você precisa se alimentar, querida. – Esme dizia. – O que você gostaria? Diga que

providenciamos.

– Não sei se conseguirei. Vou acabar vomitando de novo. – Ela respondia.

– Você precisa tentar, Bella. Pelo bebê. – Era o que Rosalie dizia que a incentivava.

– Ok. Ovos, então. – Bella dizia e olhava para mim. Ela adorava comer ovos na ilha.

Eu sempre fazia para ela.

– Entendi. Já volto. – Eu dizia e ia para a cozinha enquanto Rosalie ficava tomando

conta dela.

Carslile não concordava com a dieta, achava muito pesado para seu estado, mas

como nada parava no estômago de Bella somente os ovos, ele teve que ceder. A cada

dia a barriga de Bella ia crescendo e Alice se afastando. Não sabíamos o que estava

acontecendo, mas as visões de Alice em relação a Bella iam desaparecendo. Alice se

sentia muito mal, era como uma dor forte na cabeça, então ela manteve a distância.

Bella não gostou.

– Onde está Alice e Jasper? – Ela me perguntou uma vez.

– Caçando. – Eu respondia, mas às vezes eu dava outras desculpas, não queria que

Bella se preocupasse.

Carslile foi calculando até quando Bella carregaria o monstro e no início pensou

em cerca de 2 meses, mas depois do quarto dia ele teve que mudar sua meta. Cada dia

da gravidez de Bella correspondia a quase 15 dias de uma gravidez normal e isso estava

acelerando.

– Charlie deve estar preocupado conosco. Não demos notícias a ninguém desde o

casamento. – Bella me falou, ela estava preocupada com o pai. Ela não falava muito,

mas depois disso eu percebi sua preocupação.

– Vamos cuidar disso. Não se preocupe. – Eu tentava sempre a manter tranquila.

– Não diga que eu morri, ok? Dê uma outra desculpa. Cuidaremos disso depois, por

enquanto não sabemos o que vai acontecer. – As palavras dela pintaram em minha

mente um quadro horrendo e eu sofria com isso. – Aliás, eu quero sair desse quarto.

Não estou doente.

– Aqui você terá mais conforto, Bella. – Eu tentava convencê-la mas não conseguia.

Rosalie logo passou a minha frente e levou Bella nos braços para a sala, alí

ficávamos todo o dia. Somente à noite eu convencia Bella de voltar para o quarto,

dizendo que teríamos mais privacidade. Ela concordava. O estado em que Bella se

encontrava nada vez com seu apetite sexual. Ela queria mas eu recusava, somente

mantinha as carícias mais inocentes e a deixava dormir sobre meu peito nú. Ela já estava

fraca demais e eu não tinha ânimo nenhum, só queria que ela sobrevivesse. As roupas

de Bella já não cabiam mais, ela foi usando as emprestadas.

Eu ia definhando junto com ela. Não podia me afastar muito por que seu estado

piorava. Sair para caçar nem pensar. Estávamos na sala quando Carslile me chamou em

sua mente. Pedi que Rosalie ficasse com Bella e fui para o escritório de Carslile.

– Você precisa ir, Edward, você precisa caçar, se fortalecer, meu filho. – Carslile me

disse quando meus olhos estavam negros.

– Não, obrigado. Preciso ficar com ela.

– Ok. Eu entendo. – Ele me disse agora mais triste. Carslile estava muito preocupado

com Bella e comigo também. Ele sabia exatamente o que eu faria se Bella não

sobrevivesse. Precisava mudar de assunto, antes que ele viesse com essa conversa, isso

estava martelando em sua mente.

– Charlie. – Foi só o que bastou para mudar os pensamentos de Carslile.

– Sim. Já passou tempo demais.

Decidi com Carslile, então, que já estava na hora de falar algo para Charlie. Ele

ligava todos os dias perguntando por notícias, não aceitava as desculpas maldosas de

Alice. “Deixa eles, Charlie. Eles estão em Lua de Mel.”, ela disse para ele no dia que

chegamos. Charlie achava que já devíamos ter dado alguma notícia. Como já se

passavam 4 dias da nossa chegada, Alice já estava vendo que Charlie estava tomando a

decisão de vir aqui, então resolvemos ligar.

– Bom dia, Charlie. – Carslile disse ao telefone. – Temos notícias, mas sinto muito, não

são muito boas. Eles voltaram assim que Edward notou que Bella não estava bem. Eu a

examinei e a coloquei em quarentena, na verdade os dois estão. Eu os mantenho

afastados de todos no quarto. – Carslile foi direto, sem rodeios e nem deixou Charlie

falar. – Ela pegou uma infecção no Brasil e preciso tratá-la. Farei o possível, acredite,

mas Bella não poderá receber visitas. Se for preciso a levarei para um Centro de

Controle de Doenças Infecciosas, tenho contatos lá. – Carslile ficou em silêncio

enquanto ouvia Charlie e eu ouvia também em sua mente:

“–O que? Bella está doente? Por que não me avisaram logo? Estou indo para aí

agora.” – Charlie se desesperou no telefone mas Carslile o impediu de vir aqui.

– Você não poderá vê-la. Eles estão em quarentena. Somente eu entro lá.

“– Isso é um absurso Carslile. Ela é minha filha.”

– Eu sei, Charlie. Ela mesma pediu para que eu te dissesse que está tudo bem.

“– Por que ela mesma não ligou?”

– Ela está dormindo agora. Está muito cansada. Edward está bem, e está cuidando dela.

“– Ela é alérgica a picadas de insetos. Será que foi isso?”

– Provavelmente, mas estou esperando o resultado dos examente e te mantenho

informado. Assim que Bella acordar eu peço para que ela te ligue. Eu prometo isso.

“– Cuide de minha menina doutor. Ela é tudo que eu tenho.”

– Cuidarei Charlie ... cuidarei. – Nesse momento vi o remorso corroendo Carslile.

– Foi o melhor a fazer. – Disse para Carslile.

– Eu sei.

Nessa hora ouvi o coração de Bella palpitando forte. Corri para a sala junto com

Carslile. Assim que cheguei Bella estava vomitando de novo. Rosalie a estava

amparando e Bella parecia mais pálida. “Ela piorou quando eu saí.” Tinha que evitar

isso a todo custo.

– O que houve? – Perguntei a Rosalie.

– Você demorou muito, ela estava preocupada. Não disse nada mas não tirava os olhos

da escada. – Ela me respondeu como um repreendimento.

– Desculpe, amor. Fui só falar com Carslile. Já estou de volta. – Fui logo para perto

dela. Me ajoelhei aos seus pés como pedindo perdão, mas fazendo ao máximo para

esconder a agonia que me consumia, isso só pioraria a situação de Bella.

– Você demorou. O que está acontecendo? O que você está me escondendo, Edward? –

Ela foi falando e ficando mais nervosa.

– Calma, amor. Está tudo bem. Shh. – Eu disse acariciando seu rosto. – Nós só

decidimos ligar para Charlie e passar uma história para ele. Ele agora sabe que

chegamos, mas pensa que estamos de quarentena. Ganhamos tempo. Só isso. Está tudo

bem. Eu não sairei mais de perto, ok? – Fui falando e acariciando seu rosto mas ela

não se acalmava. Arregalou seus olhos e levou a mão à boca. Ela queria vomitar

novamente. Rosalie então pegou a bacia que já estava posicionada para Bella.

Essa era nossa rotina. Bella aumentando a cada dia, vomitando cada vez que

ficava mais nervosa ou estressada e eu não podia me afastar dela por mais de 5 minutos.

– Ok. Desculpe. Só senti saudades. – Ela me disse tocando meu rosto. Suas mãos

estavam mais frias que o normal.

– Você está com frio. Precisa de alguma coisa? Não esconda nada Bella.

– Está tudo bem. – Ela me disse, mas não acreditei. Fiquei olhando em seus olhos até

que ela se rendeu. – Ok. Estou com um pouco de frio. Pode pegar algum casaco para

mim?

– Deixa que eu vou. – Disse Rosalie, já correndo para nosso quarto. Assim que voltou

veio com as mãos vazias. – Nenhum dos seus casacos vão dar em você.

– Acho que tenho algum para ela. – Disse Emmet que estava sentado assistindo um jogo

qualquer na TV. – Espera aqui que vou buscar. Nada de sair correndo por aí, irmãzinha.

Emmet então foi rapidamente e trouxe um moletom para Bella. Ficou enorme,

mas Bella se sentiu quente logo. Emmet achou graça e gargalhou ao ver Bella com

aquele casacão. Era apenas uma forma de animá-la um pouco, vi isso na mente dele.

“Segura a onda, cara. Vai dar tudo certo, de uma forma ou de outra. Ela só não pode

se estressar. A gente tem que levantar a moral dela ... e a sua. Cara, já se olhou no

espelho? Vc tá horrível.” Eu não estava preocupado comigo.

Naquela noite, quando fomos para nosso quarto, Bella pediu para ir ao banheiro

antes de dormir como fazia todas as noites desde que chegamos. Ela disse que se sentia

bem para ir sozinha, caminhando mas eu não deixei. A levei no colo e saí. Bella

demorava demais e eu comecei a ficar preocupado.

– Bella? Está tudo bem? – Bati na porta mas ela não respondeu, eu ouvia seu coração

acelerando. – Bella! Está tudo bem, amor? Bella!

Ela não respondeu então eu entrei. Ela estava com os olhos fixos no espelho com

a blusa levantada. Sua barriga estava com algumas manchas arroxeadas. Ela olhava

fixamente e uma lágrima caiu.

– Amor ... olha pra mim, Bella! – Peguei seu rosto entre minhas mãos. – Você está

sentindo dor, amor? Me fale? – Eu sentia muita dor, era como se uma estaca estivesse

sendo empurrada dentro do meu peito.

– Não ... ele só é um pouco forte ... – Ela mentiu.

– É por isso que não tomamos banho juntos ontem? É isso que você estava me

escondendo? – Eu não queria te fazer sofrer. Ele só é forte, só isso...

– Bella, isso não vai acabar bem. Me deixe fazer alguma coisa ... Eu te amo e não quero

te perder.

– Você não vai me perder. Você vai conseguir ... eu sei disso. Nós sabemos. – Bella

então tocou em sua barriga e o monstro se mexeu muito.

Bella começou a vomitar de novo, mas dessa vez foi pior, seu corpo dava coiçes,

ela estava sufocando. Eu gritei por Carslile que logo chegou com Jasper ao seu lado

para ajudar. Rosalie chegou logo atrás.

– O que você fez com ela seu Idiota! – Rosalie chegou me acusando mas eu não lhe dei

importância. Só me importava com Bella..

Assim que Bella parecia melhor, a peguei no meu colo e levei para cama.

Carslile media sua pressão e Rosalie media sua temperatura. Tudo era observado. Todas

as reações, medidas de sua barriga, seu batimento cardíaco. Tudo era levado em conta

para que pudéssemos avaliar seu estado. Bella cooperava mas escondia muito quando

sentia dor.

Eu fazia de tudo para ficar firme ao seu lado, mas em alguns momentos ficava

mais complicado. Eu tinha que achar uma solução, precisava de ajuda externa e só podia

contar uma pessoa capaz de persuadi-la ... Jacob. Eles tinham uma ligação muito forte e

somente ele poderia me ajudar. Eu pensei que quando Charlie ficasse sabendo de nossa

chegada e do estado de Bella, contaria logo para Jacob, mas isso não aconteceu. Se

demorasse mais eu teria que dar um jeito de contactá-lo, mas ainda não sabia como. Não

podia me separar dela sem piorar seu estado.

Bella já aparentava ter mais de 5 meses de gestação, ela estava grande e muito

cansada. Sua respiração estava fraca e ela parecia mais magra . Eu ainda tentava

persuadi-la a voltar atrás, mesmo sabendo que isso seria uma coisa muito difícil ... e

perigosa. Eu estava sentado ao seu lado no sofá, sempre abaixo dos olhos de Rosalie

que parecia um guarda-costas de Bella, como se eu a fosse ferir quando me ajoelhei na

frente de Bella de forma a ficar de costas para Rosalie e tentei mais uma vez.

– Amor, você está muito cansada. Precisa parar com isso ... não ... – Mas Rosalie me

cortou.

– Cale a boca, Edward! – Ela me disse.

– Não briguem. Por favor. – Foi o que bastou.

Bella começou a ofegar novamente. Rosalie foi rápida e pegou a bacia. Bella

voltou a vomitar. Isso não estava indo nada bem. Eu já não sabia mais o que fazer, nem

como. Eu estava cada vez mais grudado a Bella, e as minhas reações cada vez mais a

atingiam. Como conseguir a ajuda externa que eu tanto precisava?

– Fique calma por favor. – Eu pedia a Bella. – Me perdoe ... me desculpe. – Eu pedia

com minha cabeça sobre suas pernas ainda ajoelho do chão, à sua frente. “Me perdoe

pelo que eu fiz a você... Eu te amo..” isso me corroía.

– Não fique assim, Edward. Vai dar tudo certo. Acredite. – Ela me dizia e afagava meus

cabelos.

– Como? Como, meu amor ... como isso pode acabar bem se eu vou te perder? – Eu

dizia com a voz embargada. Não conseguia olhar nos seus olhos. Me agarrei as suas

pernas suplicando. Eu tinha tanto medo de perdê-la.

– Você não vai me perder. Nós ficaremos bem. – Ela me dizia sempre confiante. – Vou

te provar que eu estou bem. ... Rosalie ... me passe o celular, por favor.

– O que você vai fazer? – perguntei a ela.

– Vou ligar para o meu pai. Vou tranquilizá-lo. Temos que prepará-lo para quando

tivermos que ir embora. Eu, você, nosso bebê e toda a família. Seremos 9. – Ela disse o

absurdo sorrindo para mim, como se estivesse feliz pela cena que pintou em sua mente.

– Você está completamente fora de si, Bella. – Me irritei um pouco e ela empalideceu.

– Pare com isso, Edward! Ou vou te tirar daqui. – Me disse Emmet, sentado do outro

lado da sala.

– Não! Não, Emmet! – Bella gritou e o monstro se mexeu. O corpo de Bella se

contorceu e seus olhos se fecharam. Ela estava com dor mas não gritou.

Rosalie então se meteu entre nós me afastando com força. Não pude reagir.

Fiquei olhando Bella se contorcendo em dor e sua barriga se remechendo. A dor que eu

senti dentro de mim fez meu corpo ceder ao chão na frente de todos. Minhas mãos

foram à minha cabeça. Eu queria poder gritar a agonia que me comia por dentro, mas

não podia. Emmet veio ao meu encontro e me rebocou para fora da sala enquanto

Rosalie cuidava de Bella.

– Vamos, cara. Você precisa dar uma volta. Você está enlouquecendo. – Ele me disse

preocupado.

– Preciso voltar para Bella. Ela precisa de mim.

– Rosalie está com ela. – Ele me disse mas gritou por ajuda. – Carslile! Jasper!

Eles logo apareceram e Carslile foi ao encontro de Bella. Pude ver ele cuidando

dela na sala enquanto Emmet me mantinha na cozinha. Quando Carslile a estava

examinando, Bella deu um gemido de dor e eu arfei. Emmet vendo minha reação fez

sinal para Jasper e me tiraram de lá. Me levaram para fora de casa.

– Você precisa se controlar, Edward. – Me disse Jasper. – Estou vendo que você está

por um fio. Isso não fará bem a Bella. Você quer que ela piore?

– Não. – Disse com a voz embargada. Minha garganta se fechava.

– Desculpe. – Jasper me disse quando sentiu minha agonia. – Posso sentir o que você

está passando.

– Preciso voltar, mas não sei como ficar com ela. Eu não quero perdê-la mas eu sei que

vou. Não consigo suportar a dor de vê-la naquele estado, carregando o monstro que a

consome e a mata a cada dia ... e eu não posso fazer nada! Ela nem me deixa tocá-la

direito. Ela ama a criatura que a matará! Como eu posso agir contra isso ... como? – Eu

desabafei com meu irmão.

– Você precisa. – Foi apenas o que ele disse e pensou, simplesmente.

Ouvimos todos o choro de Bella na sala e corremos. Eu cheguei primeiro na hora

em que Carslile ia sair para me procurar.

– Bella! O que houve? Você está bem? – Me ajoelhei de novo aos seus pés segurando

seu rosto com as minhas mãos.

– Não vá embora. Fique comigo. – Ela me agarrou no pescoço. – Não vá...

– Ok, amor. Vou ficar com você. Sempre. Para sempre ... não foi isso que prometemos –

Eu disse olhando nos seus olhos.

– Foi. – Ela me disse agora com um sorriso no rosto. Eu fiquei mais aliviado. – Você

está bem? – Ela me perguntou e uma pequena ruga surgiu em sua testa.

– Estou ótimo. Não se preocupe comigo, ok? Só fique bem.

Todos estavam parados nos observando. Rosalie queria me tirar de perto de

Bella a qualquer custo e isso já estava me irritando demais.

Assim que Bella estava mais calma, peguei o celular que ela havia deixado cair e

dei para que ela pudesse ligar para seu pai. Era uma forma de traquilizá-la também. A

conversa foi curta e todo o tempo eu fiquei de mão dada a ela.

Bella ficou muito feliz em falar novamente com seu pai. Disse que estava bem,

mas que ainda tinha que ficar de quarentena, que Carslile estava cuidando bem dela.

O dia então correu sem mais enjôos ou brigas. Bella até parecia mais corada e o

monstro ficou quieto. A noite levei Bella para o nosso quarto quando ela adormeceu no

sofá da sala. Cantei a noite toda como sempre e ela até sorriu. Foi uma noite tranquila,

eu acariciava seu braço enquanto ela dormia em meu peito. Já ia amanhecer quando eu a

beijei na testa e o monstro não gostou.

– Carslile! – Monstro havia acordado, e sua barriga remechia. Bella arfava por

oxigênio.

Carslile chegou rapidamente e foi examinar Bella. Assim que ele levantou sua

blusa vimos sua barriga cheia de hematomas. Eu virei meu rosto ... não conseguia olhar.

– Ele só é grande. Só isso. – Bella me dizia quando voltou a respirar normalmente.

– Fique quieta Bella. – Disse Carslile ao examilá-la.

Na mente de Carslile eu via a preocupação dele. As coisas estavam ficando

complicadas a cada dia, a cada minuto o monstro a consumia mais, e Bella não

conseguia repor as energias. Ela não cedia e continuava lutando, com o apoio

incondicional de Esme e Rosalie. Emmet e Jasper tentavam me dar força, mas não

faziam nada para impedi-las. Alice vivia mais no terceiro andar da casa e caçando do

que perto. Ela sentia dores na cabeça e as suas visões ficavam confusas. Alice via algo

como Charlie tendo a intenção de vir aqui, isso não era bom.

Decidimos contar a Charlie que Bella havia piorado e que Carslile conseguiu

uma vaga para ela num hospital especializado. Ele ficou muito nervoso, mas Carslile o

assegurou que ela seria muito bem cuidada lá, que ele não se preocupasse. Charlie

tentou argumentar e oferecer ajuda financeira, mas Carslile simplesmente descartou essa

idéia. “Charlie. Bella faz parte da minha família agora, e desfrutará de tudo o que

precisar. Você não precisa se preocupar nem um segundo com isso. Ela já faz parte do

nosso plano de saúde. Está tudo coberto. Não se preocupe.” Era uma desculpa válida.

Eu esperava uma reação de Jacob, mas isso não acontecia. Bella falava com o

pai todos os dias, mesmo naqueles em que ela não estava se sentindo muito melhor e

Charlie foi percebendo isso. Ele reclamava com Carslile pelo celular, já que meu pai

pediu um afastamento do hospital por um tempo, por motivos pessoais, como desculpa

para estar presente o tempo todo, no caso de Bella precisar. Numa manhã ele pediu que

eu e Rosalie nos reuníssemos com ele num momento em que Bella adormeceu no sofá

da sala. Esme ficaria cuidando dela.

– Ok , Carslile, o que você quer? – Perguntou Rosalie, mas já com raiva, imaginando

que Carslile queria fazer algo à força. Ela não permitiria.

– Do jeito que a coisa anda, vamos precisar nos preparar para várias possibilidades. –

Carslile me disse preocupado.

– O que você está esperando que aconteça? – Perguntei ao meu pai.

– Todos esperamos que Bella consiga sobreviver ... – Ele parou e me olhou por alguns

segundos medindo minha reação, depois continuou. – E se ... ela conseguir, temos que

nos preparar para sua transformação, e principalmente, para controlá-la o quanto antes.

Eu sei que Bella optou por isso e que tem plena consciência do que ela se tornará, mas

... nós sabemos muito bem do que ela precisará, nos primeiros momentos,

principalmente.

– Sangue. – Disse Rosalie.

– Sim. Eu também sei que Bella conta conosco para ajudá-la e é isso que faremos.

Temos que nos preparar para que ela possa se satisfazer no início para depois adaptá-la

ao sangue animal. Isso não será fácil.

– Bella não quer ser um monstro, Carslile. Como você vai resolver essa questão. Não

vamos condenar ninguém, nem soltar Bella à sorte. – Disse.

– Eu também sei disso. A minha idéia é comprar sangue doado. Ìamos estocando até ...

o nascimento ... do feto. – Ele foi medindo as palavras para não causar problemas nem

comigo, sem com Rosalie, principalmente entre nós dois.

– Teremos que comprar um freezer grande. A nossa geladeira não vai dar conta. – Disse

Rosalie já pensando na quantidade que Bella precisará. Ela estava mesmo convencida

que Bella iria sobreviver, mesmo reconhecendo o risco.

– Acho que tenho no hospital, na ficha dela, o tipo sanguíneo de Bella. Terei que ir lá

para ver isso, mas não demorarei.

– É tipo O. – Disse. Eu não precisava de ficha nenhuma. Eu já havia provado seu

sangue.

– Droga. Vai ser mais complicado. Terei que percorrer muitos bancos de sangue para

conseguir. Acho melhor começarmos logo. – Disse Carslile já fazendo roteiro dos

bancos e de seus contatos na sua mente.

– Ok. – Disse. Eu tinha que concordar. As chances de Bella sobreviver como humana já

estavam se esvaindo.

– Ok. – Disse Rosalie também. – Emmet pode te acompanhar e vir trazendo enquanto

você continua.

– Isso será ótimo ... Agora, tem outra coisa. – Ele parou e olhou para mim e depois para

Rosalie. – Eu preciso que vocês me ajudem. Cada vez que vocês entram em choque

Bella piora. Eu sei como está sendo difícil para vocês cooperarem, mas vocês dois

precisam pensar em Bella, no seu bem estar ... – Carslile ia continuar, mas Rosalie o

interrompeu.

– E no bebê também. Ele é um inocente e não pode ser condenado. – Ela falou olhando

bem para mim. Eu já estava ficando nervoso e Carslile percebeu isso.

– Chega, Rosalie. Você não está ajudando. – Carslile a interrompeu. – Se vocês não se

comportarem eu não vou poder ir. Se Bella passar mal como vocês vão se virar? Pensem

nisso. – Ele então esperou até que nós dois assentimos promentendo. – Muito bem.

Partirei hoje a noite, assim que Bella adormecer, esse é o melhor horário para ela.

Chegarei bem cedo. Tem um banco de sangue 24 horam em Seatle. Vou nesse primeiro,

e dependendo do estado de Bella amanhã eu saio de novo.

Bella não tardou a despertar e já me procurava. Voltei rapidamente quando ouvi

Esme me chamando mentalmente. Dessa vez Bella acordou sem vomitar. Isso era muito

bom, mas ela ainda não estava forte, somente os ovos não eram suficiente para o que

seu corpo precisava. Bella já parecia ter mais de 7 meses de gravidez, ela estava muito

grande e muito cansada. Fiquei ao seu lado, sentado no chão à frente do sofá que ela

estava deitada. A agonia por ver minha Bella definhando e sofrendo pelo mostro me

corroía, acabava comigo física e mentalmente. Eu ainda tinha a esperança de que Jacob

resolvesse aparecer logo.

Nesse dia nem subimos para nosso quarto, ficamos na sala mesmo. Carslile foi

em busca do sangue. Bella quiz dormir no sofá, estava muito cansada e mesmo sendo

levada no colo seu corpo todo doía. Teve o apoio de Rosalie, que nunca saía de perto.

Ficava sempre como um guarda-costas à expreita, sempre alerta, esperando por uma

reação louca minha, mas Bella sempre a tranquilizava dizendo que eu nunca a

machucaria.

Rosalie nem saía para caçar. Iria somente se eu fosse, como se isso fosse

possível, Bella parecia piorar muito com a minha ausência. Na verdade, nós parecíamos

piorar juntos. Parecia que o monstro a consumia e que Bella me consumia. Eu parecia

mais pálido que nunca, meus olhos eram negros como a noite, mas eu não me importava

comigo mesmo, que ânimo eu teria para qualquer coisa no mundo sem ela? Era

impossível de conceber esse tipo de desejo.

Bella estava definitivamente morrendo aos poucos diante dos meus olhos e isso

era sofrimento demais para qualquer pessoa aguentar, humana ou imortal. Ver o objeto

de seu desejo, a sua vida, o seu amor morrendo por amar algo que você mesmo ajudou a

criar. Eu me odiava muito, sofria muito. Eu devia ter sido forte e não ter cedido ao

desejo da carne, não devia ter aceitado a condição dela. Devia ter esperado sua

transformação, para isso eu estava preparado. Havia conversado com Carslile, pensando

em usar muita morfina para que ela não sofresse no fogo da transformação. Havia

aceitado sua decisão de ser minha pela eternidade, mas não daquele jeito, não como

única e irrestrita forma de salvá-la da morte.

O destino mais uma vez, irado comigo, tenta tirá-la de mim.

Eu devia tê-la deixado com Jacob, devia tê-la protegido de mim e de meu

mundo.

Mas era tarde e eu estava mais uma vez pagando por mais um erro.

Era um erro atrás do outro.

Eu passei a noite toda velando seu sono ajoelhado eu seu lado e com minha

cabeça deitada sobre o sofá. Eu olhava seu rosto, cada respiração, cada batimento

acelerado. Às vezes eu me confundia e pensava que as batidas de seu coração faziam

eco. “Acho que estou doido, mesmo”, eu pensava quando eu perdia o ritmo de seu

batimento.

– Você está tão cansado. – Bella me disse quando acordou e nem quiz se levantar. Ela

acariciava meu rosto e passava seus dedos sensíveis sob meus olhos. Suas mãos

estavam mais frias – Você precisa ir caçar. Já faz muito tempo que você caçou, foi na

ilha, lembra?

– O que eu preciso é ficar aqui, como você ... sempre. Para sempre ... não foi isso que

prometemos um ao outro? – Disse a ela, ainda com a minha cabeça no sofá. Quando eu

acariciei seu rosto o monstro não gostou. O coração de Bella começou a acelerar e

logo Rosalie chegou com a bacia onde Bella vomitava.

O monstro não gostava de mim, não gostava de que eu tocasse na minha Bella.

No início era a minha voz que o agitava, agora até meu toque o incomodava. Como eu

poderia aceitar algo que me fazia manter distância de Bella? Que a estava tirando de

mim?

O que eu senti naquele momento foi pior do que eu senti quando a deixei na

floresta, quando tomei aquela decisão estúpida, por que naquele episódio eu sabia que a

estava deixando, mas a deixava viva, agora ela estava comigo ... mas morrendo diante

dos meu olhos, por sua livre escolha.

Carslile não saiu naquela manhã, ficou para observar Bella. As manchas roxas

de sua barriga o preocupavam muito. O monstro a estava machucando de dentro para

fora.

– Bella. – Carslile então se aproximou, vi logo o que ele pretendia. – O feto já está bem

grande, precisamos ver como seu corpo está reagindo. Preciso de alguns exames.

– Não vai tocar neles, Carslile. – Disse Rosalie já se levantando para ficar atrás de

Bella.

– Calma, Rose. Eles não vai nos machucar, não é Carslile? – Bella disse, ainda deitada.

– Claro que não. Só queria fazer um ultra-som e ... quem sabe ... um pouco do seu

líquido aminiótico, para ver o que realmente você carrega. – Carslile foi dizendo as

palavras calmamente, para não assustar as duas. Com o líquido, talvez nós saberíamos

exatamente como o monstro estava, se era realmente um monstro (O que eu não tinha

dúvidas), e qual sua idade fetal exata, para podermos estimar mais quanto tempo

teríamos que esperar.

– Nem pensar, Carslile. – Disse logo Rosalie.

– Deixe ele trabalhar, Rosalie. Não vê que é o melhor para Bella. – Eu reclamei com

Rosalie.

– Isso é um truque de vocês ... Bella, não! – Ela disse tocando no ombro de Bella.

– Não vou fazer mal algum a eles, Rosalie. – Carslile retrucou. É claro que ele não

faria mal, pelo contrário.

– Calma gente... Carslile... o ultra-som tudo bem, mas... o líquido... como você fará

isso? – Bella então pediu, ainda calma.

– É apenas uma finíssima agulha que entrará ... – Carslile nem conseguiu concluir.

Bella foi entrando em pânico, e quando percebeu onde a agulha entraria foi pior.

Seu coração disparou, ela colocou a mão sobre e barriga e começou a chorar

compulsivamente.

– Calma, Bella ... amor ... calma! – Eu disse tentando acalmá-la para que ela não

vomitasse mais nem desmaiar. Eu segurei em seu rosto e beijei sua boca.

– Não ... não posso matá-lo ... não! – Ela gritava com a mão sobre a barriga.

Seus olhos estavam arregalados olhando de mim para Carslile. Rosalie veio

rapidamente nos reprovando. Não demorou muito para Bella voltar a vomitar, mas pelo

menos não desmaiou.

– Eu sabia que vocês continuariam tentanto. Saiam de perto dela. – Rosalie gritou

conosco enquanto Bella vomitava.

– Não, Edward ... não me deixe. – Ela pedia sufocando ainda

– Eu não vou amor, por favor, fique calma. Não vou sair daqui... – Eu a prometi

voltando a ficar aos seus pés. – Fique calma por favor. Eu não vou te deixar nunca ... eu

te prometi, não foi? – Ela assentiu e foi se acalmando. – Está mais calma?

– Estou. Desculpe, eu me assustei. – Ela então olhou para Carslile. – O ultra-som Ok,

mas agulha nem pensar. Odeio agulhas.

– Ok. Bella. Vou providenciar tudo e venho te buscar, ok?

– Uhumm. – Bella então assentiu.

Assim que Carslile chamou eu ia pegar Bella no colo, mas Rosalie não permitiu.

Eu tinha muita raiva dela, mas ia deixar para acertarmos nossas contas depois de tudo

resolvido, independente do desfecho. A ultrassonografia foi inútil, não conseguimos ver

nada. A camada que envolvia o monstro era dura como a nossa pele, o que dava uma

indicação a mais para minhas dúvidas, como a Carslile também, e também da força

dele, já que conseguia, mesmo com essa camada forte, machucar minha Bella. Voltamos

para sala e logo Bella pediu para se deitar. Ela estava bem assustada ainda, e se

mantinha deitada com as pernas encolhidas e as mãos sobre a barriga, sempre pensativa.

E eu ao seu lado. Todo esse tempo, desde o primeiro dia em que chegamos eu mantinha

sempre meus olhos grudados nos dela.

– O que foi? – Bella disse quando eu me levantei rapidamente.

Eu ouvi um barulho de motor diminuindi perto da entrada da estrada que daria

na nossa casa, e depois acelerando rapidamente na estrada de terra, e não fui o único,

todos ficaram oriçados.

– O que foi? O que está acontecendo? – Bella perguntou quando todos se levantaram se

aproximando da parede de vidro.

– Alguém está se aproximando. – Disse Rosalie.

– Jacob. – Eu respondi á dúvida de todos. “Finalmente”, disse em minha mente

– Precisamos tirar Bella daqui. Vamos, Edward. Você também. – Rosalie logo se

apressou, querendo tirar Bella, mas ela sentiu dor e não conseguia respirar direito.

– Solte ela, Rosalie. – O rosto de Bella se contorceu. Rosalie então a colocou

novamente no sofá.

– Vou tentar mantê-lo fora. – Disse Carslile.

Me ajoelhei ao lado de Bella que, deitada no sofá ainda sentia dor. Eu queria

poder abraçá-la mas não podia tocá-la, o monstro se irritaria e ela sofreria mais. Minhas

mãos estavam agarradas em minhas pernas, eu tinha que impedí-las de seguir seu curso,

somente mantinha meus olhos grudado nos dela. Jacob se aproximava. Ele estava muito

irritado.

– Jacob está próximo. – Disse bem baixo e rápido para que Bella não ouvisse.

– O que esse cachorro está fazendo aqui? – Cuspiu Rosalie.

– Isso será um problema. – Falou Emmet, que ficava mais calado o tempo todo. Ele

realmente se preocupava tanto com Bella que nem piadas ele mais fazia.

– Não gosto disso. Os lobos devem estar irritados. – Jasper disse ao descer a escada.

– Temos que ir embora logo. – Disse Rosalie, já pensando em onde seria o melhor

lugar.

– Não podemos, não no estado de Bella. Seria muito arriscado. – Eu reclamei.

– Aqui tenho acesso a tudo. Não vamos ser precipitados. Vou tentar mantê-lo longe. –

Disse então Carslile já na porta.

Assim que ouviu os passou de Jacob nos degraus da escada, Carslile foi

recepcioná-lo antes que ele se aproximasse muito da porta. Todos ficaram de pé perto

do sofá onde Bella estava deitada, para o caso de precisar protegê-la, com exceção de

Alice, que ainda ficava no terceiro andar, mas ouvindo tudo. Eu permaneci ao lado de

Bella. Ela estava ansiosa. Todos ouvíamos o diálogo entre eles, mas Bella não.

“– Olá, Jacob. – Carslile o saudou do lado de fora. – Como você está?”

– Ele já chegou? – Bella me perguntou ainda deitada no sofá. Ela fazia, agora, mais

esforço para falar, ainda sentia dor .

“– Eu ouvi que a Bella voltou viva. – Jacob falou lá fora. Em sua mente eu via a

decepção. Ele esperava por mim, na verdade ele torcia por isso.”

“– Er, Jacob, essa realmente não é a melhor hora. – Carslile disse, confirmando as

nossas dúvidas. Os lobos estavam a par de tudo. Charlie havia contato sobre o estado

de Bella. – Podemos fazer isso mais tarde?”

– Shh, Bella. Ou vamos alertá-lo. – Rosalie disse repreendendo Bella por ter falado.

Jacob ouviu lá fora.

– Porque não? Temos que esconder segredos de Jacob também? Com que razão? – Bella

disse a Rosalie. – Entre, por favor, Jacob.

Carslile não gostou “Droga, não queria que Jacob a visse tão fraca como

hoje.”, ele pensou. Carslile tinha muita consideração pelos lobos, por terem nos ajudado

contra os recém-nascidos, mas essa situação era diferente. Poderia acabar com o tratado

e seria perigoso para todos nós, principalmente para Bella, no estado em que ela se

encontrava.

– Com licença – Jacob pediu a Carslile e entrou com cautela olhando tudo e todos em

volta.

Assim que Jacob entrou, Alice apareceu na escada. Ela por algum motivo, que

ela mesma não entendia, se sentiu melhor com a aproximação de Jacob, suas visões

desapareceram juntamente com a dor que ela sentia.

Eu permaneci onde eu estava sem me mover. Não era preciso nem eu queria. Eu

lia a mente de Jacob, a raiva dele se transformou quando me viu e depois sentiu o cheiro

de Bella. Ele então relaxou por alguns momentos, o alívio de ver Bella viva o acalmou

... mas por pouco tempo. Assim que ele percebeu como Bella estava debilitada seu

coração disparou. Rosalie percebeu a mudança e se posicionou entre Bella e Jacob,

protegendo-a enquanto eu ficava olhando para minha Bella, ouvindo, somente. Jacob

não tinha intensão nenhuma em atacar. Ele só queria garantias de que ela ainda era

humana, mas ainda não sabia de tudo. Ele ficou confuso com a reação de Rosalie para

com Bella.

Bella ficou nervosa com a situação. Seu coração disparou e ela arfou. Rosalie

percebeu e logo pegou a bacia para que Bella vomitasse. Eu queria ajudar mas Rosalie

me impediu. Tudo aconteceu bem rápido. Bella estava sofrendo muito, eu via isso em

seus olhos, eu queria poder ampará-la mas o monstro iria machucá-la mais. Isso me doía

... não poder tocar em minha Bella.

– Desculpe-me por isso, Jacob. – Bella se esforçou e disse para Jacob que estava alí

observando.

Eu sofri mais com a complacência de Bella, ela se preocupava com todos menos

com ela mesma. Ela estava sofrendo e eu também. Me joguei ao seus pés e agarrei em

seus joelhos frágeis. Não aguentava vê-la assim. Eu queria poder fazer alguma coisa.

Bella me afagou o rosto e eu olhei em seus olhos, ela estava sofrendo, mas firme em sua

decisão, ela não se importava em sentir dor pelo monstro que carregava, confiava em

mim.

Jacob não compreendia tudo aquilo. Me odiava por ficar perto de Bella, por não

fazer nada e permitir que Rosalie, que segundo ele achava, odiava Bella, a proteger,

inclusive de mim. Ele tentou se aproximar mas Rosalie o impediu. Para Rosalie todos

éramos inimigos nessa situação, ela havia prometido que ajudaria Bella e compreendia o

desejo de Bella, que era na verdade um desejo que ela tinha antes de ser transformada.

– Rose… não. Está tudo bem. – Bella se esforçou e falou para Rosalie. Ela queria ver

Jacob. Rosalie não gostou nada, sem falar no cheiro que a enojava.

– Bella, qual o problema? Está tudo bem? – Jacob se ajoelhou assim como eu,

inclinando-se sobre o braço do sofá que Bella estava e pegou a sua mão frágil. Ele

estava muito preocupado e simplesmente ignorou todos os presentes. Ele ainda a

amava ... como eu.

Bella tremeu levemente e isso me doeu. Todas as reações dela pareciam vir de

encontro a mim, e eu sofria. Era como se tivéssemos uma ligação física muito forte,

como se eu pudesse sentir seu sofrimento mesmo sem ler sua mente. Ajeitei o cobertor

que a cobria e ela me agradeceu, afagando meu rosto mais uma vez. Ela era sempre

carinhosa comigo, mesmo sabendo que eu não aprovava nada daquilo.

– Eu estou tão feliz por você ter vindo me ver hoje, Jacob. – Bella disse ao Jacob. “Eu

também... preciso de sua ajuda”, pensei. “Você é a minha última esperança”.

– O que foi, Bella? – Jacob apertou um pouco as mãos de Bella quando percebeu que

ela sentia frio. Ele se apavorou mentalmente. Ele queria entender. Nada do que

passava por sua cabeça chegava perto da realidade.

Bella olhou para todos, inclusive para mim. E pediu ajuda de Rosalie, ela sabia

que eu não aprovaria, apelou para sua fiel aliada.

– Me ajuda aqui, Rose? – Rosalie não gostou da idéia mas se aproximou fazendo uma

careta para Jacob. – Por favor, Rose. – E Rosalie atendeu seu pedido. A ajudou a se

levantar bem devagar.

– Não ... Não se levante… – Jacob disse com pena de Bella.

– Eu irei responder à sua pergunta. – Ela disse ao se levantar.

Bella se esforçou bastante. Se movimentar custava mais a cada dia. Eu via que

ela sentia dor mas não se importava. Isso me desesperava, eu sempre fiz de tudo para

protegê-la, era sempre foi tão frágil e eu tinha medo que ela sentisse dor e agora, ela

estava lá, por minha culpa. “Ah!!!”, eu gritava na minha mente. Joguei meu corpo sobre

as almofadas que serviam como seu repouso, seu perfume ardeu na minha garganta.

Queria gritar de tanta dor e agonia.

Eu via na mente de Jacob que ele custou a entender. Que ele se assustou quando

Bella acariciou a barriga e fez contas em sua cabeça. Quando a ficha caiu seu estômago

embrulhou e o meu foi junto. Ele me odiou muito mais naquela hora. Queria me matar,

mas alí não era o lugar para que ele extravazasse sua ira, com gestos nem com palavras,

isso pioraria o estado de Bella. Aquela então era a deixa para que eu pudesse conversar

com Jacob, ele era muito sem limites, e já havia provado isso anteriormente, ele não se

importaria com nada, nem com Bella ... não se controlaria.

– Lá fora, Jacob. – Eu falei para ele, o chamei para fora de casa. Eu sofria tanto que a

voz saiu como um rosnado.

– Vamos fazer isso. – Ele então logo se levantou e me seguiu, sua mente estava

colérica.

Emmet e Jasper tentaram nos impedir, imaginaram que ia haver uma briga, e

Jacob também. Ele olhou para todos mas não se importou com nada, ele me queria,

queria um acerto entre nós dois e já fazia planos.

– Não. – Bella sussurrou, tentando me alcançar mas não teve forças. Eu a amparei

para que ela não caisse.

– Eu apenas preciso falar com ele, Bella. – A segurei com todo o cuidado e acariciei seu

rosto todo. “Eu te amo”, pensei. – Não se estresse. Por favor, descanse. – Eu pedia a

ela enquanto Jacob se corroía em ódio na sua mente. “Depois de tudo que ele tinha

feito com ela, ele ainda tinha permissão pra tocá-la daquela forma.”, ele pensava. –

Nós dois estaremos de volta em apenas alguns minutos. – Dei a garantia a ela. Bella me

encarou, lendo minhas intenções e assentiu. Rosalie a apoiou no sofá e eu me virei,

indo em direção a porta, sem meus irmãos.

– Comporte-se. E depois volte. – Bella disse depois de encarar Jacob, mas ele não

respondeu, me seguiu.

Jacob estava muito colérico. Sua mente era ódio puro e ele calculava cada

movimento. Achou que me separando da minha família conseguiria me matar.

– Eu ainda não estou pronto para você me matar, Jacob Black. Você terá que ter um

pouco de paciência. – Forcei para que a voz saísse.

– Paciência não é minha especialidade. – Ele me respondeu somente.

Jacob estava realmente disposto a uma luta, mas eu ainda não podia deixá-la.

Nesse momento eu percebi que ele seria a saída para o meu sofrimento se Bella não

sobrevivesse. Eu sabia que meus irmãos já calculavam a minha reação se tudo acabasse

mal e me impediriam a todo custo de ir encontrar Aro em Volterra. Jacob não seria

complacente comigo, mas eu ainda não podia partir, isso a mataria antes. Em casa todos

estavam preocupados conosco, acompanhavam nossos passos. Bella também se

preocupava, mas Rosalie a acalmava com umas coisas inúteis sobre o “bebê”.

Isso me fez sofrer mais ... ela fazendo planos para a “coisa” que ia matá-la e

Rosalie apoiando tudo. Eu não entendia e aceitava aquilo. Foi nessa hora que eu me

virei para Jacob ... não conseguia ver. Eu simplesmente desabei em agonia. Minhas

mãos voaram para meus olhos querendo sumir com as imagens da felicidade nos olhos

de Bella e Rosalie. Eu queria gritar mas eles ouviriam. A dor que me tomou foi

horrenda, mas foi um alívio poder me expressar longe dela. Tolir estava me consumindo

demais, eu ia acumulando a dor a cada dia sem poder fazer nada por estar sempre ao seu

lado. A mente de Jacob ele confirmava suas dúvidas.

– Isso a está matando, certo? Ela está morrendo... – Jacob me disse. Ele ainda estava

em choque, assustado. Sua mente trabalhava e ele entendia o que estava acontecendo.

Me culpando. Ele sempre achou errado tudo o que eu tinha feito desde o início para

ficar com Bella e mais esse, ter cedido. Ele estava certo, eu havia cometido um erro

atrás do outro, fazia tudo por poder tê-la comigo.

– Meu erro. – Então eu não consegui mais suportar e cedi. Me ajoelhei no chão e minha

cabeça foi de encontro com meus joelhos. Eu me odiava e sofria por fazer aquilo com

ela. As acusações na mente de Jacob só pioravam as coisas, mas ele estava certo. –

Sim. – Eu gemi a agonia. – Sim, a está matando.

– Então porque Carlisle não fez nada? Ele é médico, certo? Tire isso dela. – Ele não

entendia, eu tive que explicar..

– Ela não nos permite. – Levou apenas um segundo para ele entender. – Você a conhece

bem. Quão rápido você viu… Eu não vi. Não a tempo. Ela não falou comigo no

caminho de volta pra casa, não realmente. Eu pensei que ela estava assustada ... isso

seria natural. Eu pensei que ela estivesse com raiva de mim por colocá-la nisso, por

comprometer sua vida. Novamente. Eu nunca imaginei o que ela realmente estava

pensando o que ela estava resolvendo. Não até que minha família nos encontrou no

aeroporto e ela correu para os braços de Rosalie. De Rosalie! E então eu ouvi o que

Rosalie estava pensando. Eu não entendi até que ouvi aquilo. Já você entendeu depois

de um segundo… – Eu gemi da minha ignorância.

– Apenas repense um momento. Ela não deixará? Você já notou que ela é exatamente

tão

forte quanto uma humana normal de 52 kg? Quão estúpido vampiros podem ser?

Segurá-la e dopá-la. – Ele cuspiu com sarcasmo.

– Eu queria fazer assim ... Carlisle teria feito… – Disse forçando a voz. “O que, eles

eram tão nobres?”, ele perguntou na sua mente. – Não. Não nobre. A guarda-costas

dela complicou as coisas. – Jacob então questionava a atitude de Rosalie, se ela

desejava a morte de Bella. – Talvez. – Respondi ao seu questionamento. – Rosalie não

vê isso exatamente dessa forma.

– Então ponha a loira pra fora primeiro. Sua espécie pode ser recomposta, certo? A

transforme em um quebra-cabeças e tome conta de Bella. – Como se eu nunca tivesse

pensado nisso!

– Emmett e Esme a estão apoiando. Emmett não nos permitiria… E Carlisle não me

ajudará com Esme contra isso… – Eu nunca atacaria minha mãe.

– Você deveria ter deixado a Bella comigo. – Ele cuspiu isso para mim.

– Sim. – Eu assenti.

A mente de Jacob só me acusava. Ele dizia o óbvio. “Era um pouco tarde para

isso, todavia. Talvez ele devesse ter pensando sobre tudo isso antes de presenteá-la com

o monstro sanguessuga.”, ele pensava. Eu não precisava falar, apenas o olhei e ele

entendeu.

– Nós não sabíamos. – Eu forçei minha voz para pronunciar as palavras. – Eu nunca

sonhei. Nunca houve nada como Bella e eu antes. Como nós poderíamos saber que uma

humana poderia conceber uma criança de um de nós...

– Quando a humana deveria ficar dilacerada em pedaços no processo? – Ele acusou.

– Sim. Eles estão lá fora, os sádicos, os incubus, os succubus. Eles existem. Mas a

sedução é apenas uma introdução ao banquete. Ninguém sobrevive. – “Assim como

minha Bella perecerá”, eu pensei mas balancei minha cabeça para tirar essa imagem

de lá.

– Eu não sabia que eles tinham um nome especial para o que você é. – Ele cuspiu isso

em minha direção, me comparando com os outros. Ele me odiava muito.

– Mesmo você, Jacob Black, não pode me odiar tanto quanto eu me odeio. – Disse a ele.

“Errado”, ele respondeu com a mente. – Me matar agora não a salvará. – “Bem que eu

queria”, pensei.

– Então o que salvará?

– Jacob, você tem que fazer algo por mim. – Era a hora de implorar. Por ela...

– Por nada nesse mundo, parasita! – Foi seu reflexo. Por que ele faria algo por mim?

– Por ela? – Propus e ele vacilou.

– Eu fiz tudo que estava ao meu alcance para mantê-la longe de você. Tudo que eu

podia. Agora é tarde.

– Você a conhece, Jacob. Você está conectado a ela de um jeito que nem eu entendo.

Você é parte dela, e ela é parte de você. Ela não irá me ouvir, por que acha que eu estou

a subestimando. Ela pensa que é forte o bastante para isso… – A idéia sempre me

torturava, ainda mais vendo Bella e Rosalie lá na casa, conversando como duas

amigas. Estava muito difícil continuar a pedir aquilo ao meu maior rival. Mas era a

minha última esperança. Eu abriria mão dela para mantê-la viva, eu iria embora

novamente se ele prometesse cuidar dela, eu faria qualquer coisa que ele me pedisse

naquela hora.. – talvez ela te ouça.

– Porque ela iria? – “Ele está realmente enlouquecendo. Vampiros podem perder a

cabeça?”, ele perguntou mentalmente.

– Talvez. – Respondi ao seu pensamento – Eu não sei. Parece que sim. Eu tenho que

tentar esconder isso dela, pois isso a deixa mais doente. Ela não consegue segurar nada

no estômago como está. Eu tenho que parecer composto; não posso fazer tudo mais

difícil. Mas isso não importa agora. Ela tem que te ouvir! – Me justifiquei.

– Eu não posso dizer nada a ela que você já não disse. O que você quer que eu faça?

Dizer que ela é estúpida? Ela provavelmente já sabe disso. Dizer que ela vai morrer? Eu

aposto que ela também já sabe disso. – Ele ainda não tinha entendido.

– Você pode oferecer o que ela quer. – “Ele não estava falando coisas com sentido.

Fazia parte da loucura?”, Jacob pensou. – Eu não ligo para nada, só em mantê-la viva.

Se ela quer filhos, ela pode os ter. Ela pode ter meia dúzia de filhos. Tudo que ela

quiser. – Fui direto então. – Ela pode ter filhotes, se é isso que precisa.

Caiu então a ficha para Jacob. Eu tive que implorar, ser rápido antes que ele

recusasse ... antes que ele pensasse demais.

– Mas não desse jeito! Não essa coisa que suga a vida dela enquanto eu fico parado

apenas sem poder ajudar! Olhando ela adoecer e ficar pior. Vendo isso a machucar. –

Isso me doía demais, eu a estava entregando ... minha vida “Não!!! Minha vida ...

minha Bella, meu amor...”, eu gritava em minha mente, mas era preciso para salvá-la.

– Você tem que fazê-la ver a razão, Jacob. Ela não vai ouvir mais a mim. Rosalie

sempre está lá, alimentando essa maluquice, encorajando-a. Protegendo-a. Não,

protegendo a coisa. A vida de Bella não significa nada para ela.

“– O que ele esta dizendo? Que a Bella deveria o quê? Ter um filho? Comigo? O que?

Como? Ele estava desistindo dela? Ele acha que ela não se importaria em ser

dividida?”, as perguntas voavam na cabeça de Jacob.

– Tanto faz. Qualquer coisa que a mantenha viva. – Eu tinha que implorar mais.

– Essa é a coisa mais maluca que você já disse. – Ele me disse, ainda duvidando das

minhas intenções.

Para Jacob, depois de tudo o que eu e Bella passamos não era possível essa

minha reação. Naquela hora nada mais me importava, eu sofreria eternamente, contanto

que ela estivesse viva. Eu faria isso por ela ... sempre e eternamente por ela.

– Ela te ama. – Eu disse quando percebi que ele poderia fraquejar e recusar me ajudar.

– Não o bastante. – Ele confirmou o que eu já sabia, mas eu precisava tentar.

– Ela está pronta pra morrer para ter uma criança. Talvez ela aceite algo menos extremo.

– Você não a conhece?

– Eu sei, eu sei. Vamos ter que a convencer muito. Por isso eu preciso de você. Você

sabe como ela pensa. Faça-a ver a razão.

A imaginação de Jacob foi fluindo. Eu sofria muito só em ver as imagens, não

conseguia ver como eu iria suportar vê-la nos braços dele. “Não... Ela é minha ... não...

por que isso está acontecendo comigo? Eu a amo e ela é minha ... Não morra, Bella...

não me deixe.”, gritava na minha cabeça.

– Fazer Bella ver a razão? Em que universo você vive?

– Ao menos tente. – Eu continuava a implorar.

– De onde essa porcaria psicopata está vindo? Você está inventando tudo isso? – Jacob

disse depois de meditar um pouco mais. Ele não via sentido nenhum no que eu pedia a

ele.

– Eu estive pensando sobre nada além de maneiras de salvá-la desde que descobri o que

ela estava planejando fazer. O que ela morreria para fazer. Mas eu não sabia como te

contatar. Eu sabia que você não me ouviria se eu ligasse. Eu iria atrás de você em breve,

se você não tivesse vindo hoje. Mas é difícil de deixá-la, mesmo que por alguns

minutos. Sua condição… muda tão rápido. A coisa está…crescendo. Rapidamente. Não

posso estar longe dela agora.

– O que é essa coisa? – A pergunta nasceu em sua mente logo que ele ouviu as minhas

palavras.

– Nenhum de nós tem a menor idéia. Mas é mais forte do que ela. Já. – Na mente de

Jacob surgiu uma imagem assustadora do monstro matando Bella. – Ajude-me a parar.

– Implorei mais uma vez, e faria de novo e de novo. – Ajude-me a parar isso, não deixar

acontecer.

– Como? Oferecendo meus serviços? – Mas eu não consegui responder, era impossível

falar. – Você é doente. Ela nunca vai ouvir a isso.

– Tente. Não há nada a perder agora. Como isso pode machucar? – “Iria me machucar.

Eu já não fui rejeitado por Bella o suficiente sem isso?”, Jacob pensou. – Um pouco de

dor para salvá-la? É um preço tão alto?

– Mas não vai funcionar. – Ele ainda relutava e eu insistia.

– Talvez não. Talvez isso a confunda. Talvez ela volte atrás em sua decisão. Um

momento de dúvida é tudo que eu preciso.

– E aí você puxa o tapete debaixo da oferta? “Era brincadeira, Bella”?

– Se ela quer uma criança, é isso que ela vai ter. Eu não vou resistir. – Jacob já estava

pelo menos pensando na possibilidade.

Jacob conhecia bem Bella, sabia qual seria sua reação mas o desejo que ele ainda

tinha por ela estava mexendo com ele. Tudo o que eu falei criou uma esperança, mesmo

que vã. “Eu não deveria ter deixado-o falar comigo, mexer com a minha cabeça. Eu

deveria apenas matá-lo agora.”, ele pensava. Ele me odiava muito por tentar persuadilo.

– Não agora. Ainda não. Certo ou errado, isso a destruiria, e você sabe disso. Não

precisa agir assim. Se ela não te ouvir, você terá outra chance. No momento que o

coração de Bella parar de bater, eu estarei te implorando para me matar. – Ele era a

minha única alternativa se tudo acabasse mal. Se Bella não sobrevivesse eu não teria

por que viver.

– Você não vai ter que implorar por muito tempo.

– Eu estou contando muito com isso. – Confirmei e coloquei minha vida em suas mãos

... nas mãos do meu maior rival. Eu estava realmente fora de mim.

– Então temos um trato. – Ele então concordou. Estendi minha mão e assenti.

– Nós temos um trato.

Seguimos para minha casa calmamente.

Eu tinha a palavra de Jacob que pelo menos conversaria com Bella. Via em sua

mente que ele não proporia a Bella o que eu autorizei a ele, mas ele tentaria. Jacob tinha

a certesa de que Bella não aceitaria, mas tentaria de alguma forma.

Assim que estávamos perto de casa, minha família notou a nossa presença e

pude ver pelos seus olhos que Bella estava ansiosa. Todos foram para a frente de Bella,

numa pose protetora e também preocupados.

– Eles estão voltando. – Rosalie informou a Bella, quando viu sua ansiedade.

Numa coisa eu precisava dar o braço a torcer. Rosalie fazia de tudo por Bella e

pelo “bebê”. Ela estava mantendo sua palavra em proteger os dois.

Entrei passando por minha família. Só havia dúvidas em suas mentes. Ele não

haviam escutado nada do que eu havia conversado com Jacob, nem Alice, já que ela não

podia ter visões que envolviam os lobos. Bella realmente estava muito ansiosa. Seu

coração estava acelerado. Ela olhava para mim e para Jacob, que ainda estava na porta

sem falar uma só palavra. Seu rosto empalideceu com o stress. Eu precisava manter-me

firme. Jacob teria sua chance de conversar à sós com Bella.

– Nós vamos deixar o Jacob e a Bella conversarem em particular. – Informei a todos.

– Por cima da minha pilha de cinzas. – Rosalie reclamou e logo se aproximou de Bella e

tocou seu rosto. Ela não permitiria. Tudo para Rosali era um truque, uma forma de

matar a criatura.

– Bella, o Jacob quer falar com você. Você está com medo de ficar sozinha com ele? –

Ignorei Rosalie e me dirigi diretamente a minha Bella. Seria agora a decisão dela.

Seria em suas mãos que estava o meu futuro, como sempre.

– Rose, está tudo bem. O Jake não vai nos machucar. Vai com o Edward. – Bella disse

depois de olhar nos olhos de Jacob medindo sua reação, ainda firme na porta, e depois

para Rosalie.

– Pode ser um truque. – Rosalie tentou argumentar. Eu já estava com muita raiva dela,

e isso estava piorando as coisas. Eu acertaria minhas contas com ela depois, era o que

eu tentava me convencer, era o que me freava.

– Eu não vejo como. – Bella respondeu.

– O Carlisle e eu sempre vamos estar sob sua visão, Rosalie. – Disse a Rosalie, tentando

controlar ao máximo minha ira. – É de nos que ela tem medo.

– Não . – Bella disse quase chorando, e eu logo me arrependi das palavras que eu

havia pronunciado. – Não, Edward. Eu não...

– Eu não quis dizer dessa maneira, Bella. Eu estou bem. Não se preocupe comigo. – Dei

um sorriso forçado e a tranquilizei. Eu vi que o que eu disse a fez sofrer. Precisava

apagar a impressão. – Todo mundo. Por favor. – Disse a todos, indicando a porta para

que saissem. Eu sentia a angústia de Bella e a minha. Jacob percebeu minha agonia e

todos também. Estava cada vez mais difícil esconder.

Carslile, Esme, Jasper, Alice e Emmet correram porta à fora, passando

rapidamente por Jacob. Rosalie se mantinha impacível ao lado de Bella. Não queria sair.

Não tinha a menor intenção, eu via em sua mente. Fui para porta e fiquei esperando que

Rosalie também saísse. Ela não se moveu, então Bella, percebendo que eu esperava

pediu a Rosalie.

– Rose, eu quero que você vá. – Bella autorizou então Rosalie, que assentiu com os

olhos..

Fiquei na porta esperando que ela passasse mas ela só saiu depois de mim.

Todos esperavam por nós em pé do lado de fora. Eles queriam saber o que está

acontecendo.

– Eu contei tudo à Jacob. Ele quiz ter a oportunidade de conversar com ela. Ele tem esse

direito. Vamos. Temos que deixá-los a sós.

– Não vou sair daqui. – Rosalie reclamou.

– Vamos, Rose. – Emmet tentou argumentar com ela, mas Rosalie ficou imóvel.

– Eu vou ficar de olho em você. – Ela olhou bem para mim. Sua mente estava colérica.

– Calma Rose. Vamos todos para o outro lado do Rio. – Carslile então falou. Ele queria

acalmar as coisas entre nós. Mas isso era impossível.

– E se Bella passar mal? – Rosalie argumentou com Carslile. Em sua mente a dúvida

sobre as intenções de Jacob e as minhas.

– Eu consigo ler a mente de Jacob. Você acha que eu me ausentaria sem ter a certesa de

que ela estaria bem? – Me irritei com ela.

– Não sei. De você posso esperar tudo. – Ela disse com cara de desdém.

Foi o que me bastou. Eu rosnei para ela e já me preparava para avançar sobre ela

quando Emmet me deu um abraço de ferro impedindo que eu a matasse. Eu estava com

muita raiva dela. Jasper sentiu e veio me impedir também. Ele usou seu dom sobre mim,

mas não fazia muito efeito. Eu via a mente de Rosalie pretenciosa. Ela tinha a certesa de

que eu não a mataria, por causa de Bella, mas eu não tinha tanta certesa quanto ela.

– Calma, Edward. E você também , Rosalie. Vamos agora! – Ordenou então Carslile.

Rose assentiu e ficou esperando que eu passasse primeiro. “Vou ficar de olho em

você. Não vou deixar que você machuque Bella e o bebê”, ela me dizia em sua mente.

– Monstro. – Eu a corrigi.

Fomos todos para o outro lado do Rio. Eu podia ver ao longe a mente de Jacob

mas não contei nada aos outros, mesmo com o pedido deles. Jacob teria a chance de

argumentar com ela. Rosalie ficava andando de um lado para o outro, mas sempre com

os olhos grudados em mim, assim como Emmet e Jasper. Me virei e me concentrei em

Jacob e nas palavras que Bella falava para ele. Algumas machucavam mais que as

outras.

“– Ele pediu para você gritar comigo?”

“– Tudo vai ficar bem, você sabe. Eu acredito nisso.”

“– Talvez. Eu não estou falando que as coisas vão ficar bem facilmente, Jake. Mas

como eu posso ter vivido tudo que já vivi sem acreditar em magia a esse ponto?”

“– Eu não sei ainda, Jake. Mas eu só... sinto... que tudo isso está indo para um lugar

bom, difícil de ver agora. Acho que você pode chamar de fé.”

“– Eu não vou morrer. Eu vou fazer meu coração continuar batendo. Eu sou forte o

suficiente para isso.”

Mas nada disse chegou aos pés do que estava por vir.

“– Você não está pensando em sobreviver a isso humana.” – Jacob perguntou a Bella.

Na sua mente ele já havia entendido bem o propósito de Bella e estava assustado.

“- Não. Eu não sou estúpida. Mas, acho que você provavelmente tem sua própria

opinião sobre isso.”

“– Vampirização de emergência.” – Ele disse a ela, confirmando onde ela queria

chegar.

“– Funcionou para a Esme. E o Emmett, e a Rosalie, e até para o Edward. Nenhum

deles estava em ótima forma. O Carlisle só os mudou porque era isso ou a morte. Ele

não acaba com vidas, ele as salva.” – Ela então terminou.

Eu me desesperei quando ouvi tudo isso. Ela tinha noção absoluta do que ia

acontecer ... esperava a cada dia por isso e confiava plenamente que eu a salvaria. O

buraco em meu peito se abriu mais, era como se alguém tivesse arrancado a força meu

coração e pisado na minha cabeça ... como ser atropelado por um tanque de guerra ou

uma bomba atômica ter explodido dentro de mim. Me sentia despedaçado e não

consegui aguentar meu próprio corpo. Novamente me deixei cair na terra preta da

floresta. Minhas mãos arranhavam meu rosto e eu o batia no chão duro enquanto eu

ouvia.

“– Não espere até que seja tarde demais, Bella. Assim não. Sobreviva. Ok? Só

sobreviva. Não faça isso comigo. Não faça isso com ele.” – Jacob estava tão assustado

que até suplicou por mim, para tentar de alguma forma mudar a idéia de Bella. “Você

sabe o que ele vai fazer quando você morrer. Você viu antes. Você quer que ele volte

para aqueles italianos assassinos?” – Bella naquela hora vacilou.

– Edward! – Esme veio correndo para mim e me abraçou. – Você está sofrendo muito,

meu filho. – Ela via meu sofrimento e tinha pena de mim, mas eu não merecia nada.

– Ela sabe que vai morrer e não se importa ... Que vai me deixar. – Disse abraçado a

minha mãe.

– Ela tem certesa que vai conseguir, meu filho. Entenda Bella. Aceite sua decisão. Ela

confia e você também devia. Ela te ama. – Esme tentou me convencer.

– Não posso aceitar que ela morra.

– Você vai ter que aceitar de uma forma ou de outra. Não vou deixar você interferir.

Prometi a ela e vou ajudá-la. – Disse Rosalie atrás de Esme.

– Saia de perto de mim, Rosalie. Não me provoque mais. Você está se divertindo com o

meu sofrimento, sua monstra. – Eu me soltei de Esme e disse na cara de Rosalie.

– Não estou me divertindo com nada. Você acha realmente que eu quero mal a Bella? –

Ela disse olhando nos meu olhos

– É o que parece. – A acusei.

– Você está errado, seu idiota. Eu sei que ela conseguirá. Você pode me chamar de

monstra, mas não sou eu que estou querendo matar um bebê. – ela me acusou.

– Aquilo não é um bebê. Você não vê o que está fazendo com a minha Bella?

– Ele só é forte como o pai. – Ela disse sorrindo e cruzando os braços na minha frente.

– Me deixe em paz, Rosalie!

Enquanto eu discutia com Rosalie, Jacob tentava argumentar com Bella dentro

de casa. Minha família estava impaciente. Carslile estava muito preocupado.

– Ela está bem, Carslile. – Disse respondendo às preocupações de meu pai.– Jacob só

está conversando com ela. – Menti. Eles estavam discutindo, mas Bella estava reagindo

bem.– Jacob está indo embora. Vamos voltar.

Saltamos o rio a tempo de ouvir Jacob correndo na floresta. Ele largou a moto e

se transformou rapidamente. Em sua mente eu via que ele ia avisar ao seu pai e

conversar com a matilha.

– Ele vai argumentar com a matilha. – Disse a todos e entramos em casa.

– Você acha que ele voltará logo? – Me perguntou Carslile.

– Não ... acho que não. Ele está indo para casa, avisar aos outros que Bella está viva. –

Informei a meu pai.

– Ok. Vamos caçar nos arredores então. – Ele pegou a mão de Esme e correu. “Não vou

ficar longe. Se precisar me liga”. Eu assenti.

– Bella! – Chamou Rosalie assim que entramos. A mostra estava preocupada em ver

que Bella estava sozinha, logo subiu para a sala. – Você está bem?

– Está tudo bem. Estamos bem. – Ela disse com a mão sobre a barriga.

Eu observava as duas ao entrar. Bella encontrou meu olhar e sorriu ...

inicialmente. Seus olhos se encheram de lágrimas quando percebeu meu sofrimento. É

claro que ela sabia que eu tinha ouvido tudo.

– Me leve para o quarto? – Ela disse, esticando os braços para mim, mas Rosalie fez

uma careta. – Preciso ficar à sós com ele, Rose.

– Venha. Eu te levo. – Rosalie disse já pegando Bella no colo. Eu fiquei em silêncio

seguindo as duas até meu quarto.

– Obrigado, Rose. – Bella agradeceu por chegar ao quarto sem sentir dor. Mas Rosalie

não saiu, ficou de pé, olhando para mim. – Por favor, Rose. Me deixe com ele. – Bella

pediu e Rosalie assentiu. Mas antes de sair avisou com a mente “Não se atreva.

Comporte-se para que ela não sofra mais”. Eu assenti, claro, e fechei a porta.

– Oi. – Bella me disse. – Venha cá. Fique comigo. – Ela me chamou e estendeu os

braços.

– Ok. – Eu atendi ao seu desejo. Me aproximei e me ajoelhei ao seu lado.

– Eu te amo. Já te disse isso hoje? – Ela me disse com um sorriso tímido no rosto pálido

e frágil.

– Você não precisa me dizer.

– Mas eu quero. Você precisa saber, mais uma vez.

– Mesmo assim você continua com essa loucura. Eu ouvi, Bella. Mesmo me amando e

sabendo como eu me sinto com tudo isso ... – Eu não me cansava de argumentar, de

implorar, de pedir.

– Eu sei, mas ...

– Mas o que, amor? Eu ouvi tudo, você não precisa me dizer nada. Eu que preciso me

desculpar mais uma vez. Eu precisava tentar ... ele era a minha última espereança.

– Eu sei. Devia ter desconfiado quando vocês chegaram e você tirou todo mundo de

casa.

– Desculpe por te amar tanto ... por não querer perder você. – Eu deitei minha cabeça

na cama, não conseguia me controlar, mas precisava. Ela sofreria mais ao ver meu

rosto contorcido pela dor e pelo sofrimento.

– Você não vai me perder ... você vai me salvar ... mais uma vez. Eu confio nisso e você

também precisa confiar. – Ela dizia acariciando meus cabelos.

– Bella...

– Shh... – Ela não me deixou falar. – Nós vamos conseguir. Eu decidi me casar para

ficar com você para sempre ... por que eu te amo.

– Para sempre ... – Eu prometi olhando no fundo de seus olhos. “Seja lá onde for.”,

emendei na minha mente.

– Não fique triste, por favor. Confie em mim. – Eu não respondi. – Eu preciso de você

ao meu lado, sempre. Eu sei que você vai encontrar uma maneira de me salvar

rapidamente.

– Eu vou fazer o possível para manter sua vida atada a minha, de alguma maneira. – Eu

prometi. Se ela se fosse eu iria logo em seguida.

Foi nessa hora que eu ouvi os pensamentos de Jacob na forma de lobo, e ele não

estava sozinho. Me levantei imediatamente e Bella se assustou. Pousei minha mão sobre

sua face e a acariciei levemente, para tranquilizá-la.

– Rosalie? – Chamei a monstra. Eu sabia que Bella preferiria a monstra a qualquer

outro.

– O que foi? – Ela chegou rapidamente, assustada por eu tê-la chamado. Imaginou

logo que algo estava errado.

– Jacob está voltando e não está sozinho. – Disse a Rosalie e Bella se apavorou.

– Eles ... eles ... – Bella tentava falar mas não conseguia.

– Calma, amor. Não vou deixar eles encostarem um dedo em você. – Eu dizia

acariciando seu rosto.

– Mas ... mas ... – Ela começou a se apavorar. Levou a mão a boca. Ia vomitar

novamente. Rosalie logo apareceu com a bacia.

– Fique calma, amor. – Olhei então para Rosalie. – Você pode cuidar dela enquanto eu

cuido isso ? – Tive que recorrer a monstra, contra minha vontade, mas não havia outro

jeito.

– Nem precisava pedir. Vá logo.

Corri para o andar de baixo e informei a Emmet e Jasper que Jacob estava a

caminho acompanhado. Eles logo se colocaram de pé.

– O que eles querem?

– Ainda não sei.

Mas logo pude ouvir mais claramente a mente deles.“– Se você puder me ouvir –

prepare as defesas, sugador de sangue. Vocês estão com problemas.”, Jacob pensou.

– Acho que teremos problemas, mas não com eles. Vamos. – Chamei meus irmãos e

fomos para a varanda, esperar por Jacob e Seth que corriam para cá, ainda como

lobos. – Jacob? Seth? O que está acontecendo? – Eu disse me apoiando no beiral.

Li então a mente deles, arfei. Meus irmão não entendiam mas se posicionaram

ao meu lado na varanda. Eu via na mente de Jacob toda a briga com a alcatéia, sua

separação, a ira de Sam e ...

– Eles querem matar a Bella? – Gritei rosnando e saltei para o jardim.

Emmet e Jasper entenderam mal e saltaram para meu lado mostrando os dentes

para os lobos. Eles iriam lutar comigo. Eles haviam prometido proteger Bella a todo

custo, por toda sua vida, humana ou imortal, depois de Bella ter ido atrás de mim em

Volterra. Eles estavam prontos para agir.

– Hei, Jazz ... eles não! Os outros. O bando está vindo. – Os impedi, mas Jasper ficou

alerta tentando captar os sentimentos dos lobos. Jasper não tinha a mesma facilidade

com eles, não teve tempo de adaptar seu dom a essa nova espécie.

– Qual o problema deles? – Emmet questionou.

– O mesmo que o meu. Mas eles tem os seus próprios planos para lidar com a situação.

Junte os outros. Chame Carlisle! Ele e Esme precisam voltar para cá agora mesmo.

Começei então um diálogo mental com Jacob enquanto Emmet ligava para

Carslile. Jacob ficou preocupado por Carslile estar fora.

– Eles não estão longe. – Informei a Jacob.

“– Eu vou dar uma olhada. Correr o perímetro oeste.” – Pensou Seth.

– Você estará em perigo, Seth? – Perguntei.

“– Acho que não.” – Os dois responderam depois de uma troca de olhares..

“– Mas talvez eu devesse ir. Só para garantir...”, Jacob disse.

“– As chances de eles me desafiarem são menores. Eu sou apenas um garoto para

eles.” –O Seth discordou.

‘– Você é apenas um garoto para mim, garoto.” – Jacob brincou com Seth.

“– Eu estou indo. Você precisa combinar as coisas com os Cullen.”, então Seth

desapareceu na floresta.

Emmet ligou para Carslile, que assim que soube mudou o curso e já estava

correndo de volta com Esme. Eles não demorariam a chegar. Jasper ainda observava

tudo. Alice estava ansiosa dentro de casa, ela fazia companhia à Rosalie nos cuidados de

Bella e assim que pode veio para fora. Quando viu a pose alerta de Jasper na frente de

Jacob como lobo, não tardou e se aproximou, sua mente estava confusa por não poder

ver, ela tinha muitas dúvidas.

– Esta não é a primeira vez que eu fico lhe devendo minha gratidão, Jacob. – Disse me

referindo ao seu rompimento com Sam, por Bella. No passado Jacob o convenceu de

nos ajudar contra os recém-nascido por Bella, agora isso. A minha entrada na vida de

minha Bella não afetou apenas a sua vida, mas de toda a cidade. – Eu jamais te pediria

isso.

“– Sim, você pediria.” – Ele estava certo. Sim eu pediria se fosse por Bella. Assenti

então.

– Eu suponho que você esteja certo sobre isso. – Confirmei.

“– Bom, esta não é a primeira vez que eu não fiz por sua causa.” – Ele me disse

mentalmente.

– Certo. – Tive que concordar com suas palavras. Jacob também faria qualquer coisa

por Bella, como eu. Ela a amava.

“– Desculpe se eu não fiz nada que prestasse hoje. Eu te disse que ela não me daria

ouvidos.” – Jacob se desculpou. Mas ele tentou.

– Eu sei. Eu nunca acreditei realmente que ela aceitaria. Mas... – Tentei me explicar mas

ele me interrompeu.

“– Você tinha que tentar. Eu entendo. Ela está melhor?” – Jacob perguntou

preocupado.

– Pior. – Respondi a ele. Quando a deixei com Rosalie, Bella estava ofegando por ar,

mas eu precisava impedir um suposto ataque. Jacob vacilou quanto ouviu minhas

palavras.

– Jacob, você se importaria de mudar de forma? – Alice, ansiosa ao lado de Jasper só

ouvia minhas palavras e não entendia nada. – Eu gostaria de saber o que está

acontecendo.

– Ele precisa ficar ligado ao Seth. – Eu expliquei por que Jacob não havia se

transformado em humano novamente a minha irmã.

– Bom, então você seria tão gentil ao ponto de me contar o que está acontecendo? – Ela

pediu então.

– O bando acha que Bella se tornou um problema. Eles vêem perigo potencial no... no

que ela está carregando. Eles acham que é obrigação deles remover esse perigo. Jacob e

Seth se desvincularam da matilha para nos prevenir. Os demais estão planejando atacar

hoje à noite.

Alice, Jasper e Emmet ficaram alertas quando perceberam que o perigo poderia

estar rondando a casa. Eles foram checar perto das árvores para ver se algum cheiro

viria com a brisa que soprava. Mas nada veio e eles relaxaram ... um pouco.

“– Ninguém por lá. Tudo quieto na frente oeste.” – Seth informou mentalmente.

“– Talvez eles circulem.” – Jacob deu então uma sugestão à Seth. Ele tinha mais

experiência e conhecia bem Sam.

“– Eu darei a volta.”, Seth então correu.

- Carlisle e Esme estão vindo. Vinte minutos, no máximo. – Emmet se virou e me

contou. Isso era bom.

– Nós devíamos nos colocar em posição defensiva. – Jasper sugeriu e eu assenti.

– Vamos entrar. – Eu disse aos meus irmãos que logo entraram.

“– Eu vou correr o perímetro com o Seth. Se eu me afastar muito e você não conseguir

escutar meus pensamentos, fique atento ao meu uivo.” – Jacob me deu sua trajetória.

– Eu ficarei. – Confirmei a Jacob.

Entrei e fui logo ver Bella que ainda estava no quarto. Emmet tinha avisado a

Rosalie que estava tudo “sob controle” de forma que Bella não se preocupasse. Ela

ainda estava deitada, mais abatida por conta da minha saída.

– Amor, estou aqui. Desculpe a demora. – Entrei e me ajoelhei ao seu lado. Acariciei

sua face pálida.

– Está tudo bem? Onde está Jacob. – Ela perguntou com a voz fraca.

– Ele está bem. Está com Seth. Só veio avisar que ... todos em La Push já sabem que

você está ... viva. Bem. ... Ele não entrou em detalhes. – Não era preciso stressa-la

mais.

“– Ótimo. Ela ficaria mais nervosa. Pelo menos nisso você pensou.” – Pensou Rosalie

e eu assenti com a cabeça levemente. Ela entendeu.

– Quero ir para a sala. Me tire daqui por favor. – Eu atendi ao seu pedido.

Na sala, Bella se deitou novamente, ela estava muito fraca, sua última refeição

foi há mais de 40 horas, depois nada ficou em seu estômago. Carslile, assim que chegou

me informou mentalmente que havia se encontrado com Seth. Ele se preocupou quando

viu Bella e foi examiná-la. Em sua mente eu via sua preocupação.

– Edward, Rosalie. – Ele nos chamou bem baixo e fez sinal para que

acompanhássemos. – Bella está muito fraca e não consegue se alimentar. Vou precisar

levar alimento pela veia e preciso do apoio de vocês.

– Ok. – Disse Rosalie. – Ela fará se souber que é pelo bebê.

– Ela morre de medo de agulhas. – Disse.

– Mas ela fará. – Assegurou Rosalie, como se tivesse toda a certesa do mundo.

– Jasper pode ajudar. – Sugeriu Carslile.

– Isso será bom. – Gostei da idéia. Ele evitaria que Bella sofresse tanto. Jasper se

esforçava, por Alice, já que ela não podia estar tão presente.

Rosalie conseguiu convencer Bella. A sala então teve que sofrer umas

modificações. Emmet e Jasper rapidamente trouxeram o equipamento médico de

Carslile, Bella saiu do sofá e foi para a maca. Esme acionou o sistema defensivo e parte

das janelas receberam um tipo de persiana metálica que impedia a visão do interior.

Jasper então acalmou Bella para que ela não ficasse muito nervosa e Carslile inseriu a

agulha. O alimento foi sendo introduzido bem devagar, não sabíamos a reação do corpo

de Bella, e este foi impressionante, ela deixou Carslile trabalhar enquanto olhava

fixamente para Rosalie, que segurava sua mão amigavelmente. Elas estavam em total

sintonia, com um objetivo em comum. Pude ver tudo pelos olhos do outros.

Simplesmente não conseguia ver com meus próprios olhos, minha Bella tão debilitada

assim.

“– Cala a boca, cala a boca seu idiota! Eles vão pensar que a matilha está vindo!” –

Jacob reclamou com Seth. Algo estava acontecendo.

Fui para a varanda novamente esperar por Jacob. Precisava ouvir seus

pensamentos longe de Bella.

“– Alarme falso, alarme falso.Desculpe. Seth é jovem. Ele esquece as coisas. Ninguém

está atacando. Alarme falso.” – Jacob me disse mentalmente enquanto corria. – “Não

tem nada lá fora, você entendeu isso?” – Ele disse quando pôde me ver. Eu assenti

apenas com a cabeça .

Quando me virei para voltar para a sala pude ver a cena com meus próprios

olhos. Bella adormecida sobre um leito hospitalar, havia monitores cardíacos, respirador

artificial e ela estava com agulhas fincadas em seu corpo frágil. Ela estava tão magra ...

e pálida. Quase não consegui me segurar em pé. Fiz sinal para que Jacob ficasse fora,

ele me odiaria mais e sofreria também se visse aquilo, mas minha reação só o deixou

mais cuiroso, pude ver na mente dele.

Emmet, como todos, estava curioso para saber o porque de eu ter deixado Bella

alí e saído tão de repente, mas somente ele perguntou.

– Foi alarme falso. Seth estava chateado por alguma outra razão e esqueceu que nós

estávamos esperando por um sinal. Ele é muito jovem. – Forcei a voz e expliquei.

– Legal ter crianças que mal estão caminhando guardando a fortaleza. – Emmet

reclamou.

– Eles nos prestaram um grande serviço hoje à noite, Emmett. Um grande sacrifício

pessoal. – “Carslile, sempre justo.”, pensei ao ouvir a voz de meu pai.

– É, eu sei. Eu só estou com inveja. Eu queria estar lá fora. – Emmet então se justificou,

ele queria fazer alguma coisa. Estava meio entediado.

– Seth não acha que Sam vá atacar agora. Não conosco prevenidos e com dois a menos

na

matilha. – Dei mais informações a eles.

– O que Jacob pensa? – Perguntou Carslile, queria ter uma real visão de toda a

situação, confiava em Jacob.

– Ele não é um otimista. –Falei a verdade.

Eu sabia que Jacob estava lá fora ouvindo nossa conversa. Ele estava

preocupado também. Ficou lá só ouvindo, mas alerta em contato mental com Seth.

Eu fiquei em pé, parado olhando minha Bella dormir. Mesmo com o alimento

intravenoso, Bella não parecia mais corada, ela ainda estava pálida, respirava com

dificuldade e sua barriga parecia maior ... O monstro ainda crescia rapidamente. Em

alguns momentos eu quase não me aguentava em pé de tanta angústia.

Carslile quiz aproveitar o momento em que Bella estava adormecia para colher

um pouco do líquido aminiótico, Jasper tinha deixado Bella bem apagada para que ela

pudesse se recuperar mais enquanto dormia, então ela não sofreria por conta do seu

pavor de agulhas, ainda mais sendo introduzida na sua barriga. Ele já preparava o

equipamento numa mesa próxima à maca, quando Rosalie o impediu.

– Não toque nela! Você vai acordá-la. – Rosalie reclamou falando baixo, mas se

colocando entre Carslie e a maca de Bella.

– Rosalie. – Carslie murmurou.

– Nem vem, Carlisle. Nós o deixamos fazer o que você queria antes, mas isso é tudo que

nós vamos permitir.

Eu me afastei um pouco, estava por um fio ... não aguentava mais, estava

desmoronado. Bella, parecendo perceber tudo começou a se agitar ainda dormindo. Seu

coração acelerava ... seu rosto se contorceu. Ela estava sufocando e gemeu. “Ah! Não ...

Bella!”, pensei e me aproximei ... o mesmo fez Rosalie. Um espasmo fez o corpo de

Bella se contorcer e ela choramingou ainda dormindo. “Ela está sentindo dor”, pensei.

Quando Rosalie tocou nela eu vi tudo vermelho ... meu corpo se enrijeceu e eu me

enfureci. Não aceitava que Rosalie podia tocar em minha Bella e o monstro nem se

importava, ao contrário de mim, quando eu tocava em Bella ele simplesmente se

enfurecia e machucava Bella enquanto se contorcia em sua barriga.

– Não hoje à noite, Edward. Nós temos outras coisas com que nos preocupar. – Emmet

se pôs rapidamente entre mim e Rosalie com as mãos levantadas me impedindo de

seguir em frente. Vi em sua mente que meu rosto era de puro ódio.

Ve virei e me afastei. Eles a estavam protegendo de mim ... protegendo Rosalie,

Bela e o monstro ... de mim. Dei de cara com os olhos de Jacob, ainda lobo, ele havia

visto, entendido tudo e correu. “Pior. Sim, ela está pior.”, ele pensou.

Fiquei alguns minutos me acalmando, olhando para a floresta negra que rodeava

minha casa, precisava aguentar mais. Eu tinha feito de tudo para convencê-la, apelei

para seu bom senso, implorei inúmeras vezes, pedi ajuda a todos, inclusive Jacob, mas

nada a vez recuar. Havia uma real possibilidade de perdê-la, eu sabia disso, e isso não

era uma coisa fácil de se assimilar, era na verdade torturante. O buraco em meu peito,

que havia sido cicatrizado por Bella quando me perdoou estava novamente aberto e eu o

sentia sangrando ... eu estava definhando como ela. Parecia que o monstro usava meu

corpo como alimento, assim como ele fazia com Bella. Me virei, juntei minhas forças e

fui para seu lado novamente.

– Você está bem? – Perguntou Emmet vindo ao meu encontro novamente, se colocando

entre mim e a maca de Bella.

– Não. Mas vou me comportar, prometo. – Disse a verdade. Ele assentiu e saiu do meu

caminho.

Bella agora dormia mais serenamente. Jasper estava cumprindo sua promessa,

usava seu poder quase incansavelmente sobre Bella, ele sabia que Alice gostaria disso, e

ele fazia tudo isso por ela também, assim como eu faria tudo por Bella, mas ele tinha a

sorte de que sua parceira e amada, nunca passaria por algo, nem próximo do que Bella

estava passando. Olhei para ele e agradeci mesmo sem palavras. Ele assentiu

entendendo o que eu queria dizer, mesmo sem dizer nada.

Deitei minha cabeça sobre o braço da maca de Bella e começei a pensar na

promessa que eu fiz a Bella ... ela contava comigo e eu não poderia falhar com ela. Do

monstro eu cuidaria depois que Bella estivesse bem... depois de salvá-la...

transformando-a. Essa era a minha única saída já que o monstro rasgaria seu corpo para

sair. Pensar nisso me doía. Eu sentia a mente de todos, eles também estavam

apreencivos e preocupados, mas havia algo estranho, eu sentia a presença, não de 8

pessoas em casa ... havia algo mais que eu não entendia. Não era humano, nem mortal.

“Acho que estou louco.”, pensei. O coração de Bella batia irregular, eu ouvia e

observava sua respiração a todo momento, torcendo para que ela estivesse certa, que ela

fosse forte o suficiente para aguentar até que eu a salvasse. Mesmo pálida, magra e

fraca, Bella ainda estava linda.

A noite correu “bem”, na medida do possível. Jasper era muito competente e

ficou firme. Nos momentos em que Bella se agitava ele aumentava a dose psíquica de

tranquilizante.

– Obrigado, irmão. – Eu disse olhando para Jasper e ele assentiu com um sorriso

tímido. “De nada. Eu prometi que protegeria Bella e estou cumprindo a minha

promessa, por ela, por Alice e por você.”, ele me respondeu mentalmente.

Bella acordou por volta das 5 horas da manhã. Ela precisava ir ao banheiro.

Rosalie e eu a ajudamos, já que Carslile não permitiu a retirada das agulhas, mesmo

com Bella pedindo. Rosalie logo a convenceu que era pelo “bebê” e Bella logo mudou

de idéia. Quando saiu do banheiro, Bella parecia mais cansada, levei ela para a maca e

fiquei ao seu lado. Bella quase não falava, estava muito fraca, sua barriga estava maior.

Rosalie se sentou no sofá ao lado de Emmet o tempo todo de olho em mim; sua mente

estava alerta, mas ela tinha sede, estava lutando muito contra, isso eu tive que admitir.

– Jacob esta de volta, como humano e traz novidades. Carslile, por favor? – Informei a

todos e pedi para que meu pai o recebesse. Não seria bom que ele entrasse e visse Bella

assim. – Ele está muito cansado, dormiu mas correu a noite toda.

– Ok. Fique com ela. Se precisar me chame. – Ele disse já indo para a porta.

Assim que Jacob foi se aproximando da casa, Alice apareceu no andar de baixo e

foi logo para o lado de Jasper. Ela se sentia melhor agora e queria poder ver Bella.

“– Oi. Como ela está?” – Alice me perguntou mentalmente. Eu apenas não me movi e

ela entendeu. – “Ok ... entendi. Vamos acreditar, ok? É tudo que podemos fazer agora.

Não consigo ver nada direito, fica mudando toda hora e muito rápido. Desculpe”

Acho que Bella estava tão cansada que nem ouviu nada. Ficava apenas olhando

para mim fixamente e acariciando a sua grande barriga ... ela realmente amava o

monstro que a feria. Pude ver sua barriga rapidamente, antes de Bella a cobrir ... os

hematomas só aumentavam. Fixei meus olhos nos dela, apreciando os belos olhos

chocolate enquanto eu podia e ela fazia o mesmo.

“– Precisamos nos preparar, Edward, disso eu sei. Vou levar Emmet e Jasper para

cima, para podermos conversar sem incomodar Bella, ok?”, ela me perguntou

mentalmente e assim que eu assenti ela fez sinal para os outros, que logo a seguiram.

Não me preocupei em ouvir o que eles falavam, queria apenas fitar minha Bella. Eu

apenas ouvia o diálogo entre Carslile e Jacob, para ver se algo teria mudado na matilha,

se algum perigo rondava mais perto. Algumas coisas doiam mais do que outras. Jacob

estava preocupado e tentava se distrair tentado compreender a situação.

“– Você acha que existe alguma chance dela conseguir? Digo, como um vampira e tudo

mais. Ela contou... sobre Esme.”, Jacob perguntou a Carslile que logo respondeu.

“– Eu diria que ainda tem uma chance neste ponto. Eu já vi o veneno de vampiros fazer

milagres, mas tem situações que nem mesmo o veneno pode superar. O coração dela

está se esforçando demais agora; se ele falhar... não haverá nada que eu possa fazer.

Mas algumas coisas chamaram mais a minha atenção do que outras. Jacob

pensava muito enquanto eles conversavam, mas não falava em voz alta enquanto

Carslile lhe explicava tudo. Num desses seus pensamentos uma idéia veio a minha

mente ... uma saída para ajudar Bella a aguentar ... a suportar.

“– Eu poderia contar a eles exatamente o que o ele quer: morte e sangue, sangue e

morte.”

“É isso ... Jacob está certo. Se o monstro é um vampiro, ele quer é sangue ... e

sangue humano. Ele está se alimentando do que ele tem perto, Bella .. o sangue dela! É

isso. Jacob é um gênio! Pode dar certo ... pode ajudá-la.”, pensava e acho que minhas

feições foram mudando. Rosalie ficou alerta e confusa. As sombrancelhas de Bella se

arquearam em dúvida. Meu corpo relaxou por alguns momentos quando a esperança o

invadiu. Era como um novo gás alimentando meu corpo.

– Eu já venho, Bella. Eu quero falar com Carlisle por um momento. Na verdade,

Rosalie, você se importaria de me acompanhar? – Fiquei de pé, acariciei de leve o rosto

de Bella e olhei para Rosalie.

– O que foi, Edward? – Bella disse preocupada com a voz rouca, falhando.

– Nada com que você precise se preocupar, amor. Só levará um segundo. Por favor,

Rose?

– Esme? ...Você pode tomar conta de Bella pra mim? – Rosalie falou e Esme logo

surgiu na escada.

– Claro. – Esme concordou.

Não sabia qual seria a reação de todos e não queria que Bella ouvisse, ela sempre

teve aversão ao cheiro de sangue, na verdade ela ficava enjoada e com vertigens. Passei

pela porta e assim que Rosalie a atravessou, fechei.

– Carlisle. – Disse baixo para não alertar Bella.

– O que foi Edward? – Ele disse também falando mais baixo.

– Talvez nós estejamos lidando com isso da maneira errada. Eu estava escutando você e

Jacob agora, e quando vocês estavam falando sobre o que o... feto quer, Jacob teve um

pensamento interessante. – Eu disse e na mente de Jacob um sinal de interrogação

enorme surgiu.– Nós realmente não tínhamos pensado por este ângulo. Nós temos

tentado dar a Bella o que ela precisa. E seu corpo está aceitando isso tão bem quanto

qualquer um de nós

aceitaria. Talvez nós devêssemos nos concentrar no desejo do... feto primeiro. Talvez se

nós o satisfizermos, poderíamos ajudá-la mais efetivamente.

– Não estou conseguindo te acompanhar, Edward. – Carslile não estava entendendo, ele

não havia ouvido o que Jacob pensou.

– Pense bem, Carlisle. Se aquela criatura é mais vampiro do que humano, você não pode

adivinhar o que ela quer ... o que ela não está tendo? Jacob adivinhou. – Disse quase

eufórico.

– Oh. Você acha que ele está ... com sede? – “Agora sim.”, pensei e vi na mente de

Rosalie que ela acompanhou minha linha de pensamento.

– Claro. Carlisle, nós temos todo tipo de O negativo economizado para Bella. É uma

boa idéia. – Rosalie gostou.

– Hmm. – Carslile começou logo a pensar nas alternativas, como médico. – Eu me

pergunto... e então, qual seria a melhor maneira de administrar...

– Nós não temos tempos para ser criativos. Eu diria que nós deveríamos começar com o

modo tradicional. – Rosalie ficou eufórica também e queria logo por o plano em ação.

– Espere um momento. Esperem. Vocês... vocês estão falando sobre fazer Bella beber

sangue? – Jacob então se manifestou enojado.

– Foi idéia sua, cachorro. – Rosalie então se comportou como ela mesma, rude e grossa.

– Isso é... – Jacob tentava encontrar uma palavra para descrever o que sentia.

– Monstruoso? Repulsivo? – Eu o ajudei.

– Por aí. – ele me disse.

– Mas e se isso ajudá-la? – Pedi.

– O que vocês irão fazer, enfiar um tubo pela garganta dela? – Ele estava mesmo

preocupado.

– Eu planejava perguntar a ela o que ela acha. Eu só quis falar com Carlisle primeiro. –

Disse e vi na mente de Rosalie que ela aprovava. Isso era um ponto a favor, ela

convenceria Bella, e ela assentiu.

– Se você disser a ela que isso pode ajudar o bebê, ela estará disposta a qualquer coisa.

Mesmo se nós tivermos que alimentá-los com um tubo. – Ela então confirmou as

minhas expectativas.

Nessa hora a ficha caiu na mente de Jacob. Eu não tive a oportunidade de falar

das reais intenções de Rosalie com ele, mas ele entendeu bem. Ele me observava e eu

assenti para ele, somente para ele. Claro que ele entendeu na mesma hora. “ Rosalie

provavelmente colocaria o tubo na garganta de Bella ela mesma.”, ele pensou e eu

assenti novamente, enojado com a provável atitude de Rosalie, se pudesse, mas nem eu

nem Carslile permitiríamos.

– Bem, nós não temos tempo para sentar e discutir sobre isso. O que você acha,

Carlisle? Podemos tentar? – Rosalie disse impaciente, ela queria agir.

– Perguntaremos a Bella. – Carslile se levantou e disse. Rosalie sorriu com esperança e

seguimos para dentro de casa.

– O que está acontecendo? – Bella ficou preocupada assim que viu nossa aproximação,

ela ficou agitada e tentou proteger a barriga que parecia ter crescido mais depois que

saímos. Rosalie correu na minha frente, seguido por Carslile. Eu fui mais lento, acho

que era por conta da fraqueza por não caçar a muito tempo, ou a agonia que consumia

minhas forças.

– Jacob teve uma idéia que talvez possa te ajudar. – Carslie a tranquilizou ao se

aproximar mais. – Isso não será... prazeroso, mas...

– Mas isso ajudará o bebê. – Rosalie completou com a frase que convenceria Bella. –

Nós pensamos em uma maneira melhor de alimentá-lo. Talvez.

– Não prazeroso? – Bella disse num tom sarcástico, enquanto olhava para o frasco do

alimento que entrava por suas veias. – Senhor, isso será uma grande mudança. –

Rosalie então sorriu para ela.

– Bella, amor, nós vamos te pedir para fazer algo monstruoso. – Disse a ela ao me

aproximar. Peguei uma das mãos que ela mantinha protetoramente sobre a barriga e

acariciei. – Repulsivo.

– Quão ruim? – Ela me perguntou depois de engolir seco.

– Nós achamos que o feto possa ter um apetite mais próximo ao nosso do que ao seu.

Achamos que ele está com sede. – Carslile então explicou a Bella. Ele estava do outro

lado da maca, ao lado de Rosalie.

– Oh. Oh. – Foi só o que Bella disse.

– Sua condição ... a sua e a dele ... está se deteriorando rapidamente. Nós não temos

tempo a perder, para conseguir maneiras mais saborosas de fazer isso. O jeito mais

rápido de testar a teoria... – Carslile então explicou a idéia.

– Eu terei que beber. – Bella balançou levemente a cabeça concordando, claro, sendo

pelo monstro ela faria qualquer coisa. – Eu posso fazer isso. Praticar para o futuro,

certo? – Ela me disse sorrindo, mas eu não consegui retribuir. – Então, quem vai pegar

para mim um urso cinzento? – Ela não tinha captado totalmente a idéia. Eu e Carslile

percebemos e olhamos um para o outro, até Rosalie que estava impaciente. – O que? –

Bella perguntou quando viu nossa troca de olhares.

– Será um teste mais efetivo se nós não ultrapassarmos as normas, Bella ... – foi

Carslile que explicou.

– Se o feto está desejando sangue, não é sangue animal. – Eu completei.

– Não fará diferença pra você, Bella. Não pense sobre isso. – Rosalie a encorajou mas

os olhos de Bella se arregalaram.

– Quem? – Ela perguntou olhando então para Jacob.

– Eu não estou aqui como um doador, Bells. Além disso, se é sangue humano que essa

coisa quer, eu não acho que o meu se aplica... – Jacob se defendeu.

– Nós temos sangue em mãos. Para você ... só pra garantir. Não se preocupe com nada

disso. Tudo ficará bem. Eu tenho um bom pressentimento sobre isso, Bella. Acho que o

bebê ficará muito melhor. – Rosalie dispensou então a “ajudinha” de Jacob.

– Bem, eu estou faminta, então aposto que ele também está. Vamos nessa. Minha

primeira ação como vampira. – Bella disse fazendo uma piada sem graça, ao meu ver.

Rosalie e Carslile então foram cuidar dos preparativos da “refeição” de Bella, eu

fiquei ao seu lado, segurando sua mão e olhando em seus olhos. Era sempre para eles

que eu ia. Bella parecia um pouco preocupada, mas mantinha a pose de forte. Eu estava

sofrendo muito por fazê-la passar por tudo isso ... na verdade eu me odiava duplamente,

por mim e por Jacob que nos observava e pensava em tudo que estava acontecendo, na

sua vida, na de Leah que agora fazia parte de sua matilha, em Sam e Emily, em mim e

Bella e nos comparava e mais, no que Bella estava prestes a fazer.

Rosalie desceu rapidamente para pegar um copo para abastecer com o sangue, vi

na sua mente o que ela estava pegando, mas não seria bom para Bella.

– Transparente não, Rosalie. – Eu disse me referindo ao copo.

Rosalie não tinha preocupação nem tato algum, simplesmente ia pegando

qualquer um. Depois da minha exigência ela entendeu e pegou então um outro copo,

agora colorido e com canudo.

– Isso foi idéia sua? – Bella disse para Jacob com muito esforço. Eu tinha muita pena

dela.

– Não me culpe por isso. O seu vampiro estava pegando comentários irônicos de dentro

da minha cabeça. – Jacob então se justificou e Bella sorriu. Eu olhava em seus olhos e

via todas as emoções que passavam por lá.

– Eu não espera vê-lo de novo. – Bella disse a Jacob.

– É, eu também não. – Ele respondeu.

Vi nos olhos de Bella que ela sentia culpa.

– Edward me contou o que você teve que fazer. Me desculpe.

– Tudo bem. Provavelmente era apenas uma questão de tempo até que eu estourasse por

causa de alguma outra coisa que o Sam me pedisse para fazer. – Jacob a tranquilizou,

mas mentiu. Ele só fez isso por ela.

– E o Seth? – Bella quiz saber.

– Na verdade ele está feliz por poder ajudar.

– Eu odeio te causar problemas. – Bella disse mas Jacob deu uma gargalhada, meio

latido na verdade. Bella entendeu bem. – Eu acho que isso não é novidade, não é?

– Não, não mesmo. – Ele assentiu.

– Você não precisa ficar e assistir isso. – Bella disse dispensando Jacob. Ela se

preocupava com todos, menos com ela mesmo. Isso me fazia sofrer.

– Eu realmente não tenho nenhum outro lugar para ir. Essa coisa toda de lobo é bem

menos encantadora depois que Leah veio para o nosso lado. – Ele então contou a

novidade.

– Leah? – Bella arfou.

– Você não contou para ela? – Jacob me questionou. “Para que falar? Leah não gosta

de Bella. Para que mais isso na cabeça dela?”. Eu simplesmente dei de ombros.

– Por quê? – Bella perguntou

– Para poder ficar de olho em Seth. – Jacob fez então o favor de resumir.

– Mas Leah nos odeia. – Bella sussurou para ele.

– A Leah não vai incomodar ninguém. Só a mim. Ela está na minha matilha, então ela

segue a minha liderança. Argh. – Jacob a garantiu. – Você está com medo da Leah, mas

você é a melhor amiga da loira psicopata? – Então nós ouvimos Rosalie reclamar no

andar de cima, ela ouvia tudo e não gostou. Eu sim, mas mantinha meus olhos em

Bella.

– Não fale assim. Rose... entende. – Ela resmungou defendendo a “loira psicopata”.

– Sim. Ela entende que você vai morrer e ela não se importa, desde que ela fique com o

seu filhote mutante como resultado desse acordo. – Jacob disse sem medir suas

palavras.

– Pare de ser um idiota, Jacob. – Bella reclamou com ele.

– Você fala como se isso fosse possível. – Ele então com pena dela recuou e até sorriu.

Carslile desceu com Rosalie depois de preparar o sangue. Eu senti o cheiro de

longe, a minha garganta ardeu com a sede e meu corpo se enrijeceu, “Não é hora para

isso!”, pensei. Jacob também sentiu o cheiro e logo entendeu o por que da minha

exigência em relação à transparência do copo.

Na mente de Carslile a dúvida surgiu, ele não sentia segurança, ainda mais

depois de ver o rosto de Bella, assim que ela o encarou. Bella estava com receio ... e eu

também. Ela aguentaria? Seu corpo absorveria? E pior ... qual a reação do monstro?

– Nós tentaremos um outro método. – Disse meu pai, recuando em sua convicção.

– Não. Não, eu vou tentar assim primeiro. Nós não temos tempo... – Ela disse

acariciando a barriga. Ela sabia que estava morrendo ... e rápido. “Como ela pode ...”,

eu gritava em minha mente. Queria poder voltar no tempo.

Bella estendeu seu braço e pegou o copo. Quase não o aguentava de tão fraca

que estava. Rosalie então a apoiou, já que estava daquele lado.

– Obrigado. – Bella sussurrou sorrindo para a “loura psicopata” e depois olhou em

volta, mas não prendeu seus olhos nos meus..

– Não se importe com eles. – Rosalie a encorajou.

Jacob estava confuso demais. Não sabia se ficava ou ia embora, ele calculava a

reação de Bella se ele fosse. Rosalie, impaciente, esperava. Carslile observava tudo, um

sinal de que o corpo de Bella tivesse rejeitado o sangue ele voltaria atrás, eu ... também.

Bella cheirou o copo e fez uma careta.

– Bella, minha querida, nós podemos encontrar um jeito mais fácil. – Eu disse já indo

pegar o copo, mas Rosalie me impediu.

– Tampe o nariz. – Rosalie disse olhando bem para a minha mão que se aproximava.

Em sua mente ela já me via sem o braço. Ela avançaria e eu revidaria ... a mataria com

as minhas próprias mãos.

– Não, não é isso. É só que... O cheiro é bom. – Bella disse depois de cheirar o canudo.

Jacob quase vomitou nessa hora.

– Isso é uma coisa boa. Isso significa que estamos no caminho certo. Tente beber um

pouco. – Rosalie disse toda animada.

Jacob observava cada reação de Rosalie, ele a odiava também por apoiar Bella,

como eu. Ele seria um aliado se isso tudo acabasse mal, ele acabaria com a “loura

psicopata” ao meu lado ... com certesa.

Bella então começou a beber. Seu rosto se contorceu e eu me aproximei dela,

ignorando completamente Rosalie. Acariciei seu rosto preocupado.

– Bella, amor ... – Eu ia pedir para que ela parasse. Ela não devia estar forçando algo

que não era de sua natureza, algo repulsivo para ela.

– Eu estou bem. – Ela me garantiu depois de abrir os olhos. Eu via seus dentes

vermelhos por conta do sangue. Jacob quase vomitou novamente. – O gosto também é

bom. – “Ela é tão forte e decidida.”, pensei e acariciei seu queixo.

– Isso é bom. Um bom sinal. – Disse Rosalie excitada com a reviravolta que isso

causaria. Bella então se animou e voltou a beber com entusiasmo.

– Como está o seu estômago? Você está nauseada? – Carslile perguntou preocupado.

– Isso vai estragar o meu total? Ou nós só vamos começar a contar depois que eu virar

vampira? – Bella me disse ao invés de responder a Carslile. Ela devia estar pensando

na aposta de Jasper e Emmet.

– Ninguém está contando, Bella. E de qualquer modo, ninguém morreu por conta disso.

– O sangue era doado. – O seu placar ainda está zerado. – Jacob pensou “Estou

boiando”.

– Eu explico mais tarde. – Disse a Jacob mas olhava para minha Bella enquanto ela

bebia.

– O quê? – Ela ficou curiosa.

– Apenas falando sozinho. – Menti.

“– Se ele tiver sucesso com isso, se Bella viver, Edward não conseguirá se safar tão

bem quando os sentidos dela estiverem tão afiados quanto os dele. Ele terá que

trabalhar na sua honestidade.”, Jacob pensou e eu segurei o riso, Bella não percebeu,

estava concentrada no sangue que bebia. Jacob pensava sem parar ... ele tentava

entender em como nós não avançávamos no copo com o sangue, se Bella o estava

ignorando e nas minhas reações enquanto eu o ouvia. “Senhor, como é que alguém

consegue agüentar morar com ele? Era realmente uma pena que ele não pudesse

escutar os pensamentos da Bella. Pois ele iria deixá-la de saco tão cheio quanto eu, e

ela logo se cansaria dele.”, ele pensou e eu não consegui segurar o riso. Bella então

olhou para mim.

– Algo engraçado? – Bella me perguntou já com mais animação.

– Jacob. – Disse.

– O Jake é uma figura. – Bella disse sorrindo um pouco.

– Bada-bing! – Jacob brincou e Bella sorriu mais. Foi ótimo. Depois bebeu até o final

do copo.

– Eu consegui. – Bella disse alegre consigo mesma. Sua voz estava um pouco mais alta

do que naqueles últimos 2 dias. – Se eu conseguir segurar isso no estômago, Carlisle,

você tira

as agulhas de mim? – Ela pediu animada.

– Assim que for possível. – Carslile prometeu a Bella. – Honestamente, elas não estão

lhe fazendo nada de bom mesmo.

A recuperação era visível. Sua face estava mais corada e seus olhos estavam

mais brilhantes, seu coração parecia bater num ritmo mais constante, mesmo depois do

esforço e sua respiração parecia mais fácil. Jacob também notou a diferença. Rosalie,

que ainda apoiava Bella a acariciou amávelmente, como se acariciasse um bebê em seus

braços. Isso me chocou. Nunca vi Rosalie daquele jeito, ela realmente estava sendo

sincera ... será?

– Você quer mais? – Rosalie perguntou a Bella, mas ela pareceu recuar.

– Você não precisa beber mais de imediato. – Disse a minha Bella, depois de fuzilar

Rosalie com os meus olhos. Ela a estava forçando.

– É, eu sei. Mas... Eu quero. – Bella me disse então.

– Você não precisa ficar com vergonha disso, Bella. O seu corpo tem desejos. Nós todos

entendemos isso. – Disse amavelmente, mas depois em sua mente eu vi que ela se

lembrou de Jacob. A sua presença a irritava, mas enquanto Bella bebia ela

simplesmente tinha esquecido dele. – Qualquer um que não entenda isso não deveria

estar aqui. – Mas Jacob não se deu nem ao trabalho de responder.

– Já volto. – Disse Carslile depois de tirar o copo da mão de Bella e correr para

reabastecer. Ele também ficou animado com a recuperação.

Bella estava visivelmente mais corada e eu também parecia me sentir melhor.

Senti então aquela sensação de alguém mais. Era estranho. O coração de Bella

batia mais rápido, mas ele parecia fazer eco. Eu comecei a desconfiar que eu estava

ouvindo dentro do ventre de Bella, então eu os deixei conversando e tentei me

concentrar. Minha mente trabalhava em duas coisas, eu tentava ouvir o monstro e ouvir

Bella, precisava monitorar os dois, para poder comparar.

– Jake, sua aparência está terrível. – Bella disse a Jacob, depois de o avaliar.

– Olha quem está falando. – Ele respondeu.

– Sério, quando foi a última vez que você dormiu? – Bella perguntou preocupada.

– Hum. Eu não tenho certeza. – Ele estava há muito tempo acordado.

– Ah, Jake. Agora eu estou estragando a sua saúde também. Não seja estúpido. – Bella

reclamou com Jacob. – Descanse um pouco, por favor. Tem algumas camas lá em cima

... você é bem-vindo em qualquer uma delas. – Mas Rosalie não gostou e Jacob

percebeu.

– Obrigada, Bells, mas eu prefiro dormir lá fora, no chão. Longe do fedor, sabe. – Jacob

disse a Bella mas a resposta foi direcionada à Rosalie.

– Certo. – Bella respondeu fazendo uma careta.

Carslile logo chegou com uma nova dose de sangue para minha Bella. Vi suas

pupilas dilatarem quando se esticou para pegar o copo, era como se ela seguisse um

novo instinto, o monstro estava mexendo com ela em todos os sentidos. O cheiro do

sangue não a incomodava mais, pelo contrário, a atraía, como a todos nós, exceto Jacob.

O monstro se movimentou em sua barriga quando Bella sentou, mas não a machucou ...

gostei disso. Bella bebeu tudo de uma só vez e sua pele aparentou uma nova cor, mais

rosada. Linda...

– Como você se sente agora? – Carlisle perguntou a Bella, em sua mente a esperança

ressurgiu.

– Não me sinto enjoada. Com um pouco de fome... Só que eu não tenho certeza se eu

estou com fome ou com sede, sabe? – Ela disse meio envergonhada.

– Carlisle, olha para ela. Isto é obviamente o que o corpo dela quer. Ela devia beber

mais. – Rosalie disse animada, a mesma animação que eu tinha.

– Ela ainda é humana, Rosalie. Ela precisa de comida também. Vamos lhe dar um pouco

de tempo para ver como isso a afeta, e depois talvez nós possamos tentar um pouco de

comida novamente. Tem alguma coisa que lhe pareça especialmente bom, Bella? – O

médico falou então.

– Ovos. – Bella disse e me olhou.

Ovos como eu fazia para ela na ilha todas as manhãs, ovos que ela devorava

depois de fazermos amor. Jacob percebeu nosso olhar e entendeu bem o que ela quiz me

dizer, mas ele estava muito cansado. Agora que Bella estava um pouco melhor ele

poderia descansar.

– Jacob. Você realmente deveria dormir. Como Bella disse, você certamente é bemvindo

nas acomodações daqui, apesar de você provavelmente se sentir mais confortável

lá fora. Não se preocupe com nada ... eu prometo que vou encontrá-lo se houver alguma

necessidade. – Prometi a ele, eu devia isso a ele.

– Claro, claro. – Jacob disse mas em sua mente ele pensou “Posso escapar. Enroscarme

debaixo de alguma árvore em algum lugar... Longe o suficiente para que o cheiro

não me alcançe.O chupador de sangue me acordará se alguma coisa der errado. Ele

me deve.”

– Eu devo. – Disse agora em voz alta e ele assentiu.

– Melhore. – Jacob disse a Bella, tocando na mão de Bella. Ele sentiu a aliança de

Bella e suas mãos frias.

– Obrigada, Jacob. – Bella agradeceu e apertou levemente a mão do amigo.

– Pegue um cobertor para ela. – Jacob pediu enquanto se virava para pegar o cobertor,

mas dois uivos cortaram a floresta. – Maldição. – Jacob disse e correu rasgando suas

roupas no ar. “Droga. Eram as únicas roupas que eu tinha.”, ele pensou.

Bella ficou preocupara como todos nós, mas eles esperavam pelas notícias que

eu passaria assim que descobrisse o que estava acontecendo. Me concentrei então.

“– O que é? – Jacob perguntou, já como lobo.”

“– Visitantes, pelo menos três. – Seth respondeu a Jacob.”

“– Eles se separaram?”

– Parece que os lobos de La Push resolveram de manifestar. São 3. Seth e Leah estão se

juntando a Jacob, eles vão checar. – Fui informando a eles. – Espere ... Eles pararam

para conversar, um dos lobos de La Push veio para a forma humana.

– Está mesmo tudo bem? – Bella me perguntou. – Você não está me escondendo nada?

– Claro que não, amor. Não preciso esconder nada de você. Você já me mostrou ser

mais forte do que todos pensavam, agora descanse, ok? – Disse afagando seu rosto.

– Ok. – Ela assentiu e deitou. – Carslile? Agora você pode tirar esse troço do meu

braço? – Ela pediu.

– Ainda não, Bella. Vamos esperar para ver como seu corpo reage, ok?

– Mas posso pelo menos sair dessa cama?

– Isso pode.

Assim que Carslile concordou, olhei para Jasper e ele entendeu. Jasper incidiu

então sobre Bella uma onda psíquica de tranquilizante, fazendo Bella adormecer para

não sentir dor quando tivéssemos que movimentá-la . Eu fiquei o tempo todo ao seu

lado e aproveitei o momento para narrar toda a conversa entre Jacob e os lobos de La

Push ao outros. Rosalie e Emmet observavam sem questionar, na mente deles eu via

mais tranquilidade e esperança, eles puderam então trocar um olhar apaixonado, depois

de todo esse tempo, Emmet sentia falta. Me senti culpado por estar mexendo com a vida

de todos, mas eles não se importavam. Aproveitei que Bella estava adormecida para

colocar minha família a par da situação da nova matilha de Jacob.

– Jacob está nos ajudando muito, a base de muito sacrifício. Ele deixou sua matinha e

sua família para nos ajudar. Precisamos fazer alguma coisa por ele e pelos outros.

– O que você sugere? – Perguntou Carslile preocupado também ... e agradecido.

– Ele rasgou sua única roupa ao partir rapidamente, acho que temos ainda roupas que

iriam para doação em casa, não temos?

– Sim, vou separar agora. – Esme falou ao pé da escada. Assim que ouviu meu relato

sobre a situação dos lobos correu para baixo.

A mudança nos móveis da sala ocorreu rapidamente e logo eu estava sentado no

sofá com os pés de Bella enrolados ao coberto no meu colo ... o monstro não se

incomodou ... acho que o novo alimento o alegrou. Assim que Bella acordou contei

sobre a ajuda que daríamos à matilha de Jacob e ela gostou, ficou mais tranquila, e

apesar de ainda estar recebendo alimento intravenoso contra a sua vontade bebia o

sangue no copo, enquanto Rosalie ficava sentada no chão perto da cabeça de Bella,

observando suas reações. Esme juntou rapidamente roupas antigas de Emmet que

pareciam caber melhor em Jacob e colocou na varanda, de forma a facilitar.

Emmet tinha ficado sentado em frente a TV entediado e com sede, queria estar lá

fora caçando, mas atendeu ao apelo de Carslile de que ficássemos todos aqui até termos

notícias novas, não aguentou muito tempo e subiu. Foi se juntar a Jasper para uma

partida de xadrex. Faziam companhia à Alice.

– Jacob está voltando. Está tudo sob controle, eles só queriam conversar e rearrumar as

fronteiras. Ele já viu as roupas e vai buscá-las. – Não entrei muito em detalhes, algumas

coisas poderiam entristecer Bella.

– Isso é muito bom. – Disse Esme mais tranquila. Ela estava com Carslile na cozinha

conversando, ela parecia mais esperançosa e queria os detalhes de Carslile.

Assim que mudou de roupa, Jacob entrou em casa vendo a mudança, ele

observou todos e pareceu mais tranquilo também. Não disse nada, apenas sorri de lado

para ele, Bella estava só meio acordada mas percebeu. Bella sorriu como sempre ao ver

Jacob. Isso ainda me incomodava ... eu estava muito grato pela presença dele em nossas

vidas hoje, mas o ciúme ainda me comia. Jacob pensava sobre isso também.

“ Qual era o problema dela? Pelo amor, ela estava casada! E muito bem casada,

também - não havia dúvida de que ela amava o vampiro dela além das fronteiras da

sanidade. E para terminar, ela estava enormemente grávida.”, era a dúvida dele e a

minha também.

– Eles só queriam conversar. Nenhum ataque no horizonte.

– Sim – Concordei. – Eu ouvi a maior parte.

– Como? – Jacob me perguntou.

– Eu estou te escutando com mais clareza ... é uma questão de familiaridade e

concentração. Além do mais, os seus pensamentos são um pouquinho mais fáceis de

ouvir quando você está na sua forma humana. Então eu captei a maior parte do que se

passou lá.

– Ah. Legal. Eu detesto ficar me repetindo.

– Eu te diria para ir dormir um pouco, mas como eu acho que você vai desmaiar no chão

em cerca de seis segundos, isso seria perda de tempo. – Bella então disse a Jacob,

preocupada ... claro.

– Um Mississipi... Dois Mississipi... – Jacob então se virou e saiu contando os

segundos para cair ao lado de uma árvore e apagar por algumas horas quando ...

– Qual a pressa, vira-lata? – Rosalie o provocou.

– Você sabe como a gente afoga uma loira, Rosalie? É só colar um espelho no fundo da

piscina. – Ele esperava só uma brecha para começar a provocar Rosalie, e ela o deu

essa brecha. Eu ri da briguinha infantil deles.

– Eu já conhecia essa. – Rosalie gritou para Jacob que já estava do lado de fora.

– Aonde você vai? – Bella me disse enquanto eu me mexia para levantar.

– Tem uma coisa que eu esqueci de dizer a ele. – Eu disse acariciando seu rosto antes

de sair.

– Deixe o Jacob dormir ... isso pode esperar. – Ela pediu por ele e Jacob em sua mente

também. “Sim, por favor, deixe o Jacob dormir.”

– Só vai demorar um momento. – Respondi aos dois e corri para fora de casa.

– Senhor, o que é agora? – Disse Jacob ao me ver.

– Me desculpe. – Parei e organizei meus pensamentos.

“– O que se passa na sua mente, leitor de mentes?”

– Quando você estava falando com os mensageiros de Sam antes, eu estava narrando

fala-a-fala para Carlisle, Esme e os outros. Eles estão preocupados... – Disse baixo para

não chamar a atenção de Bella dentro de casa. Ela estava atenta, vi na mente de

Rosalie.

– Olha nós não vamos baixar a guarda. Vocês não precisam acreditar em Sam como nós

acreditamos. Nós manteremos nossos olhos abertos apesar disso. – Ele quiz me garantir.

– Não, não Jacob. Não se trata disso. Nós confiamos no seu julgamento. Mais

propriamente, Esme está preocupada com as privações que isso tudo está impondo à sua

matilha. Ela me pediu para falar em particular com você sobre isso.

– Privações? – Ele não entendeu e eu tive que explicar.

– A parte de vocês estarem sem-teto, principalmente. Ela está muito chateada por vocês

todos estarem tão... desprovidos.

– Nós somos durões. Diga a ela para não se preocupar. – Ele disse depois de bufar.

– Ainda assim, ela gostaria de fazer o que estivesse ao seu alcance. Eu fiquei com a

impressão de que Leah prefere não comer enquanto está na forma de lobo?

– E? – Ele ainda não havia compreendido. Para ele isso que eu estava oferecendo era

completamente o oposto do que ele esperava.

– Bom, nós temos comida normal por aqui, Jacob. Mantendo as aparências, e, é claro,

para Bella. Leah é bem-vinda para se servir de que tudo que for do seu agrado. Todos

vocês são.

– Eu vou passar isso adiante. – Ele assentiu.

– Leah nos odeia. – Fiz uma observação.

– E daí?

– Tente dar o recado de uma forma que ela considere a oferta, se você não se importa. –

Fiz mais um pedido a ele.

– Eu farei o possível. – Ele concordou.

– E também há o problema das roupas. – Eu continuei.

– Ah sim. Obrigada. – Jacob agradeceu mas na sua mente ele falava sobre o cheiro.

“Provavelmente não seria educado mencionar o quanto elas fedem.”. Eu ri.

– Bom, nós podemos facilmente ajudar com quaisquer dessas necessidades. Alice

raramente permite que qualquer um de nós use duas vezes a mesma roupa. Nós temos

pilhas de roupas novas que são destinadas à caridade, e eu imagino que Leah seja de um

tamanho muito próximo ao de Esme... – Ofereci mais.

– Não tenho certeza de como ela vai se sentir com os descartes dos sugadores de

sangue. Ela não é tão prática quanto eu.

– Eu confio que você possa apresentar a oferta sob a melhor luz possível. Assim como a

oferta de qualquer outro objeto físico que vocês precisem, ou transporte, ou qualquer

outra coisa. E chuveiros, também, já que vocês preferem dormir ao relento. Por favor,

não se

considerem sem os benefícios de uma casa. – Disse tudo de uma só vez. Jacob já quase

não se aguentava em pé.

– Isso é, hã..., legal vindo de vocês. Diga à Esme que nós apreciamos o, hã..,

pensamento. Mas o perímetro atravessa o rio em algumas partes, então nós ficaremos

bastante limpos, obrigado.

– Se você não se importar de passar a oferta adiante, independente disso.

– Claro, claro. – Ele concordou então.

– Obrigado. – Agradeci mais uma vez. “Por tudo”, completei em minha mente.

Naquele momento ouvi um estalo e Bella chorou dentro de casa, me virei e corri.

Ela tinha se sentado e estava curvada enquanto Rosalie a amparava. Ela ofegava por

oxigênio. Eu ia me aproximar mas Rosalie fez sinal me impedindo. Alice também

desceu quando ouviu o choro de Bella, enfrentando a dor pela amiga.

– Me dê um segundo, Carlisle. – Bella disse quando Carslile tentou examiná-la.

– Bella. Eu escutei algo quebrando. Eu preciso verificar. – Disse meu pai.

– Quase certeza, foi uma costela. Ai. É. Bem aqui. – Bella então nos mostrou o local

tocando de leve.

– Eu preciso fazer um raio-x. Podem haver estilhaços. Nós não queremos que perfure

alguma coisa. – Carslile disse de forma a convencer Bella, ela não iria querer

machucar o monstro que a machucava.

– Ok. – Bella disse respirando fundo. Ela sentia dor. Eu ia pegá-la mas Rosalie não

deixou.

– Já peguei. – Ela disse me impedindo. Eu tinha muita raiva mas a toli ... novamente.

Subimos rapidamente para um dos quartos onde Carslile havia montado uma

espécie de UTI antes de voltarmos da Ilha Esme, para o caso de Bella precisar. Ele

sempre bondoso e preocupado. Rosalie posicionou Bella e Carslile ligou a máquina

depois de retirar a bolsa com o alimento líquido do braço de Bella. O resultado já era o

esperado, uma costela quebrada. Bella agora deveria de movimentar bem pouco,

Carslile então a imobilizou com uma espécie de faixa. Antes de voltarmos para a sala,

Bella foi ao banheiro. Tanto líquido e sua barriga pesada afetava suas necessidades.

– É melhor você ficar sentada, Bella, para não precionar suas costelas com o peso da

barriga ... para evitar novas fraturas. – Carslile mandou e Bella obedeceu.

Rosalie sentou Bella no sofá e eu me sentei ao seu lado, cobrindo seu corpo.

Rosalie sentou do outro lado, no chão.

– Jake dormiu. Isso é bom. – Bella disse ao ver Jacob adormecido perto da porta. Alice

estava ao seu lado. – Alguém coloque um travesseiro sob sua cabeça, esse chão é muito

duro. – Ela completou ainda falando devagar por causa da costela quebrada.

– Eu perguntei se ele queria, mas ele não aceitou. – Se justificou Alice.

– Ele é um idiota. Pode colocar, se ele reclamar manda falar comigo. – Bella disse

firme.

Alice então subiu, pegou um travesseiro e colocou bem devagar sob a cabeça de

Jacob, que se aconchegou mas não acordou. Ele estava exausto.

– Estou com fome ... ou sede. Não sei. – Bella disse a Rosalie que logo foi buscar.

“Comporte-se”, ela me disse mentalmente.

– Oi. – Aproveitei o momento mais à sós com minha Bella. –Eu já disse que te amo,

hoje? – Disse fazendo um carinho em seu rosto com a minha outra mão.

– Não. – Ela me respondeu sorrindo. – Eu também te amo. – Mas nosso momento foi

curto. Rosalie logo voltou com o sangue para Bella.

Bella bebeu rapidamente e ansiosamente. Sua face ficava logo corada mas sua

temperatura oscilava muito, Carslile estava monitorando e eu também enquanto

segurava sua mão. Rosalie se mantinha sempre presente levando e trazendo Bella do

banheiro a todo momento. Jacob dormia profundamente e roncava sem parar,

estremecia a casa.

– Quero falar com meu pai, Edward. – Bella me pediu depois de acabar com mais uma

dose do sangue. Eu assenti com a cabeça, mas foi Carslile que interferiu.

– Bella, você precisa estar tranquila. Jasper vai acalmar o sono de Jacob para que

Charlie não desconfie, ok? – Disse Carslile.

Jasper começou a agir logo e o sono de Jacob foi ficando mais relaxado. Bella

então ligou para Charlie, disse que estava melhorando e que ligaria em breve. Fez o

mesmo com sua mãe que ligou logo em seguida, provavelmente Charlie a tinha

informado das novidades. Eu não concordei com a história de Bella, Charlie não devia

ter tantas esperanças mas Bella tinha a certesa de que sobreviveria e, um dia iria

reencontrá-lo ... “Daqui há um ano eu já estarei pronta.”, era a justificativa dela.

– Seth está chegando. – Disse assim que ouvi seus pensamentos. – Ele está vindo em

busca de notícias de Jacob.

– Esse cachorro não pára de roncar – Reclamou Rosalie.

– Deixa ele, Rose. Ele está muito cansado. – Bella defendeu o amigo. Ela estava certa

num ponto, pelo menos, ele estava cansado.

Assim que Seth, ainda como lobo, se aproximou da casa viu Jacob dormindo e

avisou Leah que corria o perímetro todo da casa. Ele passou por Jacob depois de se

transformar em humano e esse nem percebeu.

– Oi Edward! Oi Bella! – Disse Seth já entrando em casa.

– Oi Seth. Como estão as coisas? – Perguntei, me referindo a nossa segurança.

– Tudo tranquilo, eles não voltaram e nem passam perto. – Ele me disse e então ouvimos

seu estômago roncar.

– Seth! Você está com fome. Venha, vou fazer algo para você. – Esme disse

preocupada.

– Deixa que eu faço, Esme. Pode deixar. – Era minha obrigação, afinal, eles estavam

aqui por nós ... por minha Bella, Seth então me seguiu.

– Edward? Posso lhe fazer uma pergunta? Sem querer ser intrometido, claro. – Seth me

perguntou na cozinha, e eu assenti com a cabeça. – Por que vocês ainda não foram

embora? Por que não foram assim que souberam do perigo?

– Carslile tem tudo o que precisamos aqui, todo o equipamento médico. Seria muito

perigoso para Bella e aqui Carslile pode compar mais sangue, Bella bebe mais a cada

dia, não podemos arriscar. Ele vai partir para comprar mais e caçar assim que for

seguro. – Respondi a verdade para ele ... para que esconder?

– Ah! Ok. Certo. Ah.. Vou esperar na sala. – Ele disse e depois se foi.

Como bom anfitrião fiz um lanche rápido para Seth. Alice me ajudou. Com a

proximidade dos lobos, sua cabeça estava melhor e ela podia andar pela casa

tranquilamente. Ela não tinha visões, mas pelo menos sua cabeça não doía.

– Estou com frio. – Bella disse na sala. Ela estava com febre novamente.

– Posso? – Seth perguntou a Bella. – Edward? ... Posso? – Seth perguntou agora para

mim. Ele estendia o braço no ombro de Bella para poder aquecê-la. Eu assenti. Seth

era inofencivo, ao contrário de Jacob ele não tinha segundas intenções em relação a

Bella.

– Obrigado. – Bella agradeceu. Logo seu corpo parou de tremer.

Resolvi então, com a aprovação da “loura psicopata”, me revesar com Seth para

que a temperatura de Bella ficasse mais estável. Carslile aprovou. Bella já não vomitava

mais, isso era um bom sinal, mas sua barriga estava crescendo mais rápido, o monstro

também estava se fortalecendo, isso me preocupava ... o tempo estava se esgotando

rapidamente.

Aproveitei que Seth estava com Bella e chamei Carslile, silenciosamente, com

um gesto de cabeça, para conversar na cozinha, longe dos olhos de Bella.

– Nosso tempo está se esgotando Carslile. Eu não sei o que fazer quando a criatura

estiver pronta... – Eu falava baixo. A agonia não havia desaparecido, eu apenas tive um

pouco de esperança. Bella parecia mais forte agora e isso era bom.

– Nosso veneno, Edward. Será a única coisa que a salvará. – Ele me disse com a cabeça

baixa.

– Tem que haver um meio rápido. Não sei, Carslile ... algo me diz que não teremos

tempo se esperarmos o veneno agir da forma normal, seguindo a corrente. A situação

dela não será nem de perto como foi a de nenhum de nós. – Disse angustiado. As

imagens invadiam a minha mente e eu estava perdendo o controle.

– Contenha-se, Edward. Ela vai perceber.

– Carslile. Eu estive pensando ... o veneno começa a agir quando chega ao coração e lá

ele consome todo o sangue. – Eu dizia e ele ia acompanhando. – Eu pensei em uma

injeção no coração, direto na fonte se a coisa se complicar. O que você acha?

– Bem. Em tese seria a solução, mas não sei na prática. Isso é algo novo, Edward.

– Mas você, com toda a experiência que você teve conosco ... o que você acha? –

Perguntei enquanto via a mente de Carslile calculando os prós e os contra.

– Bem, Edward. Se a coisa se complicar, pode ser uma solução. Poderá ser a única

opção. Talvez funcione.

– Então eu vou me preparar. Ela sempre quiz que fosse eu ... e eu farei isso por ela. –

Disse informando Carslile da minha escolha. – Se isso for a única alternativa eu farei ...

por ela.

Já estava amanhecendo quando Jacob acordou.

– Já era hora. A imitação de serra elétrica já estava ficando cansativa. – Reclamou

Rosalie.

Jacob se virou e veio observou a sala. Seu faro logo detectou o perfume do que

Seth comia ao lado de Bella.

– Hei, o Jake está voltando à vida! – Seth disse.

“– Que diabos?”, Jacob resmundou em sua mente. Ele não gostou nada de Seth tão à

vontade conosco.

– Ele veio procurar você. E Esme o convenceu a ficar para o café da manhã.

– É, Jake, eu estava apenas checando se você estava bem, pois você nunca mais se

transformou de volta. Leah ficou preocupada. Eu disse a ela que você provavelmente

tinha caído no sono ainda humano, mas você sabe como ela é. De qualquer forma, eles

tinham toda essa comida e, nossa. – Seth se explicou e então olhou para mim e me

elogiou. – Cara, você sabe cozinhar.

– Obrigado. – Respondi, mas vi na mente de Jacob que ele não tirava os olhos do braço

de Seth, ele estava com ciúmes de Seth ... também.

– A Bella ficou com frio. – Expliquei.

“– Certo. Não é da minha conta mesmo. Ela não me pertence.”, Jacob pensou e eu

respondi na minha mente, “É ... não mesmo.”

Seth sentiu o clima e tirou o braço do ombro de Bella que só observava, como os

outros. Jacob então se aproximou e começou o interrogatório com Seth.

– Leah está patrulhando? – Jacob perguntou secamente, ainda cansado e com sono.

– Sim. Ela dá conta. Não se preocupe. Ela vai uivar se houver alguma coisa. Nós

trocamos por volta da meia-noite. Eu corri por doze horas. – Seth respondeu animado

por sua façanha.

– Meia-noite? Espera aí ... que horas são agora? – Jacob perguntou ainda confuso.

– Tá amanhecendo. – Seth informou mas Jacob não gostou de ter fraquejado.

– Droga. Desculpe por isso, Seth. De verdade. Você devia ter me chutado até que eu

acordasse. – Jacob se desculpou.

– Não, cara, você precisava descansar de verdade. Você não parava para descansar

desde quando? Da noite anterior à sua última patrulha para Sam? Tipo quarenta horas?

Cinqüenta? Você não é uma máquina, Jake. Além do mais, você não perdeu nada

mesmo. – Jacob não concordou olhando para Bella.

– Como está a costela? – Ele a perguntou.

– Bem atada e apertada. Eu nem sinto nada. – Ela informou animada. Eu não gostei,

Bella lidava com muita naturalidade. “Absurdo”, pensei.

– O que tem para o café? O negativo ou AB positivo? – Ele foi sarcástico com ela. Não

gostei também.

– Omeletes. – Bella disse depois de lhe mostrar a língua fazendo pirraça, mas Jacob

viu o copo de sangue entre eu e Bella.

– Vá tomar café, Jake. Tem um monte de coisas na cozinha. Você deve estar vazio. –

Seth ofereceu e Jacob recusou, mesmo vendo o prato dele.

– O que a Leah está comendo no café-da-manhã? – Jacob repreendeu Seth.

– Hei, eu levei comida para ela antes de ter comido qualquer coisa. Ela disse que

preferia comer um animal atropelado na estrada, mas aposto como ela acabou comendo.

– Mas se perdeu na comida. – Esses rolinhos de canela...

– Eu vou caçar com ela, então. – Jacob então disse sua decisão e virou saindo.

Esme logo se apressou quando ouviu o que Jacob disse, ela não queria deixá-lo

sair daquela forma, com fome. Ela buscaria algo.

– Um momento, Jacob? – Carslile o chamou.

– Sim? – Jacob se virou para responder, meio mau humorado.

– Falando em caçar... Isso vai ser um problema para a minha família. Eu entendo que a

nossa antiga trégua está inoperante no momento, então eu queria o seu conselho. Sam

irá nos caçar fora do perímetro que vocês criaram? Nós não queremos arriscar e

machucar qualquer um da sua família ... ou perder qualquer um dos nossos. Se você

estivesse no nosso lugar, como você procederia? – Carslile pediu então o conselho para

Jacob. Todos nós esperávamos por sua resposta, dependíamos muito disso.

– É um risco. Sam se acalmou um pouco, mas eu tenho quase certeza que na sua cabeça,

a trégua está suspensa. Enquanto ele achar que a tribo, ou qualquer outro humano,

estiver correndo perigo real, ele não irá fazer perguntas primeiro, se é que você me

entende. Mas apesar disso tudo, a sua prioridade será La Push. Realmente não há um

número suficiente deles para manter uma vigilância decente para as pessoas e organizar

viagens de caça grandes o suficiente para fazer algum estrago. Eu aposto que ele está se

mantendo perto de casa. – Ele disse e Carslile concordou, então pensou que seria ma

boa oportunidade para ir mais longe e comprar mais sangue para Bella. – Então, eu

acho que eu diria para vocês saírem juntos, só para garantir. E vocês provavelmente

deveriam ir durante o dia, porque nós estaríamos esperando que vocês fossem durante a

noite. Coisas tradicionais de vampiros. Vocês são rápidos ... atravessem as montanhas e

cacem longe o suficiente para que não tenha chance dele enviar alguém tão longe de

casa.

– E deixar Bella para trás desprotegida? – Carslile contestou.

– O que nós somos, fígado picado? – Jacob bufou e depois respondeu.

– Jacob, você não pode lutar contra seus irmãos. – Carslile discordou de sua posição,

ele não permitiria.

– Eu não estou dizendo que não seria difícil, mas se eles realmente estivessem vindo

para a matar, eu seria capaz de parar-los. – Jacob disse então a verdade.

– Não, eu não quis dizer que vocês seriam... Incapazes. Mas que isso seria muito errado.

Eu não conseguiria ter esse peso na minha consciência.

– Não seria na sua, Dr., seria na minha. E eu posso agüentar isso.

– Não, Jacob. Nós faremos as coisas de um modo que isso não se torne uma

necessidade. Nós iremos três de cada vez. Isto é provavelmente o melhor que podemos

fazer.

– Eu não sei, Doutor, dividir bem no meio não é a melhor estratégia.

– Nós temos algumas habilidades extras que deixarão as coisas equilibradas. Se Edward

for um dos três por lá, ele será capaz de nos dar um raio de segurança de algumas

milhas. – Eles me olharam e é claro deduziram a minha resposta, nem precisei dizer.

– Eu tenho certeza de que há outras formas também. Claramente, não há necessidade

física forte o suficiente para fazer com que Edward se afaste de Bella agora ... Alice, eu

imagino que você poderia ver quais as rotas seriam um erro?

– Aquelas que desaparecem. Fácil. – Alice assinalou.

Essa idéia me agradou, mas Bella não gostou. Ela já estava triste por não ter

Alice por perto, mas pelo menos sabia que ela estava aqui. Eu tinha a certesa de que

Alice cuidaria de todos.

– Tudo certo, então. Isso está resolvido. Então eu já vou indo. Seth, eu espero você de

volta ao anoitecer, então tire uma soneca por aí em algum lugar, certo? – Jacob se

despediu deixando uma ordem para Seth.

– Claro, Jake. Eu vou me transformar novamente assim que eu terminar. A não ser

que... – Seth se virou para Bella e perguntou. – Você precisa de mim?

– Ela tem cobertores. – Jacob o repreendeu.

– Eu estou bem, Seth, obrigada. – Bella disse logo que notou o clima.

– Jacob. Eu sei que não é muito desejável para você, a idéia de comer por aqui, onde o

cheiro é tão desagradável. Mas eu me sentiria muito melhor se você levasse alguma

comida com você quando você fosse embora. Eu sei que você não pode ir para casa, e

isso é por nossa causa. Por favor , alivie um pouco do meu remorso. Pegue alguma coisa

para comer. – Disse Esme se aproximando de Jacob, mas ficando atrás de Carslile, ela

ainda tinha receios e não queria incomodar.

– Ãh, claro, claro. Eu acho que está bem. Talvez Leah ainda esteja com fome ou algo

assim. – Jacob respondeu desconcertado para Esme e para mim mentalmente “Não vá

contar nada para ela! Deixe ela pensar que eu comi.”

– Obrigada Jacob. – Esme agradeceu e seu rosto desconcertou Bella.

– Ãh... obrigado. – Jacob agradeceu também ... meio sem graça.

– Você vai voltar mais tarde, Jake? – Bella perguntou ao amigo. Eu a observava a todo

tempo.

– Ãh, eu não sei. – Ele disse em dúvida.

– Por favor? Eu posso ficar com frio. – Bella pediu quase fazendo beicinho para Jacob.

Não gostei disso, ela estava apelando ?

– Talvez. – Ele quase cedeu.

– Jacob? Eu deixei uma cesta de roupas na varanda. Elas são para Leah. Elas foram

recém

lavadas ... eu tentei tocar o menos possível nelas. – Esme se esforçou como

agradecimento a tudo que eles estavam fazendo por nós.– Você se importa de levá-las

para ela?

– Pode deixar. – Ele garantiu a Esme, mas em sua mente ele tinha certesa que Leah não

aceitaria.

Assim que Jacob foi embora Bella pediu para ir ao banheiro novamente, mas ao

se movimentar fez muita esforço ... o peso de sua barriga foi demais, o monstro então se

contorceu em sua barriga. Outra costela logo se quebrou. Carslile agiu rapidamente e a

imobilizou, então Bella pode ir ao banheiro nos braços de Rosalie. Não conseguia mais

aguentar o sofrimento dela ... e o meu também.

– Segura a onda, Edward. Ela vai conseguir. Vocês vão ... afinal vocês não passaram

por tudo e acabar simplesmente. – Seth me disse. Ele era muito jovem, muito brincalhão

e meio inconsequente, mas sabia bem o que dizer ... e na hora certa.

– Eu espero que sim. – Disse a ele ainda com a minha cabeça em meio as almofadas do

sofá.

Assim que Bella voltou, Rosalie a sentou no sofá. Ela estava bem cansada e logo

adormeceu sentada, apoiei então sua cabeça numa almofada e suas pernas na mesinha

de centro, para que ela ficasse mais confortável ... o monstro não se opôs, na verdade

tive a impressão de ouvir algo vindo da barriga de Bella, mas como era uma coisa boa,

não poderia ser ele ... não, não poderia. Eu devia estar distraído e nem me liguei em

quem era. Seth ficou ao seu lado o tempo todo controlando sua temperatura alternando

comigo dependendo das reações de Bella.

– Rosalie? Você pode ficar com Bella enquanto eu vou falar com Carslile? – Pedi a

“loira psicopata”.

– Vai logo. Te aviso quando ela estiver acordando para você voltar ... afinal, não

queremos deixar ela ansiosa, não é? – Eu assenti.

– Carslile, tem um minuto?

– Claro, filho. Está tudo bem? Por que você saiu do lado de Bella ... sabe que ela fica

stressada quando você se ausenta. – Carslile estava em seu escritório.

– Rosalie está com ela, e Seth a está aquecendo. – Tranquilizei Carslile. – Acho que

está na hora de nos prepararmos ... meu veneno ... para Bella ... se for preciso. – Fui

dizendo as palavras conforme as forças e a voz ia me permitindo. Me preparar para

uma situação tão trágica não estava sendo nada fácil. Carslile percebeu.

– Ok. Vamos agora. – Ele me disse depois de colocar a mão no meu ombro. Carslile

estava sendo muito gentil comigo e com toda essa situação ... motivada pelos meus

atos.

No quarto UTI, Carslile tinha todo o equipamento para a retirada do meu veneno

através da estimulação de uma glândula situada no interior de minhas presas. Foi difícil,

eu tive que cooperar. Emmet estava lá para me ajudar, Jasper também.

– Você está pronto? – Carslile me perguntou.

– Sim ... Emmet? Jasper?

– Tudo certo, Edward. – Emmet responder depois que Jasper assentiu com a cabeça.

– Obrigado ... mesmo. – Respondi. – Agora, Carslile.

Carslile pegou então um frasco com um pouco do sangue de Bella. Ele havia

retirado para análise em Phoenix quando James a atacou, e Bella ficou hospitalizada. O

sangue estava congelado na nossa casa e Carslile pensou que seria a única maneira de

estimular meu veneno nas atuais circunstâncias.

Prendi a minha respiração e esperei. Emmet e Jasper fizeram o mesmo. Carslile

então colocou uma gota do sangue de Bella bem abaixo do meu nariz. Assim que me

senti preparado inalei forte o sangue. Seu perfume entrou em minha mente e perdi o

foco completamente. Só senti o abraço de ferro de Emmet me segurando, Jasper

segurando minha boca aberta e Carslile colhendo meu veneno. Ele tinha que estar puro,

então Carslile foi bem profissioal. Do meu peito um grunindo ia surgindo quando me

dei conta que isso poderia acordar Bella então o contive, então o fluxo de veneno

diminuiu drasticamente.

– É pouco, Edward. Teremos que fazer de novo. – Carslile me falou mas eu não podia

continuar.

– Me dê um tempo. – Disse relaxando no braço de Emmet. Jasper me avaliou e

assentiu.

Depois de 5 minutos eu estava pronto novamente e recomeçamos. Foram várias

e repetidas vezes que fizemos aquilo, até que eu conseguisse completar os 30ml que

Carslile queria. Ele dizia que era melhor sobrar do que faltar e eu não discuti. Se Bella

precisasse eu faria o dia inteiro, mesmo que isso estivesse me consumindo demais.

Carslile colocou meu veneno dentro de uma serinda metálica e o guardou na

refrigeração, de forma que fosse fácil o acesso. Emmet me rebocou para fora de casa

por alguns minutos para que eu pudesse respirar ar fresco e Jasper foi ao meu lado,

sempre me tocando para acalmar meu instinto. Assim que eu estava melhor eles saíram

para caçar junto com Alice, somente eu e Rosalie ficamos em casa. Quando voltei para

a sala Bella ainda dormia.

– Muito bom ... muito bom. – Rosalie disse olhando para mim. Ela apenas concordou

com minha atitude por que ela pensava que seria uma saída. Ela havia escutado tudo o

que se passou. Não respondi.

– Vou nessa, Edward. Bella está aquecida e Jacob deve estar furioso comigo. – Seth me

falou 1 hora depois de um silêncio mortal na sala.

– Ok. Se cuide. – Me despedi e Seth partiu correndo para dentro da floresta.

– Finalmente, não aguentava mais o fedor desses cachorros por aqui. – Rosalie

reclamou.

– Eles estão nos ajudando ao custo de muito sacrifício, você mais do que ninguém, além

de mim deveria agradecer muito a eles, ao invés de ficar provocando o Jacob... – Disse

na cara de Rosalie.

– Parem de brigar. – Bella falou com a voz fraca e rouca, ainda com sono depois de

alguns minutos.

– Você estava acordada, mocinha? Que feio, escutando a conversa dos outros. – Rosalie

brincou com Bella que lhe retribuiu um sorriso.

– Onde você estava? – Bella me disse.

– Você não estava dormindo? Eu fui conversar com Carslile. – Disse a ela dando um

sorriso no canto da boca.

– Estava, mas senti sua falta aqui comigo, não era seu cheiro do meu lado. – Bella disse

ainda com os olhos fechados.

– Também sinto sua falta ... sempre. – Disse tocando nos seus lábios. – O tempo todo.

– Vou deixar vocês um pouco mais à vontade. – Rosalie disse e se levantou do chão,

onde estava sentada aos pés de Bella, mas da sua mente veio o aviso “Só estou fazendo

isso por Bella e por que você se esforçou hoje. Mas se comporte!”Bella então olhou

para Rosalie e sorriu.

– Sinto saudades da Ilha Esme ... das plumas e do café da manhã. – Bella me disse,

agora olhando em meus olhos.

– Eu também. Mas ... – Eu ia continuar e dizer que foi por tudo aquilo que estávamos

nessa situação, mas ela me cortou.

– Eu sei. – Bella disse e parou. Me olhou por quase 30 segundos, analisando e

pensando, depois continuou. – Mas ... eu faria tudo de novo para ter um pedacinho de

você aqui ... comigo. – Ela disse colocando a mão sobre a barriga.

Aquilo foi demais para mim. Ouvir de sua boca mais uma vez que passaria tudo

de novo por mim foi como a morte. Tentei me controlar ao máximo, simplesmente virei

a cara, não conseguiria olhar para ela enquanto a dor não sedesse um pouco. Fiz o

possível para lembrar dos bons momentos, de seus sorriso e de seu olhar sem as olheiras

que ela tinha agora, por minha culpa.

– Rose? Me leve ao banheiro novamente? – Bella pediu e quando me virei ela me deu

um sorriso e disse “Eu te amo” em silêncio.

Fiquei alí sentado com as minhas mãos em meu rosto, apoiado nos meu joelhos.

Eu queria poder dormir, sonhar com um mundo diferente mas não fiquei só por muito

tempo. Esme e Alice voltaram antes para casa quando Alice teve uma visão, depois de

todos aqueles dias. Na visão ela me via sentado na sala sozinho e se preocupou.

– Edward? Cadê a Bella? – Foi a primeira coisa que ela falou.

– No banheiro com Rosalie. – Disse ainda com as minhas mãos em meu rosto.

A mente delas só estavam piorando mais a minha dor, elas só pensavam em

Bella grávida, eu queria ver minha Bella saudável, linda e corada. Não queria ver minha

Bella pálida, fraca e carregando o monstro que a mataria. Esme então se sentou ao meu

lado e me abraçou enquanto Alice subia para seu “refúgio de Bella”. As dores logo

retornaram.

Eu achava que a minha não-não vida não tinha como ficar pior, me enganei.

Senti a mente de Jacob, ele estava voltando preocupado com Bella. Seth o tinha

colocado a par de tudo, e como se não fosse suficiente o meu sofrimento ainda tinha que

ver o de Jacob por minha Bella. Ele entrou pela sala a procurando e quando não

encontrou ficou angustiado.

– Ela está bem. Ou, do mesmo jeito, eu devo dizer. – Informei a ele.

– Oi, Jacob. Estou feliz de ver que você voltou. – Esme o saudou.

– Eu também. – Disse Alice descendo as escadas.

– Uh, ok. – Jacob respondeu meio sem graça. – Onde ela está?

– Banheiro. Dieta de quase tudo fluídos, sabe. Mas, gravidez faz isso com você, eu

escuto. – Alice o informou onde Bella estava depois de ver como eu estava. Agradeci,

não estava a fim de falar mesmo.

– Ah. – Foi só o que Jacob disse.

– Oh, maravilha. Eu sabia que estava cheirando algo nojento. – Rosalie desceu as

escadas com minha Bella em seus braços.

Eu queria ter uma forma de desligar meu dom, simplesmente não ouvir nada,

como era na Ilha Esme, onde somente havia eu e minha Bella e mais nada nem ninguém

para ouvir.

– Jacob. Você veio. – Bella saudou Jacob feliz.

– Oi, Bells. – Jacob disse seu nome aliviado.

“– Ela está cansada. Deixem ela deitar, Edward.”, Rosalie me disse em pensamento e

eu logo me levantei junto com Esme para que Bella se deitasse.

– Você está com frio? – Perguntei a Bella depois de um rápido Exame em sua testa.

– Estou bem. – Ela me respondeu mas eu não acreditei. Bella estava gelada demais

naquela hora. A sua ida ao banheiro a desgastou muito.

– Bella, você sabe o que o Carlisle disse. Não minimiza nada, não ajuda para agente

cuidar de nenhum de vocês.

– Ok, eu estou com um pouco de frio. Edward, você pode me passar aquele cobertor? –

Ela me pediu mas nem precisei, li a mente de Jacob.

– Isso não é um pouco do ponto em eu estar aqui? – Ele respondeu por mim.

– Você acabou de entrar depois de correr o dia todo, eu aposto. Coloca seu pé para cima

um pouco. Eu provavelmente vou me aquecer em um instante. – Mas Jacob não

atendeu à sua ordem e se aproximou. Eu dei passagem e ele começou a aquece-la

segurando sua mão e encontando-se nela.– Obrigada, Jake.

– Sim. – Ele disse somente enquanto eu me sentava no braço do sofá de forma a poder

olhar em seus olhos. Todos ouvimos o estômago de Jacob roncar de fome.

– Rosalie, por que você não vai pegar algo para o Jacob na cozinha? – Alice disse a

Rosalie. Foi um tipo de vingancinha de Alice que estava sentada próxima a Jacob..

– Obrigado, de qualquer forma, Alice, mas eu acho que não ia querer comer algo que a

Loira guspiu. Eu aposto que meu sistema não ia ser muito gentil com veneno. – Jacob

respondeu à Alice provocando Rosalie. Eu já estava cansado dessa baboseira.

– Rosalie não ia embaraçar a Esme mostrando essa falta de hospitalidade. – Alice

colocou mais lenha da fogueira.

– Claro que não. – Rosalie disse já pensando no que faria com Jacob, “o cachorro”, na

mente dela. “Quanta infantilidade!” eu pensei e suspirei.

Nesse momento aquela sensação de algo a mais me chamou a atenção. Bella

estava quieta acariciando sua barriga. Ela mexia a boca levemente, como se estivesse

cantando para ela mesma, intretida em seus pensamentos como se houvesse somente ela

aqui na sala. Ás vezes ela me olhava rapidamente e um sorriso quase nascia no canto de

sua boca.

– Você me conta se ela envenenar, certo? – Jacob então me perguntou.

– Sim. – Respondi sem olhar para ele mas ele acreditou em mim enquanto eu via o que

Rosalie estava fazendo. Muito cruel, mas eu ri da infantilidade.

Eu me concentrava enquanto eles brincavam ao meu redor. Peguei algo que se

parecia um chorinho ou manha de relance, mas logo ele me escapou quando Rosalie

entrou na sala tirando a minha concentração, a mente dela estava eufórica esperando a

cara de Jacob ao ver o que ela trazia.

– Aproveite, vira-lata. – Rosalie disse a Jacob jogando a tijela com nome de Jacob

gravado à unha.

– Obrigado, Loira. – Jacob disse ao sentir o cheiro gostoso da comida. – Hei, Você

sabe como você chama uma loira com um cérebro? Um Golden retriever.

– Eu já escutei essa também. – Todo o humor de Rosalie simplesmente desapareceu.

– Eu vou continuar tentando. – Jacob prometeu e começou a comer tirando a

concentração de Bella, na verdade ela olhava com cara de nojo para a comida.

– Está na hora de cortar o cabelo, huh? – Bella disse à Jacob assim que ele terminou.

– Deixa eu adivinhar, alguém por aqui costumava cortar cabelo em

um salão em Paris? – Jacob brincou e Bella sorriu.

– Provavelmente. – Ela respondeu.

– Não muito obrigado. Eu estou bem por mais algumas semanas. – Jacob se apressou

em recusar. – Então... um... qual é, er, a data? Sabe, a data de nascimento do

monstrinho. – Bella se irritou e bateu na cabeça dele. – Estou falando sério. Eu quero

saber quanto tempo eu tenho que ficar aqui. – “Quanto tempo você vai estar aqui.”, ele

pensou. Essa pergunta preocupou Bella.

– Eu não sei. Não exatamente. Obviamente, nós não vamos ter um modelo de noves

meses aqui, e agente não pode fazer ultra-som, então o Carlisle está estimando

adivinhando pelo o quão grande eu estou. Pessoas normais eram para estar com

quarenta centímetros aqui – Então Bella traçou o dedo pela barriga mostrando a Jacob.

– quando o bebê está completamente crescido. Um centímetro toda semana. Eu estava

com trinta essa manhã, e eu estou ganhando dois centímetros por dia, às vezes mais... –

Jacob então vacilou e Bella percebeu. – Você está bem? – Ele simplesmente assentiu

com a cabeça. Ele começou a fazer as contas na cabeça, calculando quanto tempo

ainda tínhamos ... sua relação com Bella. Ele pensava e sofria, como eu. – Vai ficar

tudo bem. – Bella lhe disse afagando o rosto de Jacob e ele concordou, mas em sua

mente eu vi que ele mentia por ela. – Eu achei que você não viria. Seth disse que sim, e

o Edward também, mas eu não acreditei neles. – Bella disse nos braços dele. Eu sofria

mais ainda com ciúmes deles. O monstro não se incomodava com Jacob, ficava quieto.

– Por que não? – Ele perguntou.

– Você não está feliz aqui. Mas você veio mesmo assim.

– Você me queria aqui. – “Óbvio”, eu pensei enquanto observava os dois pelos olhos

de Rosalie que estav impaciente e enojada.

– Eu sei. Mas você não precisava vir, porque não é justo eu querer

você aqui. Eu entenderia.

– Obrigada por ter vindo. - Bella sussurou.

– Posso te perguntar uma coisa? – Jacob então perguntou o que eu queria saber.

– Claro. – Bella assentiu.

– Por que você me quer aqui? Seth podia te aquecer, e ele provavelmente é mais fácil de

estar ao redor, pequeno alegre punk. Mas quando eu entro pela porta, você sorri como se

eu fosse sua pessoa favorita em todo o mundo.

– Você é uma delas.

– Isso é um saco, sabe. – Ele reclamou.

– Sim. Desculpa.

– Mas por quê? Você não respondeu isso. – Ele perguntou e eu esperava a resposta

tanto quanto ele. Jacob me olhava no reflexo da janela, ele sabia que eu estava

observando.

– Sinto... completa quando você está aqui, Jacob. Como se toda minha família estivesse

junto. Quero dizer, acho que é assim... Eu nunca tive uma família grande até agora. É

legal. Mas simplesmente não está completa a não ser que você esteja aqui. – Bella disse

a Jacob mas eu me senti um pouco aliviado. Bella ainda sentia Jacob como amigo.

– Eu nunca serei parte da sua família, Bella. – Jacob se lamentou em pensamento.

– Você sempre fez parte da minha família. – Bella discordou dele. Isso era bom ... para

mim.

– Essa resposta é uma merda. – “Epa! Que palavriado é esse na frente da minha

mulher?”, pensei. Não gostei do seu comportamento. Queria poder reagir, mas pensei

em Bella e recuei. Rosalie também não gostou, mas recuou pelo mesmo motivo. Alice

também.

– Qual seria uma boa? – Bella forçou. “Ela não pode simplesmente calar a boca ao

invés de provocar?” Alice pensou.

– Por exemplo: “Jacob, eu me divirto com seu sofrimento."

– Você gosta mais dessa? – Bella se magoou e minha raiva por Jacob retornou. Ela

estava muito frágil.

– Mais fácil, pelo menos. Eu poderia enrolar meus pensamentos nisso. Eu poderia lidar

com isso. – Ele continuou. “Ele não tem pena dela?” Rosalie pensou.

– Agente saiu do caminho, Jake. Inquestionável. Você é para ser parte da minha vida ...

posso sentir isso, e você também. – Bella tomou fôlego com os olhos fechados. Eu e

Rosalie observávamos os dois. Rosalie quase reagiu. – Mas não assim. Agente fez algo

errado. Não eu fiz. Eu fiz algo errado, agente saiu do caminho... – E Bella adormeceu

sem forças para continuar.

– Ela está exausta. Foi um dia longo. Um dia duro. Eu acho que ela teria ido dormir

mais cedo, mas ela estava esperando você. – Disse a Jacob calmamente para não

colocar lenha na fogueira de Rosalie.

– Seth disse que ela quebrou outra costela. – Jacob disse ainda olhando para Bella.

– Sim, está fazendo ficar difícil para ela respirar. – Respondi.

– Ótimo. – Ele me disse com sarcasmo.

– Me avisa quando ela ficar quente de novo. – Pedi.

– Sim. – Ele me respondeu seco. Jacob então percebeu que Bella estava com frio e

antes dele pedir eu a cobri. Ele pensou na situação que Bella estava colocando para

Charlie. Ele queria saber se eu estava furioso com isso mas me controlando e eu

respondi.

– Sim. Não é uma boa idéia.

– Então por quê? Porque a Bella estava falando para o pai dela que ela estava

melhorando quando isso só ia faze-lo miserável?

– Ela não agüenta a ansiedade dele.

– Então é melhor...

– Não, não é melhor. Mas eu não vou forçar ela a fazer algo que vai a deixar infeliz

agora. O que quer que aconteça, isso a faz sentir melhor. Eu me viro com o resto depois.

– “Bella não somente vai jogar a dor do Charlie para uma data mais tarde, como para

outra pessoa encarar. Mesmo morrendo. Isso não é ela. Se eu conhecesse a Bella, ela

tem que ter algum outro plano.”, Jacob pensou.

– Ela tem muita certeza que ela vai sobreviver. – Falei para ele.

– Mas não humana. – Ele se alterou um pouco mas foi com Rosalie que me preocupei.

Ela estava muito irritada, não parava em um canal na TV. Ela estava furiosa por Jacob

falar alto perto de Bella.

– Não, não humana, mas ela tem esperança de ver o Charlie, mesmo

assim.

– Ver. Charlie ... Depois. Ver o Charlie quando ela está toda branca brilhante como

olhos vermelhos brilhantes. Eu não entendi, seu um sugador de sangue, então talvez

estou perdendo algo, mas o Charlie parece ser uma escolha estranha para a primeira

refeição dela. – “Idiota”, pensei. – Ela sabe que não poder estar perto dele por pelo

menos um ano. Ela acha que pode enrolar. Falar para o Charlie que ela teve que ir para

um hospital especial do outro lado do mundo. Ficar em contato por telefonemas...

– Isso é loucura. – ele me disse meio irritado.

– Sim.

– O Charlie não é estúpido. Mesmo se ela não o matar, ele vai notar a diferença.

– Ela ainda está pensando nisso. – Ele ficou me olhando esperando pelo final da

história. –Ela não vai estar envelhecendo, claro, então isso ia colocar um limite de

tempo, mesmo se o Charlie aceitar qualquer explicação que ela inventar sobre a

mudança dela.

– Você lembra quando você tentou contar para ela sobre a sua transformação? Como

você a fez adivinhar?

– Ela te contou sobre isso? – Ele não gostou de saber que Bella me contava tudo.

– Sim. Ela estava explicando a idéia... dela. Veja, ela não pode contar a verdade para o

Charlie ... seria muito perigoso para ele. Mas ele é esperto, homem prático. Ela acha que

ele vai inventar sua própria explicação. Ela assume que ele vai adivinhar errado –

“Óbvio” – Depois de tudo, agente nem aderiu ao clichê de vampiros. Ele vai fazer

algumas suposições erradas sobre agente, como ela fez no começo, e agente vai com

isso. Ela acha que vai poder vê-lo... de tempo em tempo.

– Loucura. – Ele me disse, como se eu não soubesse.

– Sim. – Respondi. A mente de Jacob trabalhava. Ele via que nós sabíamos o que

aconteceria e o que eu estava fazendo por ela.

– Eu lido com o que vier. Eu não vou causar dor para ela agora. – “Claro que não. Eu a

amo hoje mais do que ontem e menos que amanhã, mesmo com ela fazendo isso

conosco. Agora eu não tenho mais alternativa. A hora já passou.”, pensei de cabeça

baixa.

– Quatro dias? – Ele me perguntou.

– Aproximadamente. – Lhe informei.

– E depois? – “Depois?”

– O que você quer dizer exatamente? – Perguntei para ter certesa do que ele queria

dizer e ele me respondeu. – Pelo o pouco de pesquisa que pudermos fazer, parece que a

criatura usa o próprio dente para escapar do útero. – Respondi a verdade. Ele precisava

saber.

– Pesquisa? – Ele me perguntou meio enjoado só de pensar.

– É por isso que você não tem visto o Jasper e o Emmett por aqui. É isso que o Carslile

está fazendo agora. Tentando decifrar histórias antigas e mitos, o máximo que podemos

com o que temos para trabalhar aqui, procurando qualquer coisa que vai nos ajudar a

predizer o comportamento da criatura.Histórias?

“– Se há mitos, então...”, Jacob pensou.

– Então essa coisa não é a primeira do seu tipo? Talvez. Tudo é um pouco duvidoso. Os

mitos podem ser facilmente produtos de medo ou imaginação. Mas... Seus mitos são

verdadeiros, não são? Talvez esses sejam também. Eles aparecem na mesma localidade,

ligados... – Eu ia informando e preenchendo as lacunas na mente dele. Rosalie ainda

estava se segurando.

– Como você achou....? – Ele pensava e eu me adiantava. Era bom poder falar.

– Tem uma mulher que agente encontrou na América do Sul. Ela foi criada nas

tradições do povo dela. Ela escutou advertências sobre esses tipos de criaturas, histórias

velhas passadas de um para outro.

– Quais são as advertências? – Ele perguntava ainda curioso.

– Que esse tipo de criatura tem que ser morta imediatamente. Antes que possa ganhar

muito mais força.

“– Exatamente como o Sam pensou. Ele estava certo?”, Jacob pensou.

– Claro, as lendas deles dizem a mesma coisa sobre nós. Que devemos ser destruídos.

Que somos monstros sem alma. – “Dois a dois”, ele pensou e eu ri da comparação.

– O que a história deles falam das...mães? – “Pergunta errada, Jacob.”, pensei. Essa eu

não poderia responder, não conseguiria fazer as palavras passarem por meus lábios,

era demais para mim. Rosalie percebeu e respondeu enfurecida.

– Claro que não houve nenhum sobrevivente. Dar a luz no meio de um pântano cheio de

doenças com um curandeiro esfregando cuspe de lesma no seu rosto para dirigir os

espíritos malignos para fora, nunca foi o método mais seguro. Até mesmo os partos

normais iam mal

metade das vezes. Nenhum deles tinha o que esse bebê tem ... assistentes com idéia do

que esse bebê precisa, que tenta suprir as necessidades. Um médico com sabedoria

única e total da natureza dos vampiros. Um plano elaborado para o parto do bebê mais

seguro que o possível. Veneno que vai consertar qualquer coisa que der errado. O Bebê

vai ficar bem. E essas outras mães teriam sobrevivido se elas tivessem tudo isso ... se

eles existiram em primeiro lugar. Uma coisa que não estou convencida. – Rosalie cuspiu

isso tudo na nossa cara.

Jacob se irritou, como eu. Rosalie foi extremamente grossa, idiota e

inconsequente. Odiei ela hoje mais do que nunca. “– O bebê, o bebê. Como se isso fosse

tudo o que importava. A vida da Bella era um detalhe mínimo para ela.”, Jacob pensou

o mesmo que eu. Emmet não estava lá e Alice não poderia prever. Eu acabaria com a

monstra aqui mesmo, agora e me livraria dela. A raiva estava me tomando. Me

posicionei. “Deixa comigo”, Jacob pensou e eu parei esperando por sua ação. “Será

engraçado”, pensei então Jacob voou com a tijela de comida na cabeça de Rosalie...

Bella quase acordou com o estrondo. Alice levantou para apreciar. Eu engolia o riso.

– Loira idiota. – Jacob cuspiu de volta. Rosalie simplesmente se enfureceu.

– Você. Jogou. Comida. No. Meu. Cabelo. – Rosalie falou com muita raiva.

Jacob se disvencilhou de Bella e começou a rir da cada de Rosalie, quase

chorando. Alice também ria baixinho, atrás do sofá, onde se escondeu. Eu estava rindo

baixo mas o sofá tremeu e Bella acordou. Rosalie também percebeu e isso a freou.

– O que é tão engraçado? – Bella resmungou.

– Eu joguei comida no cabelo dela. – Jacob contou então.

– Eu não vou esquecer disso, cachorro. – Rosalie prometeu.

– Não é muito difícil apagar a memória de uma loira. É só assoprar na orelha dela. –

Jacob continuava a atacar.

– Arrume piadas novas. – Rosalie o incitou.

– Vamos, Jake. Deixa a Rose em... – Bella não conseguiu continuar. Ouvi então uma

coisa ... como “Parem!”, alguém resmungando alguma coisa. Tirei o cobertor e o

corpo de Bella se arcou. “Foi o feto?”, pensei assustado, mas não falei nada. – Ele está

apenas... – Bella ofegou – Alongando. – Bella estava sentindo dor mas não falava. Eu

via em seus olhos enquanto segurava seu rosto entre as minhas mãos. Nessa hora eu

ouvi os passos de Carslile alcançando a terra depois de saltar o rio nos fundos da casa.

“Bem na hora, graças aos Céus”.

– Carlisle? – Chamei meu pai.

– Estou aqui.

– Ok. – Bella falou ofegando. – Acho que já acabou. Coitado do menino, não tem

espaço o suficiente, só isso. Ele está ficando tão grande. – Bella disse olhando para

mim. Eu tentava ouvir o feto novamente mas não conseguia, era como se ele estivesse ...

dormindo. – Sabe, ele me lembra de você. – Bella disse agora para Jacob.

– Não me compare como essa coisa. – Jacob disse irritado.

– Eu só quis dizer sobre seu rápido crescimento. – Bella justificou suas palavras quando

viu que Jacob se chateou. “Bom”, ele pensou. – Você esticou pra cima. Eu podia te

assistir ficando mais alto aos segundos. Ele é assim também. Crescendo rápido. – Bella

disse e foi relaxando. “Graças aos Céus está passando.”, pensei.

– Hmm. – Carlisle murmurou olhando para Jacob e pensando nas possibilidades

híbridas, nas misturas genética entre as espécies resultando em uma nova espécie como

Jacob.

– O que? – Jacob perguntou olhando para Carslile.

– Sabe sobre o que eu estava ponderando sobre a genética do feto,

Jacob? Sobre os cromossomos. – Carslile tentou explicar.

– O que foi? – Jacob queria saber que tanto pensávamos.

– Levando suas similariidades em consideração... – Carslile foi explicando.

– Similariidades? – Jacob não gostou.

– O crescimento acelerado, e o fato que a Alice não pode ver nenhum

de vocês. – Aí caiu a ficha para Jacob. – Eu me pergunto se isso significa que temos

uma resposta. Se as similaridades são profundas.

– Vinte e quarto pares. – eu disse ainda olhando para Bella quase dormindo

novamente. “Lembrei. Carslile falava sobre isso ontem com Jacob. Será?”, pensei.

– Você não sabe disso. – Jacob contestou. Ele não gostava da comparação.

– Não. Mas é interessante especular.

– Sim. Simplesmente fascinante. – Jacob disse sarcasticamente.

Jacob ficou pensando na nossa conversa anterior, sobre o parto de Bella. Fechei

então a minha mente para ele. Não era algo em que eu quizesse pensar. Jacob sentou-se

novamente ao lado de Bella, agora dormindo profundamente enquanto eu, Carslile,

Rosalie, Esme e Alice conversávamos.

– Será Carslile? Uma nova espécie? Isso pode acontecer? – Perguntei.

– Há uma grande possibilidade. Pense em Jacob ... o que pode ter acontecido com os

antepassados dele para que essa nova espécie surgisse?

– Um erro? – Rosalie disse com nojo.

– Não ... acho que não. Da mesma forma que eu e Bella não sabíamos, pode ter

acontecido com eles. – Disse.

– Então ... eles se saíram bem. Eles sobreviveram. Então há esperança. – Esme disse

mais calma depois do último episódio de Bella. Ela ficava muito preocupada, mas era

de sua natureza não falar muito.

– Não sei ... ele a machuca demais, Esme. É um monstro. – Contestei.

– Não vamos começar uma discução aqui. – Carslile disse acalmando os nervos ... os

meus.

– Só sei que assim que Bella tomou a decisão eu não tive mais sossego. Não consigo vêla

mais e minha cabeça dói. Com certesa algo de estranho tem, por que se fosse um de

nós eu não teria problema, seria até fácil.

– Bem... acho que não há muitas dúvidas então. – Concluiu Carslile.

– Alguém pode colocar o cachorro pra fora? Não aguento mais a britadeira. Quero um

pouco de paz, pelo amor de Deus. – Rosalie reclamou. Jacob havia dormido ao lado de

Bella enquanto conversávamos.

– Rosalie! Ele precisa descançar. Imagino a quanto tempo ele não dorme em uma cama.

Ele deu as costas à sua família pela nossa. – Esme reclamou com Rosalie que fechou a

cara.

– Ele jogou comida no meu cabelo, Esme ... – Agora fez queixa como uma criança. “Só

mesmo Rosalie para se importar como uma besteira como essa”, pensou Alice.

– Ok, querida. Eu sinto muito, mas Bella gosta de ter o amigo por perto. – Esme falou

acariciando os cabelos dourados de Rosalie. – Não vamos aborrecer ela, não é?

– Ok. Mas não aguento mais, tá? – Rosalie então se rendeu. Esme sempre soube como

lidar com Rosalie e seus caprichos, mas a situação era diferente. Por opção de Rosalie,

Bella vinha (pela primeira vez na história) em primeiro lugar na vida dela.

Era madrugada quando vi que Bella já estava suando. O aquecedor já podia ser

dispensado, para felicidade de Rosalie. Tentei ser o mais delicado possível, não queria

uma reação de Jacob como a que ele teve na cabana enquanto aquecia Bella. Hoje

aquele comportamento teria proporções desastrosas. Ele acordou tranquilamente e

quando se deu conta de quanto dormiu decidiu ir trabalhar.

– Obrigado. Se o caminho estiver livre, eles irão hoje. – Falei baixo para não acordar

minha Bella. Sentei-me no seu lugar para nivelar a temperatura de Bella.

– Eu te aviso. – Ele me garantiu e correu para a floresta. Ia render Seth que corria

desde a hora que saiu da minha casa.

Os lobos estavam se dedicando ao máximo para nos proteger, quer dizer,

proteger Bella. Mesmo Leah, que a partir do momento em que se transformou pela

primeira vez, e ficou sabendo de tudo, odiou Bella, estava lá fora cuidando de nossa

proteção. Seth, que se apegou a mim, e consequentemente à minha família depois do

episódio com Riley, não media esforços.

– Bom dia. – Bella me falou assim que acordou, o sol estava quase nascendo.

– Bom dia, meu amor. Como você está se sentindo hoje? – Perguntei acariciando de

leve seu rosto.

– Acho que estou bem, na medida do possível. Não aguento mais ficar sentada, minhas

costas estão incomodando. – Bella reclamou e tentou se ajeitar.

– Você está com fome? – Bella parecia mais pálida essa manhã.

– Bem ... não sei se é fome ou sede. – Ela disse e recostou a cabeça. Bella começou

então a acariciar a barriga e um sorriso surgiu no canto de sua boca..

Assim que Bella colocou a mão sobre a barriga eu ouvi novamente. Era a mesma

sensação, mas eu não compreendia exatamente, parecia alguém resmungando ou

fazendo manha, mas dessa vez era mais doce e suave. Fiquei observando e esperando

para ver se algo mais acontecia, mas nada, então não fiz nenhum comentário. O que

dizer? “Olha gente, o monstro tá pensando?”, “Que absurdo”, pensei.

– Não se preocupe, vou buscar. – Disse Carslile depois de avaliar visualmente Bella.

Carslile não demorou e trouxe rapidamente mais uma dose do sangue para Bella.

Assim que ela se mexeu e começou a beber eu ouvi um som mais alto, era como um

estálo alto em minha mente.

– Bella! Tudo bem? Eu ouvi um estalo. Carslile? – Me assustei e chamei por meu pai.

– O que foi? – Ele correu para a sala, preocupado.

– Eu ouvi um estalo. – Informei. Foi tão alto que eu não tinha dúvidas.

– Não ouvi nada, Edward. Você está doido? – Rosalie falou. Sua mente estava pura, ela

realmente não tinha escutado nada. “Estranho”, pensei.

– Eu ouvi. Tenho certesa. – Fui infático.

– Bella? Está tudo bem? – Ela assentiu com a cabeça, nem tinha parado de beber.

– Tem certesa, Bella. Você não deve nos esconder nada. – Disse segurando seu rosto

entre as minhas mãos. Ela assentiu, mas isso não queria dizer muita coisa, seu histórico

de me esconder quando sentia dor era imenso. – Carslile, acho melhor fazer um raio-X.

Por favor.

– Ok. Vou preparar e já chamo vocês.

– Está tudo bem, amor. Eu juro. – Bella tentou me garantir.

– Mas eu ouvi, e não quero pecar por negligência, prefiro pecar por excesso. Se você

tomou a sua decisão de levar isso adiante, mesmo contra a minha aprovação terá que

aceitar as consequências dessa decisão ... meu excesso de proteção e zelo por você. –

Disse sério olhando nos seus olhos.

– Eu não me importo que você cuide de mim ... de nós. – “Lá vem o nós ...”, pensei.

– OK. Chega de melação, vamos logo fazer esse raio-X e provar que você está doido. –

Disse Rosalie querendo pegar Bella no colo.

– Eu faço isso. – Disse impedindo Rosalie.

– Ok. Mas cuidado. – Ela me disse e eu lhe joguei um olhar de reprovação. “Como se

eu fosse machucá-la”. – Você não ouviu o que eu acabei de dizer a Bella? Acho que

você que está escutando de menos.

Subimos para o quarto UTI onde Carslile nos esperava. Eu e Rosalie ficamos do

lado de fora, Bella nos mandou sair quando começamos a discutir sobre quem escutou

ou não. “Quanta imaturidade”, pensei.

– Jacob está voltando. – Contei a Carslile assim que voltamos para dentro do quarto-

UTI. Alice passou voando pela porta. Sua cabeça parou de doer assim que Jacob se

aproximou da casa. – Ele está trazendo novidades, os lobos de La Push permanecem

tranquilos. – Vi na mente de Jacob que ele já tinha percebido a movimentação no ardar

de cima, ia perguntar a Alice.

Assim que Carslile terminou esperamos a revelação do exame e realmente não

tinha nenhuma fratura, tirando as anteriores.

– Viu, eu disse que eu não escutei um estalo. Você precisa checar seus ouvidos,

Edward. – Rosalie me disse, provocando. “Mas eu ouvi.”, eu pensei.

Peguei Bella no colo delicadamente e fui para sala. Bella não largava o copo

com o sangue e assim que chegamos na escada ela viu Jacob.

– Jake. – Bella disse contente, era visível como ela estava mais corada, mas ainda

sentia dor devido as outras fraturas e o peso da barriga, mas Jacob não respondeu, ele

simplesmente a observou. Notou logo seu estado.

Carslile não desceu de imediato, ficou meditando ainda no quarto-UTI. Ele

observava tudo para ver se algo estava faltando. Observou o estoque de sangue e achou

melhor reabastecer o quanto antes. “Se a nossa teoria estiver correta, o feto precisará se

alimentar assim que nascer, e Bella bebe cada vez mais. Tenho que me apressar.”, ele

pensava no andar de cima e foi caminhando devagar para o andar de baixo. Ele estava

realmente preocupado.

– Carlisle. A gente foi até metade do caminho para Seattle. Não há nenhum sinal do

bando. Você pode ir. – Jacob o informou assim que Carslile apareceu.

– Obrigado, Jacob. Essa é uma boa hora. Tem muito que a gente precisa. – Carslile

respondeu a Jacob e olhou para o copo de Bella, explicando exatamente o que ele

queria dizer. Carslile não queria alarmar Bella sobre o nosso estoque que estava baixo,

e como Bella bebia cada dia mais, ele não duraria muito tempo.

– Honestamente, eu acho que você está seguro para levar mais de três. Eu estou certo

que o Sam está concentrado em La Push. – Jacob garantiu.

– Se é isso que você acha, Alice, Esme, Jasper e eu iremos. E então Alice pode levar o

Emmett e a Rosa... – Ele ia terminar mas Rosalie o impediu.

– Sem chance. Emmett pode ir com você agora. – Rosalie negou veemente.

– Você tem que ir caçar. – Carlisle insistiu em vão.

– Eu vou caçar quando ele for. – Rosalie disse olhando na minha direção e rosnou.

Carslile não discutiu, seria em vão.

– Obrigado. – Carslile agradeceu novamente à Jacob e correu com os outros, que

vieram logo e já estavam na porta dos fundos, na cozinha. Emmet estava ansioso

demais para sair. Antes Carslile me alertou “Cuidado com os movimentos dela.

Mantenha Bella calma e o mais imóvel possível, voltaremos logo.”.

Me sentei ao lado de Bella e fiz o possível para cumprir as ordens médicas, mas

Rosalie não, começou logo a provocar Jacob, mesmo com a recomendação de Esme. Ela

ficava fuzilando Jacob com os olhos e claro que ele percebeu. Deu-se então início a

outra onda de piadinhas inúteis. Eu já estava cansado disso. Jacob então passou por

Rosalie e de propósito sentou-se ao lado dela e colocou o pé bem perto, provocando.

Claro que irritou Rosalie.

– Eca. Alguém coloca o cachorro para fora. – Rosalie começou a onda de provocações

fazendo cara feia para o cheiro que sentiu.

– Você já ouviu essa, psicopata? Como que a célula cerebral de uma loira morre? –

Jacob revidou mas Rosalie não respondeu, claro, essa era uma piada de loira nova. –

Bem? Você sabe a resposta ou não? – Mas Rosalie nada disse, nem esboçou nenhuma

reação.

– Ela já escutou? – Jacob então me perguntou.

– Não. – Respondi simplesmente.

Enquanto os dois despejavam insultos e piadas eu me concentrava em Bella e no

feto. Eu olhava nos olhos de Bella e ela fazia o mesmo, era sempre para lá que eu ia ...

seus lindos e expressivos “olhos de chocolate”. Bella não falava nada, só me olhava,

acho que fazendo o mesmo, tentando desvendar meus pensamentos.

Tentei me concentrar mais. Minha mente conseguia trabalhar com coisas

diferentes e ao mesmo tempo, então, enquanto eu ouvia a troca de farpas entre Jacob e

Rosalie eu tentava ouvir o feto, tentava penetrar a grossa e dura camada que envolvia o

útero de minha Bella e servia como morada para o ser que nasceria em cerca de 4 dias,

segundo previsão de Carslile. Se Alice pudesse vê-lo seria tudo mais fácil e tranquilo,

principalmente para mim, eu saberia exatamente o que e até quando esperar. Saberia

exatamente quando agir para salvar minha Bella.

“– Ótimo. Então você vai gostar dessa, sugadora loira ... a célula cerebral de uma

loira morre sozinha. – Foi forte demais e Rosalie não gostou, pegou em seu ponto

fraco.”

‘”– Eu matei cem vezes mais que você, sua fera nojenta. Não esqueça disso. – Rosalie

ameaçou Jacob então.”

“– Algum dia, Rainha da Beleza, você vai cansar de só me ameaçar. Eu estou ansioso

para esse dia chegar. – Jacob então lhe deu um aviso, ele estava realmente ansioso por

se vingar de Rosalie, por apoiar Bella naquela loucura de gravidez. Tudo o que Jacob

mais odiava e o que ele menos esperava era a transformação de Bella em vampira, e

Rosalie deu um belo empurrão nessa decisão. Isso irritava muito Jacob.”

“– Chega, Jacob. – Bella disse para parar com as provocações, isso a deixava triste. Vi

uma ruga em sua testa. Eram duas pessoas que ela gostava discutindo.”

Na hora em que Bella falou pela primeira vez depois do início da troca de farpas

eu pude pegar um vestígio de um resmungo mas não tinha certesa, foi muito longe.

Forçei meus “ouvidos” então e me concentrei mais.

“– Você quer que eu vá embora? – Jacob disse para Bella, ele estava arrependido pelo

seu comportamento.”

“– Vá logo cachorro”, Rosalie pensou mas não disse em consideração à Bella, eu fiquei

satisfeito pela atitude dela, iria dar início à outras piadinhas infantis, e eu não estava

mais a fim daquilo.

“– Não, claro que não. – Bella disse chateada. Mas uma vez eu ouvi um resmungo,

parecia um muxoxo. Suspirei quando consegui ouvir mais, era o feto. “Será que estou

doido mesmo, será que ouvi mesmo ou é obra do stress? ”, pensei – Você parece

cansado. – Bella completou”

“– Morto de cansaço. – Jacob confirmou.”

“– Eu queria te matar de cansaço. – Bella falou baixinho de forma que somente eu e

Jacob ouvimos.

Eu me concentrava muito olhando nos olhos de Bella.“– Estou com fome ..

quero mais daquela coisa gostosa.”. Ouvi claramente ... mas eu estava olhando nos

olhos de Bella e ela não tinha movido a boca. Quase que na mesma hora Bella mostrou

o copo em que ela bebia o sangue e Rosalie entedeu o que ela queria. Rosalie correu

para buscar mais. “Uhm. Coisa gostosa”.

– Você disse algo? – Perguntei então a Bella assustado.

– Eu? – Bella me perguntou. – Eu não disse nada.

“Por que mamãe está nervosa? Não gosto quando mamãe fica nervosa.” Ouvi de novo.

“Impossível”, pensei. Eu estava muito assustado e nervoso, queria ouvir mais, eu estava

conseguindo. Me ajoelhei na frente de Bella encarando seus olhos enquanto ela me

olhava confusa, Bella não fazia a menor idéia do que eu estava querendo dizer. As

mentes de Jacob e Rosalie também não me entendiam, eles me observavam o tempo

todo.

– O que você está pensando agora? – Perguntei olhando para Bella mas me dirigia

também ao feto.

– Nada. O que está acontecendo? – Bella me disse depois de alguns segundos.

– O que você estava pensando um minuto atrás? – Perguntei.

– Só... Ilha Esme. E penas. – Ela me respondeu inocentemente e corou com a

lembrança.

– Fala alguma outra coisa. – Disse baixinho para o feto, não queria assustá-lo.

– Como o que? Edward, o que está acontecendo? – Bella me disse, pensando que eu

falava com ela.

“– Gosto quando mamãe fala com papai”, ouvi. Ele então me entendia.

Fiquei maravilhado quando ouvi o bebê me chamando de “papai”. Algo dentro

de mim se metamorfoseou naquele exato momento, e meus sentimentos em relação ao

bebê mudaram completamente. Eu passei a amá-lo como Bella e Rosalie.

Desde o primeiro momento em que eu me dei conta de que amava Bella, minha

percepção da minha não-vida mudou, ela passou a se chamar “Vida”, e esta passou a

fazer algum sentido. Minha vida passou a caminhar no ritmo dela e eu quiz ser humano

para poder realizar todo tipo de coisas humanas ... e eraesse tipo de coisa que eu não

queria que minha Bella abrisse mão, que fôssemos capazes de ter isso juntos.

– Não precisa ficar assustado. Não vou te machucar. – Disse tão baixo que nem Rosalie,

nem Jacob ouviram.

“– Papai tá escutando?”

– Eu posso te ouvir sim bebê. – Disse bem baixinho e rápido.

“Gosto de mamãe” – O bebê me disse em pensamento. Fiquei tão maravilhado que

minhas mãos, como se tivessem vida própria tocaram na grande barriga de Bella.

– O f... – Não sabia o que dizer. – A co... o bebê gosta do som da sua voz. – Disse para

Bella enquanto ela estava com os olhos arregalados vendo minhas mãos em seu ventre.

– Minha nossa, você poder escutar ele! – Bella gritou e o bebê se assutou dando um

chute no alto do ventre de Bella, fazendo-a sufocar por um momento.

– Shh. – Disse para o bebê acariciando onde ele havia chutado a mãe.– Você

assustou... ele. – Disse agora para Bella.

– Desculpa, bebê. – Bella disse maravilhada e acariciando a barriga. Isso acalmou o

bebê dentro de seu ventre.

Encostei minha testa na barriga de Bella. Eu estava muito feliz. Minha vida

tomou um rumo completamente diferente naquele momento em que pude ouvir meu

filho dentro da barriga de minha esposa. Era muito bom poder dizer isso sem medo.

– O que ele está pensando agora? – Bella ficou curiosa.

– Ah... ele ou ela, está... – Parei por um momento enquanto ouvia mais... “Mamãe gosta

de mim e eu gosto da mamãe. Ela fala gostoso” – O bebê pensou.

– Ele está feliz. – Disse ainda assustado com toda aquela novidade. Bella estava muito

emocionada e pude ouvir a emoção na mente de Rosalie. Senti minha garganta se

fechando e meus olhos secando, mas não sentia a angústia eu estava feliz novamente.

– Claro que você está feliz, bebê lindo, claro que você está. – Bella falou mais

emocionada. – Como você não poderia, todo seguro e aquecido e amado? Eu te amo

tanto, pequeno EJ, claro que você está feliz.

– Do que você o chamou? – Perguntei curioso e Bella corou levemente.

– Eu meio que dei um nome a ele. Eu achei que você não ia querer...

bem, você sabe.

– EJ?

– O nome do seu pai era Edward, também.

– Sei, era, o que? – “papai tem voz bonita”, o bebê pensou. – Hmm.

– O que? – Bella quiz saber.

– Ele gosta da minha voz, também. – Disse maravilhado e feliz.

– Claro que ele gosta. Você tem a voz mais linda do universo. Quem não amaria?

– Você tem um plano de reserva? – Rosalie perguntou. Ela agora estava mais perto, ela

havia se levantado e se inclinado atrás do sofá perto de Bella. – E se ele for ela?

– Eu brinquei com algumas coisas. Brincando com Renée e Esme. E

estava pensa... Rh..nez..may. – Bella disse depois de enxugar as lágrimas.

– Ruhnezmay? – Rosalie perguntou confusa.

– R-e-n-e-s-m-e-e. Muito estranho? – Bella perguntou.

– Não, eu gosto. É lindo. E único, então se encaixa.

– Eu ainda acho que ele é um Edward. – Bella tinha essa convicção, eu não.

Eu estava maravilhado. Fiquei parado ouvindo tudo.

“Gosto de ouvir quando mamãe fala, mas gosto mais quando ela fala só para mim.

Mamãe canta e eu gosto.”

– O que? O que ele está pensando agora? – Bella me perguntou.

– Ele te ama. – Forcei a voz a sair pela minha garganta, eu estava muito emocionado,

era uma sensação nova e eu estava me acostumando com isso. – Ele absolutamente te

adora. – Disse para Bella que ainda tinha os olhos úmidos.

A mente de Jacob ficou colérica atrás de mim. Ele me odiava mais, odiava

minha felicidade, meu filho e minha família. Ele achou que eu o traí, o que não era

verdade. Jacob estava sofrendo demais, como eu há menos de meia hora atrás, não era

justo. Jacob então se levantou rapidamente assustando todos nós. Eu precisava ajudá-lo

de alguma maneira.

– Ahh. – Disse e me levantei quando vi algo que podia fazer por ele. Jacob queria sair

daquele lugar mas não conseguia. Fui rapidamente ao consolhe de chaves e peguei a

do meu Astom Martin e joguei para ele, era como uma boia de salvação, uma

libertação para seu sofrimento. Se eu desse o Volvo chamaria com certesa atenção ao

passar pela cidade e Jacob precisava correr para longe, mas não como lobo, ele

precisava pensar sozinho. – Vai, Jacob. Vai embora daqui. – Dei esse presente a ele.

– Onde ele vai? – Bella perguntou preocupada. – Por que você deu as chaves a ele?

– Ele precisa de um tempo, Bella. Muita informação na cabeça dele. – Disse a Bella

enquanto ouvia a mente de Jacob, ele estava com muita raiva, queria acabar com meu

carro mas desistiu quando percebeu qual carro iria dirigir. Isso foi bom ... para mim,

era meu carro preferido, mas quase não o usava, chamava muita atenção, bem mais

que o Volvo. – Não se preocupe, ok? Eu li a mente dele e ele vai se comportar. – Menti

um pouco. – Como você está? – Perguntei ainda de pé.

– Estou bem ... estamos bem. – Ela me disse e acariciou a barriga.

– Posso? – Perguntei estendendo minha mão em sua direção, eu queria poder tocá-la

novamente.

Bella não disse nada, estendeu a mão na minha direção e eu a alcancei

rapidamente e ela fez com que a minha mão suavemente tocasse em sua barriga.

Naquele exato momento o bebê se mexeu quando sentiu meu toque.

“Papai”, ele pensou.

– Oi. Sou eu sim. – Respondi agora para todo mundo ouvir.

– Ele está falando com você? – Rosalie perguntou e eu assenti com a cabeça.

“– Tia Rose.” – O bebê falou reconhecendo a voz de Rosalie e eu arfei.

– O que foi, Edward? – Bella me perguntou com os olhos esbugalhados.

– Ele conhece ... Rose. – Disse abismado. O bebê conhecia todos.

– É claro que conhece ... sou a tia preferida. – Disse Rosalie pretenciosamente e o bebê

gostou.

– Ele achou graça. – Disse e todos rimos juntos. Era muito bom.

– Ei! O que está acontecendo aqui? – Alice disse quando chegou correndo junto com

Jasper.

– O clima tá bom aqui? – Jasper falou então.

– Edward conseguiu ouvir o bebê. – Rosalie se apressou para contar.

– O que? Edward? Como? – Alice disse muito confusa.

– Eu já estava percebendo algo diferente há alguns dias. – Nessa hora Bella e Rosalie

me olharam confusas e eu tive que me explicar.. – Bem, eu comecei a notar uma

presença a mais, uma mente desconhecida.

– Por que você não me falou? – Bella disse acariciando meu rosto. – É tão bom ver

você feliz novamente, mesmo com essa ruguinha aqui. – Ela disse e tocou entre meus

olhos. Eu estava feliz, mas ainda preocupado com muitas coisas. O parto, os lobos de

La Push, nosso trato, a segurança do bebê após o nascimento.

– Eu não tinha certesa. Tive que me concentrar muito e mesmo quando eu ouvi mais

claramente pensei ser mais um osso quebrando, lembra? – Disse sorrindo para ela.

Bella então começou a ofegar, o bebê estava se mexendo novamente e

pressionou seus pulmões.

“Estou com fome, papai.”, o bebê me disse mentalmente.

– Calma, bebê. Se você se mexe muito machuca a mamãe. – Disse baixinho fazendo

carinho na barriga de Bella.

“Machuca? Uhmmm. Desculpa mamãe...hummm.”, o bebê ficou triste.

– Não fique triste. Está tudo bem agora. Não fique triste. – Disse baixinho para não

assustá-lo.

– O que foi, Edward? – Bella e Rosalie disseram juntas.

– Ele ficou triste por ter te machucado, e está com fome. – Expliquei e Rose voou para

buscar mais uma dose de sangue para Bella. No andar de cima pude ouvir a

preocupação de Rosalie quando viu o nosso estoque baixo, mas Carslile logo voltaria

trazendo mais, então não me preocupei.

– Não fique triste, bebê. Estou bem ... estamos bem. Você só é fortinho. – Bella disse e

o bebê gostou.

– Posso? – Alice disse se aproximando mais, lutando contra a dor de cabeça.

– Vem cá. Senta comigo. – Bella disse estendendo a mão para Alice. – Bebê, essa é sua

tia Alice, ela é muito minha amiga, como a tia Rose. – Bella disse e sorriu para Rose

que já havia retornado. Tomou um bom gole de sangue e continuou. – Você ainda tem o

tio Jasper e o tio Emmet. – Bella ficou conversando com a barriga e o bebê foi ficando

mais tranquilo. A voz de Bella o acalmou até que ele dormiu.

– Shhhh. Ele dormiu! – disse e todos rimos baixinho. Foi muito bom. A mente de Jasper

era só alegria, depois de muitos dias ele pôde sentir uma boa vibração na casa e estava

satisfeito. Olhei para ele e sorri.

– Ele dorme? – Perguntou Jasper confuso.

– É ... parece que sim. – Disse e todos ficamos em silêncio pensando. Não demorou

muito e Bella também adormeceu também.

Assim que Bella adormeceu minha mente começou a trabalhar frenéticamente,

eu precisava repensar toda a minha vida e as minhas próximas atitudes. Tudo ficou de

cabeça para cima novamente, eu poderia realizar o meu papel principal, “Protetor

incondicional de Bella” e agora eu tinha uma preocupação a mais, meu filho. “Nossa ...

pai ... vou ser papai”, pensei e sorri. Rosalie sorriu quando percebeu. Mas minha

tranquilidade durou pouco quando eu começei a pensar no parto de Bella, em como o

bebê sairia da forma “natural”, com suas presas.

– Rose? – Chamei e ela logo veio para mais perto. – Eu estava pensando ... agora que

eu posso entender o bebê consigo perceber que ele tem uma mente desenvolvida e

acredito que está pronto. – Eu ia dizendo e Rosalie acompanhando. Na sua mente a

dúvida ainda existia. – Eu acredito que será mais prudente e mais seguro que façamos

logo o parto. Carslile poderia fazer uma cesariana em Bella tranquilamente e ela não

sofreria, poderia sair dessa de uma forma mais ... segura.

– Mas será seguro para o bebê? Não sei...

– Eu acredito que sim, ele é forte ... muito forte, como nós.

– Precisamo conversar com ela ... ela decidirá quando acordar. – Rose deu sua opinião

final, não faria nada sem o consentimento de Bella.

– Claro, com certesa. – Concordei. – Ligue para Carslile. Conte a ele o que aconteceu e

o prepare já que temos essa opção agora. Talvez ele precise trazer mais algumas coisas.

Temos que aproveitar enquanto ele está fora.

Rosalie se apressou e foi para a cozinha ligar para Carslile sem incomodar Bella

enquanto eu ficava tomando conta dela. O sono de Bella foi tranquilo e ela dormiu

continuamente por mais de 4 horas ... muito comparado aos últimos dias. Assim que

Bella acordou, eu e Rose conversamos com ela. Bella relutou um pouco mas só cedeu

depois que eu a prometi que a transformaria depois que o bebê estivesse bem.

Combinamos então em fazer o parto no dia seguinte, com segurança e planejamento.

Conversaria com Carslile assim que eles retornassem.

Já passava do meio dia quando ouvi a mente de Leah se aproximando, e não

gostei do que ouvi. Ela estava muito revoltada e preocupada com Jacob que havia saído

com meu carro há muito tempo. Ele passou por Leah e Seth mas não parou, isso a

consumiu por toda a manhã.

– Leah está chegando. Ela não está de bom humor. – Informei a Rosalie e Bella que

estava acordada.

– O que foi? – Me perguntou Bella. – É Jacob? É sobre Jacob?

– Sim. Ela quer saber dele. – Informei.

Não demorou muito para que Leah se transformasse e invadisse a casa com ódio

nos olhos e o corpo ainda tremendo.

– O que você fizeram com ele? Para onde Jacob foi? – Ela entrou gritando.

– Ei! Calma aí, Leah! – Me levantei e disse para ela.

– Calma nada sanguessuga. O que vocês fizeram para que Jacob saísse assim daquele

jeito sem se transformar nem falar conosco? – Ela então se virou para Bella. – Foi essa

aí?

– Bella não fez nada a ele. – Disse me colocando entre Leah e Bella, impedindo sua

visão. Meus irmãos logo se posicionaram ao meu lado, somente Rosalie ficou com Bella

que já estava ficando nervosa, e o bebê também. – Jacob foi por que precisou ficar

sozinho.

– Você só atrapalha a vida dele. – Ela se dirigia a Bella. – Por que não foi logo embora

quando se casou com o seu sanguessuga? Isso seria o melhor para todos ... o melhor

para Jacob.

– Eu não ... – Bella tentava falar mas não conseguia. Fui então para seu lado.

– Saia daqui sua Cadela! Não está vendo o que está fazendo? – Rose cuspiu para Leah.

– Isso é pouco comparado ao que Jacob sofre! Ele não fala mas eu sei, posso sentir o

mesmo, desde o início e eu te odeio por isso, Bella! – A mente de Leah estava colérica e

eu via que ela ia falar demais.

– Saia daqui agora mesmo, Leah. – Me levantei e disse rosnando para ela. Eu não

mediria esforços para frear Leah.

– É melhor você seguir o conselho dele ... ele não está brincando. – Falou Jasper

prevendo um prossível confronto.

– Vou sair, mas pode ficar sabendo, Bella, estarei de olho. Não vou deixar você

machucar mais o Jake. Ele não merece isso! – Leah falou, virou as costas e correu para

a floresta.

Quando me virei vi que Bella ofegava e chorava muito, Leah havia tocado em

seu ponto fraco. Bella estava sempre à flor da pele, ainda mais no estado em que se

encontrava. Não foi correto o que Leah fez e eu iria ter uma conversa séria com Jacob

assim que ele retornasse.

– Calma Bella, não fique triste, Leah só ficou preocupada e se descontrolou. – Disse

enquanto acariciava seu rosto, depois deitei meu rosto sobre a barriga. – Pense no

bebê, ok? É ele que importa agora. Esqueça isso, por favor. Isso é problema de Jacob

com sua matilha.

– Mas ... Jacob está ... sofrendo ... É minha culpa. – Ela dizia em meio a soluços.

Sua respiração ficou tão acelerada e ela estava sofrendo tanto que o bebê se

agitou dentro da barriga. Ele não entendia o que estava acontecendo, só que a mãe

sofria. Tive que recorrer à Jasper senão Bella começaria a vomitar e pressionaria muito

os ossos.

– Jásper! – Disse olhando para meu irmão. Ele entendeu e rapidamente se aproximou.

Assim que ele tocou em Bella as lágrimas foram secando e sua respiração

desacelarando enquanto eu acalmava o bebê.

– Calma, bebê. Está tudo bem agora, mamãe está mais calma. – Eu falava e acariciava

a barriga de Bella então olhei para Jasper e sorri. – Tio Jasper tá cuidando da mamãe

também. – Bella sorriu quando ouvia o que eu dizia mas não demorou muito para

adormecer, e assim ficou por pelo menos 2 horas até que eu precisei me ausentar.

Ouvi a mente de Jacob e o barulho do motor do meu Aston saindo do asfalto.

Invadi sua mente para verificar se havia algum vestígio de que Jacob sabia da atitude de

Leah, mas nada encontrei, como eu já imaginava. Jacob se preocupava demais com

Bella e mesmo com ódio de mim, não baixaria a tanto.

– Jacob está chegando. Fiquem aqui. Vou ter uma conversa com ele lá fora, não quero

Bella por perto.

– Está tudo bem, Edward? – Jasper me perguntou quando sentiu a mudança no clima.

– Vai ficar ... vai ficar. – Disse e saí. Rosalie se posicionou logo no meu lugar e Alice

desceu as escadas.

Fiquei na entrada da garagem esperando por Jacob. Seth e Leah estava no

bosque próximo mas não se transformaram para recebê-lo, Leah estava preocupada com

a reação de Jacob e Seth envergonhado pela atitude da irmã. Jacob se comprometeu em

explicar o seu desaparecimento a eles depois.

“– Desculpe, Edward. Não consegui frea-la.” – Seth me falou mentalmente e eu assenti

para ele. Não queria outra discussão, meu assunto era com o líder deles.

– Algumas coisas, Jacob. – Fui logo falando, nem me importei em ele ter pensado em

detonar meu carro.

– Obrigado pelo empréstimo. – Ele me disse ao jogar a chave. – O que você quer

agora?

– Primeiro... eu sei o quão contrário você é em utilizar a sua autoridade com seu bando,

mas... – Ele não me deixou continuar, não sabia de nada ... ainda.

– Quê? – Ele me perguntou.

– Se você não pode ou não irá controlar Leah, então eu... – Eu tentava falar mas ele me

interrompia o tempo todo.

– Leah? – Ele me perguntou mas já imaginava que não era boa coisa. – O que

aconteceu?

– Ela veio ver por que você saiu tão de repente. Eu tentei explicar. Suponho que não

tenha dado certo. – Informei a ele.

– O que ela fez? – Ele ainda não tinha entendido a gravidade da situação.

– Ela mudou para sua forma humana e...

– Sério? – Ele me interrompeu de novo.

– Ela queria... falar com a Bella.

– Com a Bella?

– Não vou deixar a Bella ficar chateada com isso. Não ligo o quanto certa Leah acha

que está. Eu não a machuquei – claro que eu não o faria– mas vou jogá-la para fora da

casa se acontecer de novo. Jogo ela através do rio... – Ameacei.

– Espera, o que ela disse?

– Leah foi desnecessariamente grossa. Eu não vou fingir que entendo porque Bella não

consegue te deixar ir, mas eu sei que ela não se comporta dessa forma pra te machucar.

Ela sofre muito por causa da dor que ela sabe que te inflige, e em mim, pedindo pra

você ficar. O que a Leah disse foi desnecessário. Bella tem chorado...

– Espera ... Leah estava gritando com Bella sobre mim? – Eu apenas assenti.

– Você foi defendido com firmeza. – ele precisava saber.

“– Uau.”, ele pensou.

– Eu não pedi que ela fizesse isso. – Jacob se desculpou.

– Eu sei.

– Não posso prometer controlar Leah. Não vou fazer isso. Mas vou conversar com ela,

ok? E eu não acho que isso irá se repetir. Leah não é de se segurar, então acho que ela

tirou tudo do seu peito hoje.

– Eu diria que sim. – concordei.

– De qualquer forma, vou falar com Bella sobre isso também. Ela não precisa sentir-se

mal. Isso é problema meu. – Ele me prometeu.

– Eu já disse isso a ela.

– Claro que você disse. Ela está ok? – Jacob então se preocupou com Bella.

– Ela está dormindo agora. Rose está com ela. – Jacob percebeu minha mudança no

trato com Rosalie mas eu ignorei seus pensamentos.

– Ela está... melhor de certa forma. Apesar do discurso da Leah e da culpa resultante.

“– Melhor. Porque você está ouvindo o monstro e tudo está lindo e maravilhoso agora.

Fantástico.”, Jacob pensou.

– É um pouco mais do que isso. Agora que eu consigo ouvir os pensamentos da criança,

ficou evidente que ele ou ela desenvolveu excepcionalmente habilidades mentais. Ele

pode nos entender, como extensão.

– Você está falando sério? – Jacob não acreditou.

– Sim. Agora ele parece ter um vago senso do que a machuca. Ele tenta evitar isso, o

máximo possível. Ele... a ama. Já.

“– Ele não pode odiar o que ama Bella. Provavelmente por isso que ele não consegue

me odiar, também. Há apenas uma grande diferença. Eu não estou matando-a.”, Jacob

pensou depois de me encarar por um tempo, mas eu deletei.

– O progresso, creio eu, é maior do que julgávamos. Quando Carlisle retornar... – Eu ia

continuar mas ... ele me cortou ... de novo! “Controle-se”, pensei

– Eles ainda não voltaram?

– Alice e Jasper sim. Carlisle mandou todo o sangue que ele conseguiu encontrar, mas

não era a quantia que ele estava esperando, Bella usará esse suprimento em mais um

dia, da forma que o apetite dela cresceu. Carlisle ficou para procurar outra fonte. Eu não

acho que isso seja necessário agora, mas ele quer estar preparado para qualquer

eventualidade.

– Por que não é necessário? Se ela precisa de mais?

– Estou tentando persuadir Carlisle a fazer o parto assim que ele voltar.

“– O que?”, Jacob pensou.

– Parece que a criança está tentando evitar movimentos bruscos, mas é difícil. Ele está

grande demais. É loucura esperar, quando obviamente ele desenvolveu-se mais do que

Carlisle esperava. Bella é frágil demais para adiarmos. – Esperei um pouco depois de

falar. Jacob estava tendo dificuldades em acompanhar, sua mente e seu corpo estavam

vacilando. Isso tudo era muito difícil para ele, como estava sendo para mim.

– Você acha que ela vai conseguir? – Ele disse com difuculdade.

– Sim. Esse era o outro assunto sobre o qual queria conversar com você. – Disse e

esperei mais um pouco até que ele estivesse pronto.

“Comigo...”, Jacob pensou.

– Sim. Esperar, da forma que fizemos, para a criança estar pronta, foi insanamente

perigoso. A qualquer momento pode ser tarde demais. Mas se formos pró-ativos sobre

isso, e agirmos rápido, não vejo razão porque não deveria correr tudo bem. Conhecer a

mente da criança é incrivelmente útil. E, ainda bem, Bella e Rose concordam comigo.

Agora que eu as convenci que é seguro para a criança se procedermos, não há nada que

impeça isso de funcionar.

– Quando Carlisle estará de volta? – Jacob me perguntou com dificuldade.

– Amanhã ao meio-dia. – Foi demais para ela naquela hora. Jacob realmente fraquejou

e quase não se aguentou, foi como um choque elétrico em suas pernas, ele não esperava

que fosse tão cedo. Pensei em apoia-lo, mas desisti, seria demais para ele.

– Me desculpe. Eu realmente sinto muito pela a dor que isso te causa, Jacob. Mesmo

que você me odeie, eu tenho que admitir que eu não sinto o mesmo por você. Eu penso

em você como um... irmão em muitas maneiras. Um camarada ombro a ombro, pelo

menos. Eu me embrenho pelo seu sofrimento mais do que você pensa. Mas Bella vai

sobreviver – disse com veemência, firme, eu acreditava naquela hora, tinha que

acreditar. – e eu sei que é isso o que realmente importa para você. – Jacob tentava

assimilar tudo e tinha dificuldade, mas eu não podia parar. – Então eu odeio ter que

fazer isso agora, enquanto você já está lidando com tanta coisa, mas claramente, há

pouco tempo. Eu preciso te pedir uma coisa ... implorar, se for preciso.

– Eu não tenho mais nada para dar. – Jacob sofria como eu ... antes. Uma vontade de

abraçá-lo surgiu, nem sei de onde, mas recuei.

– Eu sei o quanto você já deu. Mas isso é algo que você tem, e só você. Eu estou

pedindo isso do verdadeiro Alfa, Jacob. Eu estou pedindo isso para o herdeiro de

Ephraim. Eu quero sua permissão para desviar do que nós concordamos no acordo com

o Ephraim. Eu quero que você nos dê uma exceção. Eu quero sua permissão pra salvar a

vida dela. Você sabe que eu vou fazer de qualquer jeito, mas eu não quero perder a fé

com você, se há jeito de evitar. Nós nunca tivemos a intenção de voltar atrás com a

nossa palavra, e nós não fazemos à toa agora. Eu quero sua compreensão, Jacob, porque

você sabe exatamente porque nós fizemos isso. Eu quero que a aliança entre nossas

famílias sobreviva quando isso acabar.

“–É Sam que você quer.”, Jacob pensou.

– Não, a autoridade de Sam é reconhecida. Ela pertence a você. Você nunca vai tirar

dele, mas ninguém pode concordar justamente com o que eu estou pedindo exceto você.

“–Não é minha decisão.”

– É sim, Jacob, e você sabe disso. Sua palavra nesse assunto nos condena ou absolve. Só

você pode me dar isso.

“– Eu posso pensar. Eu não sei.”

– Nós não temos muito tempo. – Disse e logo depois ouvi “quero a coisa gostosa...”, o

bebê havia acordado.

“–Eu não sei. Deixe-me pensar. Só me dê um minuto, ok?”

– Sim. – Concordei e indiquei para que voltássemos para dentro de casa, antes que o

bebê acordasse Bella e ela percebesse que eu havia saído.

– Hei, garoto. – Jacob saudou Seth que estava entre os arbustos esperando. –Está tudo

beleza. – Jacob mentiu. – Eu te conto mais tarde. Desculpe por ter fugido daquele jeito.

– “Não se preocupe com isso”, Seth pensou e riu . – Hei, fala para sua irmã ficar na

dela, ok? Chega. – Seth assentiu e Jacob o empurrou no ombro. – Volte ao trabalho. Eu

vou falar com você daqui a pouco.

– Ele tem uma das mais puras, sinceras, generosas mentes que eu já ouvi. – Disse

quando percebi que Seth não ouviria. –Você tem sorte de ter os pensamentos dele para

dividir.

– Eu sei disso. – Jacob me respondeu por baixo de um grunido.Ouvimos então um

barulho dentro de casa e corremos, Bella havia despertado.

– Bella, amor, eu pensei que você estivesse dormindo Me desculpe, eu não teria saído.

– Não se preocupe. Eu só fiquei com tanta sede, que me acordou. É uma boa coisa que o

Carlisle está trazendo mais. Essa criança vai precisar quando sair de mim.

– Verdade. Esse é um bom motivo. – Mas não o único, você também deve precisar.

– Eu me pergunto se ele vai querer alguma coisa mais. – Bella refletiu.

– Eu suponho que vamos descobrir. – Eu respondi sorrindo para ela.

– Finalmente. – Alice disse assim que Jacob entrou pela porta, ela já não aguentava

mais as dores de cabeça.

Bella olhou então para a porta e sorriu ao ver Jacob mas não durou muito, seu rosto

empalideceu e seus olhos brilharam. Bella fechou a boca e começou a tremer.

– Hei, Bells. Como você está? – Jacob percebeu e foi logo tratando de falar

normalmente com Bella, para não stressa-la, o agradeci por isso.

– Estou bem.

– Grande dia hoje, huh? Várias coisas novas. – ele disse tranquilamente, mas só da boca

para fora.

– Você não precisa fazer isso, Jacob.

– Não sei do que você está falando. – “Ela não é idiota”, pensei e olhei para Jacob que

já estava sentado ao lado de Bella.

– Des... – Bella tentou dizer mas Jacob a impediu, segurando seus lábios ... os Meus

lábios. – Jake. – Bella tentou novamente.

– Você pode falar quando você não estiver sendo boba.

– Tudo bem, eu não vou dizer. – então ele, tolo, soltou os lábios de Bella. – Desculpa!

– Bella disse correndo para que ele não a impedisse, bem no estilo dela.

Jacob ficou alí parado por alguns minutos observando Bella bebendo mais uma

dose de sangue e pensando no que eu o pedi, em Bella, Leah e toda essa situação, até

que tomou a decisão.

“– Tudo bem. Pode ir. Salve ela. Como herdeiro de Ephraim, você tem minha

permissão,

minha palavra, que esse ato não vai violar o acordo. Os outros só terão que me culpar.

Você estava certo ... eles não podem negar que é o meu direito concordar com isso.”,

Jacob então me deu a sua permissão. Algo me fazia acreditar que não nos afastaríamos

mais, mesmo depois disso tudo resolvido, depois que o bebê nascesse e

principalemente, depois da transformação de Bella

– Obrigado. – Disse bem baixo mas minha voz era tão carregada de emoção e

agradecimento que meus irmãos ouviram, mesmo Bella.

– Então. Como foi seu dia? – Bella perguntou a Jacob normalmente, como se nada

tivesse acontecido.

– Ótimo. Dei uma volta de carro. Passei um tempo em um parque. – Jacob

acompanhou.

– Soa legal. – Bella disse casualmente.

– Claro, Claro.

– Rose? – Bella chamou Rose. “Banheiro ... de novo”, pensei.

– De novo? – Rose riu e falou.

– Eu acho que bebi dois galões na última hora – Eu e Jacob nos levantamos para que

Rosalie pudesse levar Bella – Posso andar? Minhas pernas estão tão duras.

– Você tem certeza? – Perguntei preocupado, ela não andava com as próprias pernas

há dias.

– A Rose vai me pegar se eu tropeçar no meu pé. O que pode acontecer bem facilmente,

sendo que eu não posso vê-los. – Bella disse assim que Rose a colocou de pé.

– Isso faz bem. – Bella disse se espreguiçando. – Ugh, mas eu estou enorme. – Bella

disse alisando a barriga. – Mais um dia. Certinho, então. Oooops ... ah, não! – Bella

resmungou quando o copo com o sangue ia caindo do braço do sofá.

Eu, Jacob e Rosalie fomos pegar mas Bella se esticou rápido demais e um forte

som abafado surgiu de sua barriga.

– Oh! – Bella arfou e desmaiou.

Rosalie pegou Bella rapidamente antes que Bella caísse no chão e eu me

aproximei também. Bella estava completamente desacordada.

– Bella? – Chamei por ela mas ouvi o bebê gemendo na sua barriga. Ele estava em

sofrimento. Ele começou a se contorcer dentro de Bella.

Bella de repente despertou gritando de dor e vomitou um jorro de sangue que

alcançou a parede lateral da casa. O bebê estava precionando todos os seus órgão e

Bella começou a se contorcer inconsciente nos braços de Rosalie que controlava a sua

sede. Bella em seus braços era um tormento para sua garganta. Ouvimos então estalos

dentro de Bella.

– Para a UTI! – Eu e Rose gritamos ao mesmo tempo e corremos com Bella para cima

seguidos por Jacob e Alice. Jasper correu para fora de casa por causa do cheiro do

sangue. Ele teve medo de não resistir.

Assim que chegamos no quarto-UTI seguramos o corpo de Bella na maca já

preparada. Dentro do corpo de Bella o bebê se debatia sufocando e o corpo de Bella que

estava inconsciente de debatia.

– Morfina. – Edward gritei para Rosalie e assim que ela me passou a seringa começei a

aplicar uma dose forte no braço de Bella.

– Alice ... ligue para Carlisle! – Rosalie gritou para Alice que estava segurando o

corpo de Bella também.

– O que está acontecendo, Edward? – Rosalie me perguntou.

– Ele está sufocando! – Gritei.

– A placenta deve ter rompido!

– Tire ele FORA! – Bella então recobrou a consciência de gritou desesperadamente. –

Ele não pode RESPIRAR! Faça isso AGORA!

– A morfina ... – Disse desesperado em meio a um rosnado.

– NÃO! AGORA...! ... – Bella gritou novamente para mim e vomitou mais sangue

ficando sufocada. Eu larguei a seringa no chão e levantei sua cabeça para desobstruir

a passagem de ar.

Alice entrou e colocou o comunicador no ouvido de Rosalie que foi passando a

situação para Carslile. Assim que recebeu a primeira informação se virou e pegou o

bisturi para abrir a barriga de Bella. “Não, ela vai sofrer demais”, pensei.

– Deixe a morfina se espalhar! – Gritei ainda segurando a cabeça de Bella para que ela

não sufocasse.

– Não temos tempo. Ele está morrendo! – Rose gritou de volta e se inclinou sobre Bella.

Assim que Rosalie fez o primeiro corte olhei para Bella que estava meio

inconsciênte mas sentiu a dor, então a mente de Rosalie me chamou a atenção. Quando

o sangue de Bella começou a escorrer na sala, Rosalie perdeu o foco e a sede a dominou

completamente, ela não enxergava mais nada. Não era culpa dela, era apenas sua

natureza, mas eu não tinha tempo para isso.

– Não, Rose! – Rosnei para ela, mas foi Jacob que agiu. Ele saltou sobre a mesa e

agarrou Rosalie tapando sua boca então ele lhe deu um chute na barriga de forma que

o corpo deles voaram até se chocarem contra o beiral da porta. O comunicador se

partiu em pedaços, então eu teria que agor.

– Alice, tire ela daqui! – Gritei desesperadamente. – Leve-a para o Jasper e mantenha

ela lá! Jacob, preciso de você! –Alice deu uma gravata em Rosalie que naquela hora

estava mais controlada e a carregou para baixo.

Bella estava sufocando junto com o bebê. “Não posso te perder... fica comigo

Bella!”, eu pensava.

– RCP? – Rosnei para Jacob.

– Sim! – Ele concordou ao ver Bella mudando de cor.

Eu tinha planos para salvar Bella, mas precisava salvar meu filho! Ele estava

sufocando dentro de Bella, ele gemia e chamava por mim e pela mãe. Estava sofrendo.

– Mantenha ela respirando! Eu tenho que tirá-lo antes... – Gritei para Jacob mas ouvi

um forte estalo.

Eu e Jacob congelamos esperando pelo grito de Bella que não veio, na verdade

seu corpo simplesmente desfaleceu. Suas pernas e seus braços que antes fazia força e

tinha vontade própria pareciam mortos.

– Sua espinha. – Disse paralizado mas Jacob logo me descongelou.

– Tira isso fora dela! –Ele rosnou gritando para mim e me passando o bisturi. – Ela

não vai sentir nada agora!

Peguei o bisturi e me inclinei sobre a barriga de Bella fazendo o corte na

primeira cama de pele. Logo o sangue escorria com mais intensidade. Minha garganta

ardeu mas eu me controlei. “Preciso salvá-la!”. Continuei camada a camada de

músculos até chegar ao útero de Bella. Ele estava revestido por uma camada dura como

a minha pele. Não tive outra alternativa, cravei meus dentes no útero de Bella e rompi a

camada dura. Assim que uma brecha se abriu o líquido começou a escorrer.

Enquanto eu trabalhava, ouvia a agonia na mente de Jacob enquanto ele

realizava o RCP em Bella, mas não podia nem queria fazer nada, meu foco era salvar

meu filho depois salvar Bella.

– Você ficar comigo agora, Bella! – Jacob gritava enquanto Bella tossia. Na na mente

dele eu via que Bella estava quase inconsciente. – Você tá me ouvindo? Fique! Você

não vai me deixar. Mantenha seu coração batendo!

Abri mais o útero de Bella e assim que retirei o bebê, Bella quase desmaiou

enquanto Jacob ainda fazia as compressões em seu peito, Bella perdeu as forças.

– Renesmee. – Eu sussurrei quando vi em meus braços que o meu bebê era uma linda

menina.

“Mamãe ...”, Renesmee pensou e olhou nos meus olhos. Eles eram exatamente como os

de Bella, mas seu cabelo era como o meu.

– Me dê... – Bella disse com a voz bem fraca. – Dê ela pra mim.

Rapidamente cortei o cordão umbilical de Renesmee, pincei e a levei para os

braços de Bella. Independente do que poderia acontecer, Bella tinha o direito de ter em

seus braços a filha que tanto amou ... que amamos juntos nos últimos dias.

– Renes...mee. Tão... linda. – Bella disse lentamente quando pousei o bebê sobre ela, e

seu coração bateu fraco. Renesmee a mordeu.

– Não, Renesmee. – Reclamei com ela puxando do corpo de Bella.

Ouvi então Jacob chorando sobre o corpo de Bella, estava cada vez mais difícil.

Olhei para ele ainda com Renesmee nos meus braços.

– O que você está esperando? – Jacob disse enquanto continuava a massagem cardíaca

em Bella.

– Pegue o bebê. –Disse para ele.

– Jogue pela janela. – Jacob me respondeu. “Você está louco?”, pensei.

– Dê ela para mim. – Rosalie disse na porta. Eu e Jacob rosnamos para ela, mas vi na

mente dela que ela estava realmente controlada. – Estou sobre controle. – Ela me

prometeu em sua mente também. – Me de o bebê, Edward. Eu tomo conta dela até que a

Bella ...

Não parei para ouvir as palavras de Rose, precisava salvar Bella. Seu coração

estava fraquejando cada vez mais. Recorri então a minha última alternativa.

– Mova suas mãos, Jacob.

– O que é isso? – Ele perguntou.

– Meu veneno. – Disse empurrava a mão de Jacob de cima do peito de Bella e injetava

rapidamente meu veneno dentro do coração dela.

Assim que o veneno penetrou começou a agir rapidamente. O veneno deu um

choque que fez o coração dela pulsar mais forte, mas não mais rápido. Eu precisava que

o veneno corresse por todo seu corpo para curá-la completamente.

– Continue. – Mandei que Jacob continuasse com a massagem cardíaca ajudando o

veneno a se espalhar mais rapidamente. Jacob era forte o suficiente para bombear o

sangue enquanto esse se solidificava por conta do veneno.

Comecei então a espalhar meu veneno por seu corpo de outra forma.

“Me desculpe”, pensei e mordi o pescoço de Bella, o pescoço que eu sempre beijava.

Assim que senti o veneno fluindo pelos meus dentes para dentro de Bella parei e passei

minha língua. Minha saliva fazia cicatrizar imediatamente a ferida, assim o sangue de

Bella, junto com o veneno permaneceria. Continuei fazendo isso em seus pulsos, dentro

dos cotovelos, nos calcanhares.

“Vai dar certo.”..“Fiquei comigo meu amor.”, eu gritava em minha mente

enquanto a mordia. Relutei tanto por isso ... eu não queria, mas essa era a sua salvação

que estava em jogo. Jacob estava desistindo, eu podia ver isso em sua mente, ele

desejava sair dalí.

– Vá, então. – O mandei embora, empurrei sua mão, quebrando alguns dedos, e eu

mesmo continuei a massagem cardíaca, forçando veneno por todo o corpo de Bella. –

Ela não está morta. ... Ela vai ficar bem. – Rosnei quando Jacob que tinha perdido as

esperanças, então ele foi embora.

“Fique comigo”, eu pensava enquanto continuava bombeando seu coração

rapidamente. Eu podia ouvir seu coração acelerando enquanto o veneno se espalhava.

Depois de alguns minutos o sangue de Bella parou de fluir por onde Renesmee nasceu e

estava cada vez mais difícil bombear, mas eu não desisti, continuei. “Preciso, até

Carslile chegar”.

Depois de aproximadamente 20 minutos pude ouvir a mente de Carslile se

aproximando. Ele correu e me encontrou bombeando sobre Bella.

– Edward! Estou aqui. Deixe comigo um pouco. – Carslile disse querendo me

substituir.

– Não ... eu vou ficar até você me dizer que não preciso mais ... até o veneno estar

realmente agindo. – Eu neguei. “Eu vou te salvar... eu prometo ... você não vai me

deixar”.

– Ok. – Carslile concordou e cobriu o corpo de Bella.

Carslile ficou ao meu lado ouvindo o coração de Bella e assim que ouvimos um

choque mais alto tivemos a confirmação.

Não podíamos fazer mais nada, a não ser esperar.